Desporto

Autarquia homenageou clube | Título Europeu do Clube de Golfe de Vilamoura projeta Loulé como “Capital do Golfe”

Câmara de Loulé e entidades presentes na cerimónia enalteceram o papel do Clube na promoção de uma das principais atividades económicas da região

Na passada sexta-feira, 13 de dezembro, a Câmara Municipal de Loulé homenageou o Clube de Golfe de Vilamoura pela conquista do título de Campeão Europeu, numa cerimónia que decorreu no Salão Nobre dos Paços do Concelho, perante a presença de várias personalidades e entidades ligadas à modalidade e à atividade turística.

“Ser campeão europeu significa que há uma história porque esses títulos não se conquistam por acaso”, afirmou o presidente da Autarquia, Vítor Aleixo, durante o seu discurso onde enalteceu o trabalho de um conjunto de pessoas, nomeadamente os fundadores, os profissionais que dedicaram muitas horas ao clube, os jovens que se aplicaram disciplinadamente, as pessoas que se envolveram no aspeto associativo para criar as melhores condições mas também a Autarquia. “Houve também um trabalho da Câmara Municipal de Loulé que reconheceu, em tempo devido, que o golfe era uma modalidade que tinha de ser apoiada como qualquer outra modalidade desportiva pois todos sabemos que, numa determinada altura, a modalidade sofreu do estigma, do preconceito de que era um desporto de elite”, considerou o edil.

Referindo-se à importância desta modalidade para a principal atividade económica do Município – o turismo – o presidente da Autarquia falou igualmente da importância do título alcançado para a promoção da região e do Concelho. “Temos à volta do golfe toda uma economia que se estrutura e um Concelho que deve muito a esta atividade. Se vocês projetam esta atividade, as autoridades concelhias só lhes devem estar gratas e deixar-vos uma palavra de estímulo para que continuem e para que consigam mais títulos”, referiu ainda Vítor Aleixo.

A existência de 13 campos de golfe com “condições extraordinárias” e o facto de Loulé receber anualmente algumas das mais prestigiadas provas nesta modalidade, como é o caso do Portugal Masters, fazem com que este Concelho seja considerado “a capital do golfe no nosso país”, disse o autarca.

Esta opinião é partilhada também por Desidério Silva, presidente do Turismo do Algarve, entidade que tem apostado na promoção e valorização do golfe como “um produto de referência para a região”. Os prémios alcançados em 2013 e a distinção do Algarve como o melhor destino de golfe para 2014 são, segundo este responsável, “sinais muito importantes para a região que têm a ver com aquilo que ao longo dos anos foi feito em termos de construção de campos de golfe, a gestão dos campos de golfe e a política do golfe na região”.

Desidério Silva falou também da importância do golfe no combate à sazonalidade que afeta a região algarvia. “Se hoje temos um problema de sazonalidade ele é esbatido graças ao golfe porque é aquela atividade que ainda tem uma intervenção em termos de dormidas, de visitantes e de receitas que nos ajuda a combater essa sazonalidade. É claramente um produto de excelência na região”, frisou Desidério Silva.

Num ano muito importante para o Algarve em termos das distinções na área do golfe, o responsável máximo do Turismo do Algarve considerou o título alcançado pelo Clube de Golfe de Vilamoura como “a cereja no topo do bolo”.

Referindo-se ao Clube de Golfe de Vilamoura como o maior clube nacional dentro da modalidade em termos do número de atletas que fornece à seleção e o segundo maior em termos de atletas inscritos na Federação, Júlio Mendes, vice-presidente da Federação Portuguesa de Golfe destacou a parte da formação, nomeadamente a escola deste Clube. “É, sem dúvida nenhuma, um exemplo que infelizmente não tem sido seguido por outros clubes em Portugal. Alguns clubes têm tentado, há muitos que agora começaram nas escolas, a própria Federação está a fazer um esforço financeiro para a promoção e desenvolvimento da modalidade junto das crianças nas escolas”, disse este responsável.

