Turismo

Freedom Finance confirma que o mercado de turismo e viagens está prestes a descolar

Com a procura de viagens a um nível sem precedentes, a Freedom Finance destaca quais as ações do setor de viagens que estão a subir e quais os recém-chegados aos quais devemos estar atentos.

2022 é um ano de grande potencial para assistir a uma recuperação e crescimento maciços em alguns setores. O setor do turismo é um deles e começará a recuperar em massa. Isso deve-se às expectativas positivas de um declínio na incidência da COVID-19 e a entrada numa fase endémica, menos grave. A procura de serviços de viagens e turismo continua assim a aumentar.

Os analistas da Freedom Finance Europe têm destacado uma série de empresas de viagens e turismo em tendência ascendente e recomendam ativos a analisar. Com isto em mente, Maxim Manutrov, especialista da Freedom Finance, partilha a visão sobre as melhores ações do setor de viagens a observar em 2022, tanto em termos de reinvestimento como de novas chegadas ao mercado

Mercado de viagens preste a descolar em 2022
Muitos peritos permanecem cautelosamente otimistas, observando a procura reprimida de viagens por parte dos consumidores no pós o Covid-19, uma vez que o sector foi um dos primeiros e mais duramente atingido pela pandemia. A análise dos motores de busca mostra um aumento das consultas relacionadas com a reserva de voos e pacotes de viagens – todos grandes sinais para a indústria das viagens.

Os cruzeiros de viagens como o Royal Caribbean Cruises (RCL), são uma opção.  Neste caso específico, os participantes no mercado estão otimistas e acreditam que poderá atingir níveis de passageiros pré-pandémicos muito em breve, possivelmente neste ano! A pandemia não tem afugentado os clientes regulares e, em vez disso, converteram os seus bilhetes existentes em crédito para futuras viagens. As reservas a preços superiores aos anteriormente cobrados, cria fluxo financeiro que necessitam para pagar dívidas, reinvestir na tecnologia, reinvestir nos novos navios. Todos os trimestres do último ano têm mostrado um crescimento constante do desempenho, pelo que os mercados estão a tornar-se cautelosamente otimistas.

As companhias aéreas estão também a registar um crescimento nas viagens e nos seus ganhos. Exemplo disso é a American Airlines (AAL) que reportou um lucro inesperado de 169 milhões de dólares. A companhia aérea espera uma elevada procura durante os períodos de pico das viagens e recebeu pelo menos 5,8 mil milhões de dólares em apoio federal para salários, o que a ajudou a atravessar o período difícil e manteve as operações a funcionar sem sobressaltos.

No setor do alojamento, existem várias opções a valorizar. Por um lado, a Airbnb (ABNB) é uma boa opção, com mais de 5 milhões de listas em 220 países e regiões. Facilita a vida a todos os tipos de viajantes, desde os turistas que fazem a sua primeira viagem ao estrangeiro a estudantes universitários que querem ficar em casa de alguém enquanto estudam no estrangeiro; pessoas que vivem a maior parte do ano num local diferente, tais como aventureiros que querem algo novo todas as noites – a Airbnb reúne-os a todos. Ao longo do caminho, ganha dinheiro cobrando aos anfitriões e convidados pelos serviços. A recuperação da empresa deveu-se a um afrouxamento das restrições que permitiram que mais pessoas e anfitriões utilizassem a Airbnb. A empresa registou receitas de 2,24 mil milhões de dólares no terceiro trimestre de 2021, um aumento de 67% em relação ao ano anterior. Apesar da pandemia, a empresa foi bem-sucedida, registando a maior receita e lucro líquido alguma vez registados no terceiro trimestre.

Por outro lado, temos o Expedia Group (EXPE), um dos nomes mais conhecidos em viagens online, incluindo Expedia, Vrbo, entre outros. Estes gerem agregadores de preços ou motores de metasearch que fornecem informações de destino aos viajantes que procuram opções de alojamento online. Tal como o resto da indústria de viagens, a Expedia sofreu uma queda acentuada nas receitas devido à pandemia de Covid-19. No entanto, os seus últimos resultados confirmam que os dias sombrios podem estar por trás disso. O lucro líquido do terceiro trimestre foi de 362 milhões de dólares, significativamente acima de um prejuízo de 221 milhões de dólares no ano anterior (2020) e mais próximo do valor do terceiro trimestre de 2019 de 409 milhões de dólares. As receitas foram de 2,96 mil milhões de dólares, 97% acima dos 1,5 mil milhões de dólares do trimestre anterior, e aproximando-se de valores pré-pandémicos de 3,55 mil milhões de dólares.

O gigante do lazer, Las Vegas Sands (LVS), é outra boa opção de investimento. Esta empresa opera estâncias que incluem casinos, hotéis e centros de conferências. No dia 20 de outubro, o Las Vegas Sands divulgou os seus resultados para o terceiro trimestre de 2021. Durante o período, as receitas aumentaram 92% em relação ao ano anterior, para 855 milhões de dólares. Nos últimos trimestres de 2021, o LVS deslocou o seu foco para locais asiáticos de rápido crescimento. Por exemplo, em março de 2021, a empresa anunciou a venda da sua propriedade e operações em Las Vegas por aproximadamente 6,25 mil milhões de dólares. Espera-se que o negócio seja fechado na primeira metade de 2022.

Categorias:Turismo, Viagens