Loulé

Apanha técnica de Cogumelos Silvestres na Rocha da Pena

No final dos 3 anos de mandato na Direção do Núcleo Sul da APEA foi nosso entendimento que seria bom terminar o ciclo de trabalhos com a 1ª atividade que organizámos enquanto Direção e como tal voltámos ao tema dos cogumelos silvestres.

Desta vez o formato foi de passeio técnico, incluído no ciclo de passeios que se tem vindo a desenvolver. Foi neste ambiente de despedida e alegria pelos anos de trabalho em prol da divulgação ambiental no Baixo Alentejo e Algarve, que no passado dia 18 de Novembro rumámos até à Rocha da Pena, onde se juntou um grupo de pessoas entusiasmadas pelo mundo desconhecido dos cogumelos silvestres.

A partir da base da área protegida da Rocha da Pena, o grupo seguiu pelo percurso pedestre que conduz aos Moinhos da Rocha e dai começou a busca pelos fungos florestais.

A cada passo a floresta ia mostrando os seus valiosos cogumelos e fomos identificando um a um. A este grupo foram demonstradas todas as características importantes na identificação dos cogumelos, desmistificados alguns mitos que são comuns e respondidas as dúvidas existentes. Ao fim de poucas horas quase todos os participantes já conseguiam identificar com boa segurança a espécie encontrada em maior abundância, o que demonstra o sucesso e o interesse do grupo de participantes.

Foram colhidos bastantes cogumelos silvestres, muitos deles comestíveis, mas também foram encontradas espécies muito tóxicas. A fotografia dos exemplares foi uma constante no passeio, o que nos deu excelentes recordações.

No final, deixou-se no campo as espécies não comestíveis e todos os cogumelos comestíveis ainda jovens ou já demasiado maduros para comer. É importante transmitir e mostrar as boas práticas na apanha de cogumelos, de modo a que todos os novos interessados nesta matéria, a possam aprender com princípios de sustentabilidade.

No final, o passeio durou aproximadamente 4 horas, um tempo recorde que só foi atingido devido ao entusiasmo dos participantes! Agradecemos a vossa participação e estamos certos de que foi uma bela manhã de sol de Novembro, passada na aquisição de novos conhecimentos em relação à biodiversidade local.

Núcleo Regional do Sul da Associação Portuguesa de Engenharia do Ambiente

Categories: Loulé

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *