Loulé

Câmara Municipal de Loulé aprova proposta contra encerramento de escolas no concelho

A Autarquia de Loulé manifestou hoje o seu descontentamento relativamente ao encerramento previsto para o ano letivo de 2014-15 das Escolas do Areeiro (S. Clemente), Cortelha (Salir), Escanxinas (Almancil) e Querença, através da aprovação de uma deliberação camarária onde expressa o empenho pela “continuidade do funcionamento das mesmas”.

Paços do Concelho de Loulé - foto Jorge Matos Dias / PlanetAlgarve

Paços do Concelho de Loulé – foto Jorge Matos Dias / PlanetAlgarve

Segundo o documento votado unanimemente pelos vereadores, “o encerramento de tais escolas traduzir-se-á num claro prejuízo para os interesses locais e para os pais e encarregados de educação dos alunos”. Para os responsáveis municipais, esta decisão do Governo central atende apenas a “razões economicistas, de cortes cegos ao nível da educação” e não tem por base qualquer fundamento pedagógico.

Por outro lado, o executivo municipal é da opinião que esta medida levará a uma concentração de alunos em espaços que, neste momento, já se encontram sobrelotados, conduzindo “à degradação da qualidade do ambiente de aprendizagem e da própria educação” no Concelho. Isto porque a grande maioria dos alunos será integrada no Centro Escolar de Vale de Rãs e EB1 nº2 de Almancil, estabelecimentos de ensino que, no presente ano letivo, albergam já perto de 300 alunos.

Mas para os responsáveis da Câmara, para além dos alunos, também o corpo docente e funcionários destes centros escolares sairão prejudicados com esta medida que visa encerrar mais um serviço público fundamental para os cidadãos, em particular para os alunos que vivem em zonas marcadas pela interioridade e longe dos centros urbanos.

Outro dos pontos focados na proposta apresentada em sessão camarária que, segundo os responsáveis municipais trará prejuízos para o Concelho, diz respeito à necessária alteração do programa de transportes escolares para o próximo ano letivo, que já tinha sido aprovado, e ao aumento significativo dos custos com os mesmos, já que será necessário transportar alunos em percursos mais longos.

Refira-se que, segundo este documento, os diretores dos agrupamentos de escolas de que fazem parte estas quatro escolas – Agrupamento de Escolas Padre João Coelho Cabanita e Agrupamento de Escolas de Almancil – são favoráveis à continuidade daqueles estabelecimentos de ensino. Também as associações de pais e encarregados de educação manifestam claramente uma opinião favorável à continuidade do funcionamento das escolas.

Para além destas quatro escolas, está previsto ainda o encerramento da atual Escola da Fonte Santa. Mas, neste caso, entrará em funcionamento já no próximo ano letivo o novo Centro Escolar neste local.

Por: Município de Loulé

Categories: Loulé

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.