Algarve

Está Concluído o Desafio “Algarve Há Vela”!

João Pinto, paraplégico com lesão medular desde há dois anos, percorreu a costa algarvia a bordo de uma embarcação à vela, este fim-de-semana de Páscoa 17 e 20, com o objectivo de promover a prática da vela adaptada para pessoas com deficiência. O objetivo da Vela Adaptada é promover a prática da vela a pessoas portadoras de deficiência, criando condições materiais e humanas à acessibilidade e integração social dos seus praticantes, com relevo especial à formação de todos os interessados e seus acompanhantes.

Comparativamente com a vela tradicional, os barcos de vela adaptada têm de ser mais seguros e não podem virar. A prática da modalidade exige um menor esforço físico, mas em termos teóricos, técnicos e tácticos é muito semelhante à vela tradicional.

A vela torna-se então uma oportunidade privilegiada de obter (ou manter) uma relação com os desportos aquáticos e o mar. As dificuldades existem, evidentemente, mas o voluntarismo e a vontade tudo ultrapassam.

No âmbito do Projecto Vela Solidária e na sequência do início da atividade da Escola de Vela Adaptada, em 2013 – tendo como objetivo proporcionar a participação em regatas inseridas nos quadros competitivos nacionais e internacionais – João Pinto aceitou o desafio e lançou-se na aventura.

Nas palavras do João, “considero que nasci para o desporto. É por isto que gosto de viver. Este é um desafio que quero concretizar para sensibilizar e promover a vela adaptada a pessoas com deficiências”.

Veja abaixo o resumo dos três dias.

Lagos – Albufeira:

João Pinto levantou vela por volta das 10h00 na Marina de Lagos – onde embarcou para o desafio acompanhado de várias embarcações. O trajecto até Portimão foi tranquilo, com vento constante e a uma velocidade média de 4 nós.

Já à chegada o vento abrandou e o João foi “obrigado” a remar para chegar a terra para a pausa prevista na Marina de Portimão. Várias pessoas receberam o atleta e a Vela Solidária que contou, mais uma vez, com o apoio do Hotel Tivoli neste pequena pausa.

A partida de Portimão foi por volta das 14h, tendo o João velejado a uma média de 4 nós até Armação de Pera onde o vento baixou um pouco, diminuindo a velocidade do 303. Ao largo de Albufeira tivemos uma recepção de luxo com alguns veleiros e catamarans a receber o Pinto e a acompanhar a entrada na Marina de Albufeira, a qual se deu pelas 18h00. Pelas 19h00 foi dada a conferência de imprensa no Marina Yacht Clube de Albufeira, onde falou o Luis Brito – fundador do projecto Vela Solidária -, o João Pinto e Carlos Urtigueira – presidente da Associação Regional de Vela do Sul.

Albufeira – Faro:

No segundo dia de “Algarve Há Vela” a parte da manhã foi bastante tranquila com chegada a Vilamoura dentro do tempo previsto e com condições favoráveis.

Em Vilamoura o João Pinto foi recebido pelo Presidente da Câmara Municipal de Loulé, Vítor Aleixo, pelo Adjunto do Presidente, Carlos Carmo e ainda pelos membros do CIMAV (Clube Internacional da Marina de Vilamoura).

Na parte da tarde, no percurso Vilamoura-Faro registou-se um aumento da velocidade do vento o que levou a verdadeiros momentos de adrenalina para o Pinto, chegando a Faro com vento de sudoeste, a 32 nós constantes e com rajadas de 36 nós.

Foram alguns momentos complicados mas o João superou o desafio e chegou a Faro cansado mas com boa disposição.

A chegada a Faro deu-se dentro da normalidade tendo culminado com a habitual conferência de imprensa.

Faro – Tavira:

O terceiro e último dia de “Algarve Há Vela” foi marcado pelo mau tempo e pelas difíceis condições atmosféricas.

Foi uma partida difícil, não só pela localização – é sempre bastante complicado sair de Faro – mas, acima de tudo, pelas condições metereológicas que o João encontrou neste Domingo de Páscoa.

A segurança do João vem primeiro e, infelizmente, as condições meterológicas não permitiram chegar a Vila Real de Santo António, tendo a aventura terminado em Tavira.

Foi um dia difícil, com pouco vento da parte da tarde, muita chuva e ondulação de cerca de 2 metros – condições extremas para um Access 2.3!

Como nos disseram, “o bom senso faz parte do caráter dos grandes vencedores”!

Tudo terminou bem e o João, apesar das condições extremas, continua com boa disposição e pronto para outra aventura!

Por: Equipa Vela Solidária

Categories: Algarve, Desporto

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.