Desporto

Cidade Europeia do Desporto 2015 | ACES Europe atribui certificado a candidatura algarvia

O representante da ACES Europe em Portugal, Nuno Santos, esteve em Loulé na passada quarta-feira para atribuir o certificado de aceitação da candidatura a Cidade Europeia do Desporto 2015 ao Município de Loulé.

De acordo com o vereador do Desporto, Joaquim Guerreiro, o Concelho de Loulé reúne as condições que vão ao encontro do Manifesto ACES, uma associação não governamental, sedeada em Bruxelas e reconhecida pela Comissão Europeia, nomeadamente uma dinâmica e diversidade desportiva, dimensão territorial, um movimento associativo forte, a excelência das infraestruturas desportivas, qualidade no destino turístico, eventos desportivos nacionais e internacionais de relevo e a preocupação em envolver a comunidade local na prática desportiva.

Assim, na base desta candidatura, está desde logo a rede de infraestruturas. “A Autarquia de Loulé tem realizado um forte investimento tendo em vista o reforço da oferta ao nível das instalações desportivas”, considerou o responsável pelo pelouro. Entre os anos de 2002 e 2012 foram investidos 12 milhões de euros em equipamentos desportivos, sendo os principais o Complexo de Piscinas Municipais em Quarteira, considerado por muitos como um dos mais modernos do País, o Parque Municipal de Loulé que integra uma importante componente associada à prática desportiva e o arrelvamento sintético do Campo Nº2 de Loulé, Campo Nº2 de Quarteira, Campo de Almancil e Campo do Parque Desportivo de Salir.

Também o sector privado tem acompanhado este reforço dos equipamentos desportivos, nomeadamente com a criação de mais dois campos de golfe – o Laranjal e o Victoria, este último palco do Portugal Masters.

O Concelho dispõe hoje de 241 equipamentos, 137 públicos (incluindo os espaços desportivos nas escolas) e 104 de carácter privado, com uma média de utilização mensal de 50 mil utentes.

Outro das razões da candidatura diz respeito ao movimento associativo do Concelho, representado por 55 coletividades, 40 modalidades, que envolvem 8 mil praticantes, dos quais 4421 são atletas federados e 3411 não federados, e que têm um “papel impulsionador na área desportiva”.

Num Concelho virado para o turismo, o vereador falou também dos eventos desportivos realizados e que têm forte impacto na atividade turística. “O Concelho de Loulé recebe um infindável número de iniciativas, no âmbito das mais diversas modalidades, seja em termos regionais ou a nível nacional. Os eventos de carácter internacional têm cada vez mais peso no Concelho de Loulé; em 2011, Loulé recebeu 21 provas de dimensão internacional, e em 2012 esse número aumentou para 26”, considerou, destacando o Vodafone Rally de Portugal, o Triatlo de Quarteira – Taça da Europa, Loulé Cup (Taça do Mundo em Trampolim e Tumbling), o Portugal Masters em Golfe, o The Atlantic Cup, o Algarve Sevens e a Volta ao Algarve em Bicicleta.

Joaquim Guerreiro falou ainda da “cultura desportiva e no esforço em proporcionar à população todas as condições para usufruto da população, que se estende a todas as faixas etárias e a todas as condições socioeconómicas”. “O nosso lema é ‘Desporto para Todos’”, sublinhou.

Para finalizar, o vereador referiu que esta candidatura “é o reconhecimento do trabalho que tem sido realizado ao longo das últimas décadas e vai permitir a integração na rede europeia do desporto”. “O programa não implicará qualquer esforço financeiro mas apenas o envolvimento de todos os agentes, desde os poderes públicos, associações desportivas, empresários e, principalmente, a sociedade civil”, concluiu.

Quanto aos objetivos desta candidatura, nos quais Loulé “tem de se empenhar fortemente”, Nuno Santos, responsável da ACES Europe, considerou o facto desta associação se identificar integralmente no desporto olímpico e na promoção do valor olímpico universal a nível municipal. Na sua base estão os cinco valores fundamentais: a prática de exercício físico como divertimento, fazer a atividade que mais se gosta, espírito e sentimento de união, correção e respeito e praticar desporto em prol da saúde. Assim, Loulé compromete-se a transmitir estes valores junto dos cidadãos, nomeadamente “aos que dão formação, aos jovens e mais idosos, às pessoas mais carenciadas e portadoras de deficiências”.

Para que esta candidatura se torne realidade em 2015, “Loulé deverá demonstrar um empenho contínuo e constante na promoção do desporto, em conformidade com estes objetivos, e fazer com que a política desportiva seja cada vez mais inovadora”. Esta política implementada nos últimos cinco anos será objeto de avaliação por parte da ACES Europe, e visará o seguinte: promoção contínua no desporto, melhoria na saúde em todos os grupos sociais e em todas as idades, integração das camadas sociais desfavorecidas através do desporto, desenvolvimento das infraestruturas desportivas, realização de projetos desportivos inovadores e organização de importantes eventos desportivos nacionais e internacionais.

Em 2014 a Comissão da ACES Europe irá visitar Loulé para avaliação de todos estes pontos, sendo posteriormente comunicado o resultado se Loulé será reconhecida como “Cidade Europeia do Desporto 2015”

Depois de Guimarães, a primeira cidade portuguesa a ter este reconhecimento, em 2013, e da candidatura da Maia, em 2014, que será alvo de avaliação por parte da ACES Europe na próxima semana, é a vez de Loulé apresentar a sua candidatura.

De acordo com Nuno Santos, “Guimarães tem sido um sucesso ao obter esse reconhecimento desportivo e social na sua comunidade”, com a realização de vários eventos desportivos de utilidade pública. Neste âmbito, foi assinado um protocolo de atribuição de 100 mil euros a Guimarães; o mesmo acontecerá com a Maia, caso se concretize este reconhecimento.

Já o Presidente do Instituto Português do Desporto e Juventude Augusto Baganha, felicitou a Autarquia por esta candidatura, por tratar-se de uma organização de grande impacto “desportivo, social, económico, humano, não só a nível local, mas também regional, nacional e que projeta a imagem do país além-fronteiras”.

Este responsável desportivo sublinhou que “Loulé é um concelho que apresenta uma dinâmica muito interessante” e que reúne “as condições desportivas, geográficas e climatéricas que favorecem a prática de algumas modalidades, como as náuticas” para acolher uma efeméride como esta, que “congrega um conjunto de atividades e parcerias em que as entidades são estimuladas”.

Augusto Baganha deixou ainda um apelo a esta candidatura: “que seja um projeto inclusivo, que congregue estratos populacionais de uma forma geral e que seja um projeto integral, que funcione com áreas tão importantes como a educação e a saúde”.

Finalmente, para Seruca Emídio, “este é o ponto de partida para atingir um objetivo pois nada está ganho, trata-se apenas da aceitação de uma candidatura”. No entanto, o autarca louletano salientou que o mais o importante é a “mobilização das forças vivas, dos agentes desportivos sociais e económicos do Concelho para criar condições e demonstrar que a qualidade desportiva do que se faz no nosso Concelho está ao nível do melhor que se pode fazer”.

O presidente da Câmara explicou que esta “Cidade Europeia do Desporto” não se cinge à cidade de Loulé mas ao “Concelho no seu conjunto”. “É uma oportunidade que nós temos de afirmar o nosso Concelho, numa altura em que toda a gente fala da criação de sustentabilidade e de competitividade entre cidades”, disse o autarca.

Por último, considerou tratar-se de uma “oportunidade de dar a conhecer à Europa este território no Sul do país” e que irá contribuir para a “projeção internacional, diversificação da oferta turística e entradas de receitas”.

CM-Loulé

Categories: Desporto, Loulé

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.