Lagos

Abandono do Museu Ferroviário | MPT questiona Autarquia sobre desaproveitamento turístico e prejuízo patrimonial

nucleolagos

Com enorme impacto negativo para a economia turística, um dos cartazes de visita da cidade pelos piores motivos continua a ser a estrutura abandonada do núcleo museológico ferroviário de Lagos.

Perto da também abandonada antiga estação ferroviária, o único núcleo ferroviário a sul do rio Tejo e respetivas peças patrimoniais ocupam a antiga cocheira de locomotivas, datada da década de 20 do século passado, constituindo um exemplar único no país, procurado por todos os amantes da ferrovia.

A sua gestão é da responsabilidade da Fundação Museu Nacional Ferroviário Armando Ginestal Machado (FMNF), fundação criada em 2005 e da qual se inclui a Câmara Municipal de Lagos como entidade fundadora e representada no Conselho Consultivo (DL 38/2005, de 17 de Fevereiro).

Nas escassas informações disponibilizadas no sítio web da fundação sobre o núcleo museológico de Lagos, apenas é possível ler-se que este se encontra “temporariamente encerrado”.

O MPT soube contudo que o motivo do encerramento dever-se-á aos problemas de conservação do espaço, visivelmente danificado, em especial na sua cobertura colocando em risco a integridade das suas valiosas peças museológicas e a possibilidade de apostar neste nicho de turismo não sazonal.

O Partido da Terra – MPT/Lagos teve conhecimento de que mesmo recentemente já houve particulares interessados em reabrir e explorar o espaço como museu e com visitas guiadas, com possibilidade de parceria com museu ferroviário inglês, até porque mesmo nas atuais condições, o edifício do museu demonstra ter significativa procura por turistas especializados neste produto turístico.

De acordo com informações obtidas, a Fundação tem/terá estado em conversações com a Câmara Municipal de Lagos com vista a acordar numa gestão partilhada.

Posto isto, e em função do grave desaproveitamento turístico e prejuízo patrimonial para a cidade resultante do continuado estado de abandono do museu, a secção local do MPT solicita que a Câmara Municipal de Lagos, se digne esclarecer os lacobrigenses sobre 6 pontos:

1 – Qual a participação institucional, financeira e patrimonial da Câmara Municipal de Lagos na Fundação Museu Nacional Ferroviário, além de equiparada a fundadora?

2 – Quem são os representantes da CML no Conselho Consultivo da Fundação e qual o acompanhamento feito às reuniões quadrimestrais (DL 38/2005 de 17 de Fevereiro)?

3 – O que motivou o encerramento do Núcleo Museológico de Lagos?

4 – Qual o estado físico do edifício e da integridade das peças museológicas?

5 – Quais os contatos que a Câmara Municipal de Lagos tem estabelecido com a Fundação sobre uma eventual reabertura do museu?

6 – Que protocolos, contratos-programa ou projetos do conhecimento municipal existem prevendo a reabertura do núcleo museológico de Lagos ao público? Para quando?

Pelos militantes e simpatizantes da Secção de Lagos do Partido da Terra – MPT.

Links relacionados:

http://www.fmnf.pt/Site/Page/Index/nucleos_museologicos_nucleo_lagos

http://www.cp.pt/cp/displayPage.do?vgnextoid=21c582570c275010VgnVCM1000007b01a8c0RCRD

http://www.dre.pt/pdf1s%5C2005%5C02%5C034A00%5C12091215.pdf

Categories: Lagos

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.