Júlio Mendes frisou também a ideia de que “o golfe não é um desporto elitista”. Embora as circunstâncias económicas do país ainda não tenham provocado o devido desenvolvimento da modalidade, este responsável federativo considerou que “há desportos que são mais caros que o golfe em termos de equipamentos e o acesso aos campos está também mais barato, como tal estamos todos no caminho certo”.

Quanto ao Clube de Golfe de Vilamoura, disse estar confiante que, num futuro próximo, irá fornecer mais atletas para o circuito europeu, juntando-se a Ricardo Santos e a Hugo Santos.

Neste momento de homenagem, o presidente do clube, Christopher Stilwell, enalteceu o papel dos elementos da direção, dos profissionais que trabalham no clube e dos cerca de 900 sócios que tornam o Clube de Golfe de Vilamoura num dois maiores clubes do país.

Também a parte formativa foi destacada por este dirigente que considerou que a escola do Clube, com cerca de 200 alunos, é “competitiva”. Mas para além dos profissionais como o Ricardo Santos e Hugo Santos, tem também formado muitas pessoas que trabalham atualmente na indústria do golfe.

Quanto ao futuro, Christopher Stilwell acredita que outros jovens do clube poderão seguir as pisadas de Ricardo Santos no European Tour. “Vamos ter outros jovens que vão seguir para o Challenge Tour e esperemos, a curto prazo, estejam no European Tour para lhe fazer companhia”, disse ainda.

Mais de 40 anos de história

O Clube de Golfe de Vilamoura foi constituído em 1969, aquando da inauguração do primeiro campo de Vilamoura. Entre os seus fundadores, sabe-se que estiveram pessoas de prestígio do golfe nacional como João Sobral Meireles, João António Côrte-Real, Nobre da Costa e José de Sousa e Melo.

Durante muitos anos o clube não foi mais que um conjunto de nomes conhecidos da vida política, empresarial e social portuguesa e estrangeira, com privilégios de jogos nos campos de Vilamoura. Era apenas mais uma forma da Lusotur realizar as suas relações públicas e não um clube propriamente dito, com atividades regulares e participações desportivas em provas oficiais.

Paralelamente existia em Vilamoura uma “golf society”, liderada por David Green, o diretor do campo de golfe nessa altura. Muito fechada sobre si mesma – era quase impossível ser admitido como sócio – a “golf society” era praticamente um feudo britânico, não resolvendo os problemas dos golfistas, principalmente dos portugueses que queriam jogar golfe ou iniciar-se na modalidade, integrados numa realização associativa.

Foi a partir de 1985, mais concretamente no dia 13 de junho, que se inicia o Clube de Golfe de Vilamoura, assim como a sua verdadeira atividade, começando a organizar competições internas de carácter regular e a desenvolver uma política de abertura ao exterior, quer na aceitação de novos associados, quer na participação em torneios do calendário oficial da Federação Portuguesa de Golfe.

Até 1990, ano em que se realizaram as primeiras eleições, o Clube foi gerido por uma Comissão Instaladora constituída por Júlio Baptista Coelho, José da Cunha Motta e David Green.

Hoje é Christopher Stilwell o Presidente do Clube de Golfe de Vilamoura e já passaram pelas escolas deste Clube nomes como Ricardo Santos e Hugo que já participaram em diversas competições nacionais e internacionais.

São assim vários os títulos nacionais que os alunos da Escola de Golfe têm alcançado ao longo dos anos, desde Campeão Nacional Absoluto, a Campeão Nacional Sub-18, Sub-16, Sub-14, Sub-12 e Sub-10, entre outros.

O Clube de Golfe de Vilamoura alcançou este ano o título de Campeão Europeu de Clubes, sendo a equipa vencedora formada pelos jogadores João Carlota, Gonçalo Pinto e Nathan Brader, o seu treinador, Joaquim Sequeira e o seu capitão, Jorge Batista.

Por: Município de Loulé

Categories: Desporto, Loulé

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.