Algarve

ALGARVE | Reunião do projeto CILIFO conclui necessidade de aprofundamento da cooperação transfronteiriça com a Andaluzia

No âmbito do protocolo de Cooperação Transfronteiriça da Comunidade de Trabalho «Eurorregião Alentejo-Algarve-Andaluzia» (EuroAAA), a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) da Região do Algarve acolheu ontem reunião de coordenação e ponto de situação entre os parceiros do projeto CILIFO – Centro Ibérico de Investigação e Combate aos Incêndios Florestais.

A ocorrência desta reunião no Algarve prende-se com a necessidade de dinamizar a cooperação inter-regional transfronteiriça, contribuindo para a integração europeia do espaço regional e para o reforço da sua competitividade, com base em estratégias de desenvolvimento sustentável de níveis regional e local, considerada prioritária pelos presidentes das três regiões no documento estratégico da EuroAAA assinado em 2 de março, e promover uma adequada articulação intersetorial entre os serviços desconcentrados de âmbito regional, em termos de concertação estratégica e de planeamento das intervenções de natureza ambiental, económica e social, numa ótica de desenvolvimento regional, conforme está previsto na missão da CCDRs.

O CILIFO junta as regiões do Alentejo, Algarve e Andaluzia num projeto que pretende, num objetivo alargado melhorar a capacidade de resposta dos Municípios e das autoridades com competências na Proteção Civil e no combate aos incêndios florestais.

Com uma duração de quatro anos, a execução deste projeto liderado pela Junta de Andaluzia deve estar concluída até ao final de 2022 e prevê um investimento na ordem dos 24 milhões de euros, dos quais 75% são cofinanciados no âmbito do Programa Interreg V A España – Portugal (POCTEP) 2014-2020.

Participaram na reunião em formato híbrido (presencial e online), pela parte portuguesa, a vice-presidente da CCDR Algarve, Elsa Cordeiro, o comandante regional da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, Vítor Vaz Pinto, representantes da Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL) e dos municípios de Castro Marim, Loulé, Monchique e Tavira e os responsáveis pela coordenação do projeto por parte das autoridades da Andaluzia.

Segundo Alexandre Garcia, coordenador do CILIFO, neste momento o investimento executado é na ordem de 8 milhões de euros pelo que para o êxito financeiro e material das obras é vital acelerar e finalizar os processos em curso e as adjudicações pendentes nos três territórios, de forma a ser cumprido o calendário das ações previstas no Algarve de ampliação da Base de Helicópteros em Serviço Permanente (BHSP) de Loulé, construção das instalações dos heliportos de Monchique e Cachopo (Tavira) e do centro de formação do Azinhal (Castro Marim).

Para além das infraestruturas em fase de construção em Espanha e na região Algarvia o projeto CILIFO está a promover trabalho de proximidade, sensibilizando as populações, bem como a desenvolver estudos com as comunidades académicas e dinamizar a formação dos operacionais dos bombeiros e da proteção civil, através da AMAL.

A jornada de trabalho terminou com uma visita ao Centro Regional de Emergência e Proteção Civil (CREPC) do Algarve e à BHSP, onde todos tiveram oportunidade de conhecer as instalações afetas e os procedimentos existentes no domínio das operações e gestão de emergência.

Categorias:Algarve, Andaluzia