Loulé

PS Loulé contra o encerramento dos Serviços de Urgência Básica de Loulé

Em defesa do Serviço Nacional de Saúde

No passado dia 16 de Julho foi publicado na página do Ministério da Saúde o Relatório da Comissão para a Reavaliação da Rede Nacional de Emergência e Urgência (CRRNEU), datado de Fevereiro de 2012, que de uma penada retira ao Algarve, 1 uma Ambulância de Suporte Imediato de Vida localizada em Tavira, 2 Serviços de Urgência Básico localizados em Lagoa e Loulé e o Helicóptero do INEM localizado em Loulé, destruindo de uma só vez a Rede de Urgência/Emergência do Algarve montada em 2008 constituída por uma rede de emergência pré-hospitalar dotada de 4 ambulâncias SIV, localizadas em Lagos, Quarteira, Tavira e Vila Real de Santo António, 3 viaturas médicas de emergência e reanimação em Portimão, Albufeira e Faro e 1 Helicóptero do INEM localizado no heliporto de Loulé e por 4 Serviços de Urgência Básicos (SUB), situados em Lagos, Albufeira, Loulé e Vila Real de Santo António e 2 Serviços de Urgência Hospitalares em Portimão e Faro.

As propostas apresentadas pela Comissão que destroem a atual Rede de Urgência do Algarve recentemente requalificada, sustentadas em critérios desconhecidos revelam um desconhecimento profundo da realidade da Região, no que se refere à mobilidade e ao acesso das populações às unidades de saúde, à sazonalidade turística e desprezam a importância que a Rede de Urgência do Algarve tem para a qualificação de uma oferta turística de qualidade a nível nacional e internacional. Agravando ainda o custo de vida de milhares de cidadãos que para recorrerem aos Serviços de Urgência localizados em Faro e Portimão, teriam de arcar não só com as despesas de transporte como veriam agravadas as taxas moderadoras de acesso à urgência em 2.5 euros (Portimão) e 5 euros (Faro) por atendimento.

No caso do concelho de Loulé, a proposta da Comissão tem o despudor de não só acabar com o Serviço de Urgência Básico localizado no Centro de Saúde de Loulé como por em causa a própria continuidade da ambulância SIV aí colocada, obrigando as populações do concelho de Loulé (o maior concelho do Algarve quer em população quer em território) e as populações de freguesias vizinhas dos concelhos de São Brás de Alportel e Faro a recorrer ao SU do H. Faro, EPE.

Perante estas circunstâncias não pode o PS de Loulé deixar de manifestar o seu repúdio por estas propostas que afetam o Algarve e o concelho de Loulé em particular, limitando o acesso da população aos cuidados de saúde e prejudicando a sua imagem nacional e internacional, questionando desde já o Presidente da Câmara de Loulé e o PSD de Loulé, acerca do seu conhecimento prévio destas propostas e das diligências já efetuadas junto do Governo e da ARS Algarve, IP, tomadas para combater esta afronta à população do concelho de Loulé.

O PS Loulé considera que estas propostas, a concretizarem-se, seriam um corte desproporcionado e inaceitável no acesso aos serviços de saúde consagrados na Constituição e um golpe para a atividade económica da Região e do concelho, apelando para que a população do concelho de Loulé mostre o seu repúdio e oposição às medidas propostas.

O PS de Loulé mostra-se disponível, desde já, para em conjunto com todas as forças sociais e económicas do concelho encetar todas as ações necessárias que levem à manutenção do atual dispositivo de Urgência/Emergência.

Recebido de: Victor Faria, Presidente da Comissão Política

Categories: Loulé

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.