Algarve

ALGARVE | Solidariedade permite caçar na próxima época

Caçadores Algarvios afectados pelos incêndios enviaram proposta ao Governo

Na sequência dos incêndios que nos concelhos de Tavira, S. Brás de Alportel e Castro Marim devastaram áreas enormes de zonas de caça, tendo sido dizimados largos milhares de espécies cinegéticas e seus habitats, reuniram-se no passado dia 26 de julho os caçadores das zonas afectadas, sob a égide da Federação de Caçadores do Algarve, tendo sido feita uma avaliação ainda superficial dos elevados prejuízos, mas que lhes permitiu decidir algumas medidas quanto ao futuro e apresentar uma proposta ao Governo.

Assim, decidiram os caçadores que as zonas de caça ardidas deveriam ser interditadas à caça temporariamente, para que não só fosse possível exercer alguma protecção às espécies sobreviventes, como também actuar imediatamente na recuperação do território florestal afectado.

Foi também aprovado nesta reunião, propor ao Governo uma redução das taxas a pagar pelos caçadores, já que, durante pelo menos a presente época venatória não será possível caçar nas zonas de caça afectadas, onde as áreas ardidas correspondem à quase totalidade das zonas ordenadas. Deste modo, a Federação de Caçadores do Algarve propôs a isenção do pagamento da taxa anual devida pela concessão das zonas de caça afectadas na próxima época venatória.

Por sua vez, no âmbito do programa PRODER, a FCA propôs que sejam adicionadas medidas de excepção que contemplem a comparticipação estatal em intervenções como a sinalização das zonas de caça, designadamente a aquisição de placas e respectivos suportes de madeira, assim como a criação de campos de alimentação artificiais – mobilizações superficiais do solo e distribuição directa de sementes e outros compostos/produtos alimentares (palhas, fenos, farinhas, granulados, rações, etc.) para distribuição directa, bem como a criação de zonas de abrigo para a fauna e ainda a aquisição de maquinaria ligeira e utensílios indispensáveis de acordo com as características de cada zona.

Caçar em solidariedade Saliente-se que os restantes caçadores algarvios, filiados na Federação de Caçadores do Algarve e com zonas de caça não afectadas pelos fogos, num gesto solidário e digno de registo, decidiram conceder algumas caçadas nas suas zonas de caça aos que perderam quase tudo nestes incêndios, desde que não sejam sócios de qualquer outra zona de caça.

Federação de Caçadores do Algarve Assim, já está a decorrer a preparação desta iniciativa, possibilitando aos lesados exercerem ainda alguma actividade durante a próxima época.

Entretanto, sabe-se que o Senhor Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Daniel Campelo, já terá comunicado (informalmente) a sua decisão de corresponder positivamente ao apelo proposto pelos caçadores algarvios.

Gabinete de Comunicação da Federação de Caçadores do Algarve

Categories: Algarve

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.