Faro

Faro 1540 pede ao Reino Unido devolução de biblioteca saqueada pelo conde de Essex no Séc. XVI

A “FARO 1540″ torna pública a moção que foi aprovada por unanimidade e aclamação na sua última Assembleia-Geral da associação, realizada no passado dia 17 de dezembro, onde é pedida a devolução a Faro da biblioteca do Bispo do Algarve – D. Fernando Martins Mascarenhas, que foi confiscada aquando do saque protagonizado pelo corsário Inglês, conde de Essex, em Julho de 1596.

Contamos que com esta ação se inicie o processo para a devolução a Portugal e à cidade de Faro deste importante património.

A Secretária-Geral da Direcção da FARO 1540, Idália Sebastião

faro1540

MOÇÃO

Pedido de devolução da Biblioteca do Bispo do Algarve D. Fernando Martins Mascarenhas

A cidade de Faro, capital administrativa do Algarve, tem sido ao longo dos séculos um importante centro de cultura e conhecimento da região algarvia. Dona de um importante património cultural, Faro (antiga Ossónoba) evoca com orgulho a memória de Samuel Gacon e da sua oficina tipográfica, onde em 1487 deu à estampa o Pentateuco, possivelmente o primeiro incunábulo impresso em Portugal.

Em Julho 1596, Robert Devereux, conde de Essex, protagonizou um dos mais negros episódios da história da nossa cidade ao saquear e incendiar Faro. Foi no decurso deste triste incidente, que mancha a memória das boas relações que Portugal mantêm com a Inglaterra desde a assinatura do tratado de Windsor (1386) que o conde de Essex confiscou a valiosa biblioteca do Bispo do Algarve, D. Fernando Martins Mascarenhas.

Em 1600 Robert Devereux doou ao seu amigo Thomas Bodley este valioso espólio o qual se encontra depositado na Bodleian Library da Universidade de Oxford desde a sua inauguração em 1602. Constituída por 65 títulos (num total de 91 volumes) a Biblioteca do Bispo D. Fernando de Mascarenhas representa, juntamente com o único exemplar remanescente do Pentateuco, que se encontra na British Library, um dos mais importantes tesouros culturais farenses.

Nesse sentido, e considerando o valor histórico, cultural e simbólico que a Biblioteca de D. Fernando Martins Mascarenhas e o Pentateuco, possuem para Faro e para a população algarvia, a FARO 1540 – Associação de Defesa e Promoção do Património Ambiental e Cultural de Faro (possuidora do estatuto de ONG – Organização Não Governamental de património e ambiente) reunida em Assembleia-Geral, deliberou, solicitar junto dos digníssimos representantes do governo britânico e da Universidade de Oxford, a devolução deste património cultural de inestimável valor.

Estamos certos de que as autoridades britânicas saberão reconhecer a justiça da nossa pretensão e que farão justiça a um país amigo (onde vigora entre os dois países a mais antiga aliança diplomática do mundo) e a uma cidade que se orgulha da sua história milenar e do seu contributo para a cultura portuguesa e europeia.

Esta moção foi enviada ao Governo Britânico, Palácio de Buckingham, Embaixada britânica em Portugal, Universidade de Oxford, Secretário de Estado da Cultura de Portugal, Câmara Municipal de Faro, Bispo do Algarve e órgãos de comunicação social.

Por: Faro 1540 – Associação de Defesa e Promoção do Património Ambiental e Cultural de Faro

Categories: Faro

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.