Desporto

VOLTA A PORTUGAL | Raúl Alarcón, do Louletano/Dunas Douradas, venceu etapa de hoje (atualizado)

O ciclista do Louletano, Raúl Alarcón, foi o herói do dia na etapa de hoje da 75.ª Volta a Portugal em Bicicleta. O ciclista do Louletano/Dunas Douradas andou em fuga sozinho grande parte da etapa, conseguindo manter uma vantagem de cerca de 2m30s até aos últimos 5KM. A partir daí, com a aceleração natural do pelotão, a diferença foi caindo mas muito lentamente, não chegando ara anular a vantagem de Raúl Alarcón, com o pelotão a chegar 1m30s depois.

No final da etapa, a RTP1 entrevistou o diretor da equipa, Jorge Piedade, bem como o presidente do clube, Tony do Adro, tendo dito que a equipa, como estavs um pouco para trás, tem tentado uma vitória numa etapa, regozijando-se pela vitória de hoje.

O Louletano/Dunas Douradas viria igualmente a vencer por Equipas na etapa de hoje.

Na Classificação Geral, o melhor classificado do Louletano Dunas Douradas continua a ser Rui Vinhas, que subiu hoje ao Top 10, ocupando precisamente a 10.ª posição, a apenas 59 segundos do camisola amarela, que continua no corpo de Sergio Pardilla, da MTN/QHUBEKA. Micael Isidoro é 20.º, a 6’16”. Raúl Alarcón subiu ao 58.º lugar, estando agora a 48’28” do líder da prova.

Por equipas, o Louletano/Dunas Douradas ocupa a 5.ª posição.

Texto: Jorge Matos Dias – PlanetAlgarve

Fotos: Tony do Adro via Facebook

COMUNICADO OFICIAL

Raúl Alarcón (Louletano/Dunas Douradas) lançou-se sozinho ao quilómetro 120 e não mais largou a frente de corrida até à meta de Gouveia onde terminou a 7.ª etapa da 75.ª da Volta a Portugal Liberty Seguros, que começou nas Termas de Monfortinho. O espanhol natural de Alicante, que se estreou este ano ao serviço do Louletano/Dunas Douradas, conseguiu esta quinta-feira a primeira vitória da época. “A equipa está a tentar há muito tempo um triunfo e nada melhor que consegui-lo na Volta a Portugal”, explicou Alarcon acrescentando ainda que “tinha esta etapa debaixo de olho desde o início da Volta. Hoje, consegui entrar na fuga do dia e depois procurei o melhor momento para atacar.” “La Maquina”, como é chamado pelos companheiros, venceu com 1 minuto e 30 segundos de vantagem sobre o pelotão comandado por Edgar Pinto (LA Alumínios/Antarte) e Célio Sousa (Onda/Boavista).

Raúl Alarcón cortando a meta - foto da Organização

Raúl Alarcón cortando a meta – foto da Organização

Perseguição de Luxo

Atrás de Alarcon muita gente tentou a sorte como foram os casos de Nuno Ribeiro (Efapel/Glassdrive), Márcio Barbosa (LA Alumínios – Antarte) e Célio Sousa (Rádio Popular – Onda) e mais distante ainda um “pelotão” onde estava o Camisola Amarela Sergio Pardilla. Para além da equipa do líder, a MTN/Qhubeka, também passaram pela cabeça do pelotão a OFM/Quinta da Lixa e a Efapel/Glassdrive. Essas movimentações permitiram que o grupo chegasse em bloco a Gouveia. Sergio Pardilla e Rui Sousa (Efapel/Glassdrive) chegaram lado a lado à meta e seguem para a etapa da Torre (Seia) empatados.

Emoções desde cedo

Apesar do muito calor à partida das Termas de Monfortinho e das dificuldades que se adivinhavam numa etapa com quatro Prémios de Montanha, entre eles um de 1ª categoria nas Penhas da Saúde e outro de 2.ª nas Penhas Douradas, as movimentações começaram cedo. No quilómetro 31,5 juntou-se na frente da corrida um grupo de 17 corredores que conseguiu a vantagem máxima de quase 7 minutos aos 110,5km. Neste grupo estava o vencedor da etapa desta 7ª etapa Raul Alarcon. Depois da Meta Volante da Covilhã e com o terreno a inclinar na Serra da Estrela a aventura do grupo estava condenada. A partir daqui a história era outra e Raul Alarcon foi quem mais mandou!

8.ª Etapa – 16 agosto

Oliveira do Hospital – Seia (Torre) (166,3 km)

Sem tempo para respirar o pelotão avança, esta sexta-feira, para mais um dia de montanha. A caravana concentra-se em Oliveira do Hospital por volta das 10h30 para sair para a estrada às 12h20. A subida até à Torre, o ponto mais alto de Portugal continental, será feita pela vertente de Seia e termina no mítico prémio de categoria especial, a mais alta distinção para referenciar no ciclismo uma dificuldade orográfica, por volta das 17h20.

Gabinete de Imprensa da Volta

Categories: Desporto, Loulé

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.