Tavira

Nobre Casa de Cidadania homenageia 12 cidadãos autores de atos nobres

2.ª Cerimónia de Atribuição de Louvores

nobre_casa

Em representação dos valores de Altruísmo, Desprendimento e Carácter, a Nobre Casa de Cidadania realizou no passado sábado dia 14 de dezembro a segunda Cerimónia de Atribuição de Louvores reconhecendo e homenageando mais 12 cidadãos autores de Atos Nobres.

Criada com o objetivo de identificar, reconhecer e distinguir Atos Nobres praticados pelos cidadãos, prestando-lhes homenagem através de Distinções Honoríficas, a Nobre Casa de Cidadania é um projeto de sensibilização para a Cidadania que assenta na premissa da promoção do exemplo individual como acelerador da melhoria cívica do indivíduo e da sociedade.

Na presente cerimónia foram reconhecidos 12 cidadãos, provenientes de norte a sul do país, cada um com atos de altruísmo, em benefício de terceiros, ausentes de qualquer interesse pessoal, e que de alguma forma refletem o caráter de quem os praticou, bem como integridade, honra e humanidade.

Descubra os atos de cada um dos agraciados da 2ª Cerimónia de Atribuição de Louvores da Nobre Casa de Cidadania:

#1 Afonso Eduardo 

Fundou em fevereiro do ano 2000 um centro social que, até ao final de 2013, apoiou mais de 400 famílias carenciadas residentes entre Setúbal e o Vale da Amoreira. Funciona como um centro social de acolhimento e é, ele mesmo, o reflexo do humanismo de quem o fundou.

Localidade: Alhos Vedros

#2 Alexandre Moreira

Agiu no momento certo, sem hesitar, e com coragem e determinação mergulhou no Rio Tejo para salvar uma vida. Uma criança de três anos que estava a ser levada pela corrente numa tarde de verão do ano de 2010. Um ato destemido que é um exemplo a seguir e que demonstra bravura e humanismo.

Localidade: Chamusca

#3 António Martins

Intercetou com a sua própria viatura, no dia 28 de outubro de 2013, em Vila Verde, um veículo descontrolado que descia rua abaixo com uma criança no seu interior. Um ato que revela a força de caráter de quem abraça o dever moral de ajudar o próximo e que foi feito com coragem e espírito abnegado.

Localidade: Algueirão

#4 Carlos Pinto

Carlos Pinto

Carlos Pinto

Fundou, em agosto de 2011, o projeto “Amigos da Alegria”, que promove atividades de caráter social, cultural aos utentes do Lar da Fundação Irene Rolo que contribuem para “rejuvenescer” quem delas beneficia. Um ato desvinculado de qualquer interesse pessoal que reflete princípios e força de carácter e que nos faz lembrar que um Ato Nobre é também, ou primeiro de tudo, um ato de amor para com outros.

Localidade: Tavira

#5 Elsa Caires

Voluntária da Associação Conversa Amiga conseguiu, com persistência e dedicação, ajuda médica para uma pessoa sem-abrigo, tendo acompanhado e vigiado todo o processo de tratamento ao longo de 2013. Um auxílio prestado com dedicação e perseverança motivado por um coração generoso.

Localidade: Lisboa

#6 Emídio Almeida

Ainda na adolescência, demonstrou a maturidade, o humanismo e a bravura necessários para salvar destemidamente, pelo telhado de uma casa, uma família inteira, cinco vidas, durante as cheias que assolaram a freguesia de S. Nicolau, em Santarém, há cerca de 35 anos. Um ato que é um reflexo de grande coragem, determinação e altruísmo.

Localidade: Santarém

#7 Hugo Martins

Voluntário da Associação Conversa Amiga, ajuda pessoas sem-abrigo na zona de Lisboa, levando-lhes uma mensagem de esperança e garantindo que têm acesso  a cuidados básicos de saúde. Um ato que revela altruísmo, disponibilidade e dedicação ao bem-estar dos outros.

Localidade: Lisboa

#8 Maria Fernanda Santos

Mentora do projeto “Braga Solidária até à Medula”, que sensibilizou a população de Braga para a importância da doação de medula no tratamento da leucemia e de linfomas e que realizou ações de sensibilização e da recolha de fundos durante o ano de 2012. Um ato que revela dedicação a uma causa e que contribuiu para fazer de Braga a cidade com o maior registo de potenciais dadores de medula óssea do país.

Localidade: Braga

#9 Maria Filomena Alves

Apoia, há mais de 30 anos, famílias carenciadas na zona de Alferrarede Velha, distribuindo cabazes com alimentos e proporcionando transporte para a escola a crianças desfavorecidas. Um ato movido pelo coração que contribui para a melhoria das condições de vida de muitas famílias.

Localidade: Torre de Moncorvo

#10 Maria Gomes

Facultou a uma jovem melhores condições de vida e um novo motivo para sorrir, ao proporcionar-lhe os alicerces para que esta pudesse construir um seu caminho, independente e com futuro. Um ato que tocou a vida da jovem estudante de 20 anos, contribuindo também para que retomasse os estudos superiores.

Localidade: Santarém

#11 Mário Luís Mendes

Dedica diariamente os seus dias aos outros tendo fundado em 2007, após vários anos de voluntariado, a sua própria Associação Juvenil. TACE (Trilhar, Agir, Conseguir, Evoluir) é o reflexo de um homem que apesar do infortúnio da vida consegue dar o melhor de si à comunidade que o acolheu, apoiando e orientando jovens a encontrar novos e melhores rumos. Uma vida que reflete um espírito incansável de generosidade e dedicação aos outros.

Localidade: Carnaxide

#12 Raquel Gaspar

Participou no dia 7 de abril de 1999 na operação de salvamento da vida de um jovem roaz – espécie emblemática de golfinhos do Sado – que ficara encalhado num esteiro do Rio. Um ato movido pelo coração num dia em que a Raquel, de forma altruísta, acorreu ao local da operação de salvamento para se juntar à equipa e desempenhar um papel que se demonstrou essencial para manter os níveis de hidratação e o ritmo respiratório do golfinho.

Localidade: Lisboa

ENQUADRAMENTO II CERIMÓNIA DE ATRIBUIÇÃO DE LOUVORES

Salão Nobre dos Bombeiros Voluntários de Santarém

Sábado, 14 de dezembro, 11h

www.nobrecasadecidadania.pt

A Nobre Casa de Cidadania

  • A Nobre Casa de Cidadania tem como objetivo reconhecer e homenagear os cidadãos autores de Atos Nobres e através desses exemplos, estimular e motivar à Cidadania, contribuindo para a melhoria cívica do indivíduo e da sociedade;
  • Ao reconhecer estes atos, a Nobre Casa de Cidadania pretende divulgá-los e, pelo exemplo, transmitir às atuais e novas gerações o verdadeiro valor e significado de nobreza;
  • A Nobre Casa de Cidadania assume, assim, a sensibilização e educação para a cidadania como o seu objeto e pressuposto fundamental;
  • A Nobre Casa de Cidadania surge sob a mentoria da empresa-cidadã Nobre que percebeu a necessidade de distinguir e homenagear os bons exemplos, e exaltá-los através da sua divulgação.
  • A primeira cerimónia de atribuição de louvores realizou-se no dia 26 de outubro de 2013, no Salão Nobre do Comando Nacional da Polícia de Segurança Pública, em Lisboa.

Como surgiu

  • A Nobre Casa de Cidadania surgiu da necessidade identificada de reconhecer e distinguir Atos Nobres de cidadãos que são votados, na maior parte das vezes, ao esquecimento;
  • No período particularmente difícil em que vivemos, a Nobre Casa de Cidadania assume especial relevância na valorização da autoestima, confiança e determinação individual e coletiva, na mobilização para a cidadania e no fortalecimento do espírito e sentimento de pertença, ao mesmo tempo que contribui para reforçar os laços de união entre indivíduos e da própria nação;
  • A Nobre Casa de Cidadania foi pensada para prestar homenagem aos Atos Nobres dos cidadãos, perpetuando-os na memória coletiva e garantindo assim que todo o seu capital de educação seja preservado e potenciado;
  • Na Nobre Casa de Cidadania acreditamos que reconhecer um Ato Nobre praticado por outro, é um si um Ato Nobre.

