Algarve

Amanhã é o Dia Sem Restaurantes

O Movimento Nacional de Empresários da Restauração (MNER) anunciou a realização do “Dia Nacional Sem Restaurantes” para amanhã, 19 de Novembro, como forma de pressionar o Governo a reduzir o IVA para a “taxa mínima”.

Num primeiro encontro realizado num hotel na Praia da Rocha, que contou com a presença de 44 proprietários de restaurantes da zona do barlavento algarvio, ficou decidido sensibilizar outros empresários para aderirem ao «Dia sem Restauração» no dia 19 deste mês, apoiando assim a iniciativa lançada a nível nacional por um movimento do setor.

Se o Governo não reduzir o IVA de 23 para dez por cento, muitos dos mais de 20 mil restaurantes e estabelecimentos similares do Algarve cessarão a atividade e mais de metade dos atuais 70.000 trabalhadores irão para o desemprego.

Os proprietários dos restaurantes do Algarve vão encerrar os seus estabelecimentos amanhã, dia 19 de Novembro, como forma de pressionar o Governo a reduzir o IVA da restauração dos atuais 23 para dez por cento. E se o ministro das Finanças, Vítor Gaspar, não ceder a essa pretensão, até já admitem «fechar os restaurantes durante uma semana».
«No Algarve existem mais de 20 mil restaurantes e estabelecimentos similares, como bares e pastelarias, que garantem neste momento mais de 70 mil postos de trabalho. Se o IVA da restauração se mantiver a 23 por cento em 2013 será o fim de muitos desses estabelecimentos, enquanto mais de metade dos trabalhadores acabará por ir para o desemprego», disse ao «barlavento» José Piasca, no final da reunião.
«Vamos sensibilizar os responsáveis dos restaurantes no Algarve para aderirem, na próxima segunda-feira, dia 19, ao «Dia sem Restauração», apoiando assim a proposta do Movimento Nacional Empresarial da Restauração como forma de protesto pelo pagamento do IVA a 23 por cento. E apelamos à compreensão dos clientes, pois com este imposto neste valor não conseguimos garantir a qualidade necessária», sublinhou aquele empresário.
José Piasca, que é um dos membros regionais do Movimento Nacional Empresarial da Restauração, insistiu que o ministro das Finanças «vai ter de nos dar razão, já que o IVA a 23 por cento neste sector não serve nem para os estabelecimentos nem para arrecadar mais receitas para o Estado».
«É prejuízo para todos», alertou. Para já, o «Dia sem Restauração» no dia 19 deste mês «é o começo da nossa luta». «No futuro, admitimos fechar os restaurantes durante uma semana», ameaçou.

Por outro lado, José Piasca lembrou que Portugal tem o IVA da restauração «mais elevado da Europa», comparando com a «Espanha, França e Itália, onde é cobrado a dez por cento, enquanto na Holanda e no Luxemburgo são seis e três por cento, respetivamente».
Ontem realizou-se mais um encontro em Albufeira, com empresários do sector da zona central do Algarve, e na sexta-feira, dia 16, será Monte Gordo, no concelho de Vila Real de Santo António, a reunir donos de restaurantes do sotavento em mais uma ação de sensibilização para a jornada de protesto contra o Governo.

Barlavento + RTP

Categories: Algarve, Nacional

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *