AGENDA

Exposição de Artes Visuais “Mapland” | 28 fevereiro a 19 abril

Inauguração da exposição MAPLAND de MARIANA MADEIRA no dia 20 de fevereiro, pelas 18.30h, na Galeria Trem, em Faro.

cartaz

Patente: 20 de fevereiro a 19 de abril de 2014

Horário: terça a sábado das 10h30 às 17h00

MAPLAND é uma exposição da artista Mariana Madeira integrada no seu projecto de investigação para o Mestrado em Comunicação Cultura e Artes (FCHS-UAlg) e desenvolvido, parcialmente, durante o seu estágio de investigação no Centro Nano (EBA-UFRJ) do Rio de Janeiro. Nesta apresentação na galeria Trem em Faro, presenciamos a terceira fase de um trabalho que foi iniciado e exposto parcialmente no Brasil e que constituirá, na sua totalidade, a materialização de uma cidade estranha que coincide com o seu mapa.

A artista mostra um conjunto de quatro máquinas que produzem actividades que evocam os elementos naturais (água, terra, ar e fogo) e que “definem um sistema que funciona segundo uma tecnociência”, por si inventada, e com “organismos potencialmente conectados com o mundo de uma nova maneira”. Os dispositivos movidos a energia eléctrica geram fenómenos físico-químicos que produzem, por sua vez, diversos movimentos que criam novos desenhos, numa actividade incessante de produção de cartografias egnimáticas.

Esta investigação artística incide sobre uma recolha arquelógica singular de um território real, sobre a organização da cidade e sobre as suas hierarquias e a sua cartografia. Reflete ainda sobre as experiências sensoriais da artista, destacando-se neste caso, a relação com os factores meteorológicos. A título de exemplo a artista refere que a construção da “máquina do ar” tem como referência a vivência no Rio de Janeiro do temporal de dia 5 de Março de 2013 em que foi marcante “a luz dos raios que ocupavam o céu, e o modo como ela influenciava as cores do “concreto”, ou seja, a superfície de betão de que é feita a cobertura da maioria dos edifícios”.

Em MAPLAND, Mariana Madeira parte das memórias recolhidas no saber e nas vivências das cidades, cria a sua “ilha” e sobretudo prossegue a afirmação da sua identidade como artista. A partilha dessa experiência com o espectador advém de uma  aposta na dimensão universal do projeto e, através da sua pesquisa, que cruza a dimensão imaginativa e poética com a dimensão científica, abre caminhos para a criação de outros significados para o mundo.

SOBRE A ARTISTA:

Mariana Madeira nasceu em Portugal no ano de 1986. Em 2005 iniciou a sua licenciatura em Artes Visuais na Universidade do Algarve e participa em 2008 no 3º Prémio de Pintura Banif na Sociedade Nacional de Belas Artes. Frequentou a Akademie der Bildenden Künste, em Munique, tendo aí oportunidade de expor por duas vezes e em Amesterdão participa na exposição “Levitaria” na W139 Galerie com a peça “Die Krypta von W139”. Em Portugal continua a expor em várias localidades do Algarve onde ganha o 1º Prémio “Infante” no Centro Cultural de Lagos, com a peça “(Passagem) – Mudança de um território”. No ano 2011 participa em Berlim no projecto “Symposium: Failure” e em Barcelona no “Festival Loop”.

Depois de concluida a Licenciatura e a Pós-graduação em Artes Visuais e Performativas , prossegue também na UAlg o Mestrado em Comunicação, Cultura e Artes. Aqui inicia um projeto que aborda as temáticas do território e dos seus limites que se prolonga numa pesquisa na Universidade Federal do Rio de Janeiro, onde integra a equipa de investigadores-artistas do laboratório NANO, coordenado pelo artista e professor Guto Nóbrega. Nessa cidade realizou uma exposição individual intitulada “Mapping” no Espaço Vórtice. Seguidamente expõe uma das suas peças “There’s not some other world… Just this rock” no Centro Cultural Sérgio Porto e depois destas duas exposições no Rio de Janeiro, participa em Nova Friburgo na exposição “Espectros Contemporâneos” com a  vídeo-instalação “Survival Conditions” que depois também apresenta no Centro Cultural Hélio Oiticica.

Em agosto de 2013, regressa a Portugal para concluir o seu projecto de  investigação para mestrado, começando a estabelecer novas relações entre tecnologias multimedia e ideias artísticas.

(no texto todas as citações são da dissertação de Mariana Madeira, “ANTI-MAPPING” )

Curadoria de Xana (Artes Visuais – FCHS / UAlg)

FICHA TÉCNICA:

PROGRAMAÇÃO:            Artes Visuais / FCHS / UAlg

APOIO E PROMOÇÃO:   CIAC/FCT

ORGANIZAÇÃO:              Museu / Câmara Municipal de Faro e UAlg

AGRADECIMENTOS:

. Professor Guto Nobrega e Centro Nano (EBA-UFRJ) do Rio de Janeiro

. Professora Renata Araujo (coorientadora de Mestrado)

. Professores da Licenciatura em ARTES VISUAIS – UALG ( Fernando Amaro, Mirian  Tavares, Pedro Cabral Santos, Rui Sanches, Susana de Medeiros e Tiago Batista)

. Instituto Superior de Engenharia – ISE – UAlg (Nuno Portela, António Costa e Prof. Isménio Martins)

Galeria TREM

Licenciatura em Artes Visuais (secretariado: Gabriela Nunes)

Universidade do Algarve

Campus da Penha – Estrada da Penha

CIAC – Centro de Investigação em Artes e Comunicação (Isa Mestre)

FCHS, Universidade do Algarve

Campus de Gambelas

tel: 289 800 900 ext:7541

Alexandre Barata

Professor Auxiliar Convidado

Subdirector da Licenciatura em Artes Visuais

Departamento de Línguas, Comunicação e Artes

Faculdade de Ciências Humanas e Sociais

Universidade do Algarve

Campus da Penha – Estrada da Penha

Categories: AGENDA, Faro

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.