Como funciona

  • Os cidadãos portugueses podem prestar o seu sentido reconhecimento por um Ato Nobre que tenham presenciado, de que tenham conhecimento ou de que tenham sido alvo;
  • Para isso, basta aceder a www.nobrecasadecidadania.pt e prestar a sua homenagem a alguém que fez algo tão especial, apresentando a proposta de um Ato para agraciação;
  • Serão homenageados também cidadãos estrangeiros residentes em Portugal;
  • A Nobre Casa de Cidadania conta com uma estrutura orgânica que avalia as propostas apresentadas e decide que Atos agraciar, em cerimónias ao longo do ano, com o Louvor – a principal forma de distinção da Nobre Casa de Cidadania. Anualmente, em fevereiro, será atribuído o Título de Cidadão Nobre;
  • A estrutura orgânica da Nobre Casa de Cidadania conta com um Conselho Institucional:

 

  • Autoridade Nacional para a Proteção Civil
  • Corpo Nacional de Escutas
  • Direção Geral Educação
  • Estado-Maior-General das Forças Armadas
  • Faculdade Teologia da Universidade Católica Portuguesa
  • Fundação para a Ciência e Tecnologia
  • Grace – Grupo de Reflexão e Apoio à Cidadania Empresarial
  • INEM – Instituto Nacional de Emergência Médica
  • Liga dos Bombeiros Portugueses
  • Plataforma Portuguesa das ONGs para o Desenvolvimento
  • Polícia de Segurança Pública

E conta também com uma Comissão de Honra

  • Professor António Barros Cardoso
  • Professor Doutor Daniel Serrão
  • General Loureiro dos Santos
  • Júlio Isidro
  • Doutor Manuel Sérgio
  • Padre Vítor Melícias
  • Pedro Bacelar de Vasconcelos
  • Rosário Farmhouse

Ato Nobre

  • Um Ato Nobre “é uma ação realizada em benefício de terceiros, ausente de qualquer interesse pessoal, refletindo o carácter de quem a pratica ao demonstrar integridade, honra e humanidade”;
  • Esta definição foi construída num processo de reflexão que contou com os contributos do Conselho Institucional e com o contributo dos Cidadãos (cerca de 900 cidadãos) representados pela comunidade da página de Facebook Portugal é Nobre e pelos colaboradores da Nobre.

Formas de agraciação

  • As distinções a conceder pela Nobre Casa de Cidadania podem assumir a forma de Louvor e também, escolhidos entre estes, o Título de Cidadão Nobre.
  • Os Louvores são a principal forma de distinção da Nobre Casa de Cidadania e são também condição necessária, mas não suficiente, para atribuir o Título de Cidadão Nobre. O Título de Cidadão Nobre distingue a excecionalidade entre os Atos Nobres.
  • Em ambos os casos, os cidadãos estrangeiros residentes em Portugal poderão também ser agraciados com o Louvor Honorário e, entre esses, com o Título de Cidadão Nobre Honorário;
  • Depois de submetidas as propostas para agraciação por parte dos cidadãos, o Conselho Institucional da Nobre Casa de Cidadania fará uma seleção dos Atos que serão agraciados com Louvores;
  • O mesmo Conselho Institucional fará, novamente, uma seleção dos Louvores atribuídos, propondo-os à Comissão de Honra que decidirá quais receberão o Título de Cidadão Nobre;
  • Em suma, o Conselho Institucional decidirá sobre a atribuição de Louvores que serão entregues em cerimónias ao longo do ano. E a Comissão de Honra irá tomar a decisão relativamente à entrega do Título de Cidadão Nobre.

Por: Município de Tavira

Categories: Tavira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *