AGENDA

Voz de topo da literatura da guerra colonial | Escritor João de Melo apresenta “Discursos Diretos” na Biblioteca Municipal de Loulé | adiado para data a confirmar

João de Melo, escritor de topo e referência da literatura da guerra colonial, vai estar em Loulé na próxima segunda-feira, dia 2 de junho, pelas 21h30, para o seu “discurso direto” no Auditório da Biblioteca Municipal Sophia de Mello Breyner Andresen. O escritor será apresentado por Ana Bela Conceição, professora da Escola Dr.ª Laura Ayres, que modera também o debate que se segue à intervenção do escritor.

João de Melo

João de Melo

Largamente premiado e traduzido, João de Melo é nome grande da geração literária portuguesa que irrompeu após o 25 de Abril, deixando marca logo em 1977, com o romance “A Memória de Ver Matar e Morrer”, memória de guerra que em posterior reedição, em 1984, receberia o título “Autópsia de Um Mar de Ruínas”. Esta obra, que sinaliza a dramática experiência portuguesa em África, é indissociável da recolha antológica de 1988, “Os Anos da Guerra – 1951-1975. Os Portugueses em África. Crónica, Ficção e História”, que colocou João de Melo na galeria dos autores nacionais de referência.

Natural dos Açores, João de Melo foi professor, editor e crítico literário. A sua consagração definitiva como escritor ocorreria também nesse ano de 1988, com a obra “Gente Feliz com Lágrimas”, por certo o seu livro mais emblemático mas já fora do tema colonial, e com o qual recebeu o Grande Prémio de Novela e Romance da Associação Portuguesa de Escritores. Receberia ainda o Prémio Eça de Queiroz/Cidade de Lisboa, Prémio Cristóvão Colombo (Capitais Ibero-americanas), Prémio Fernando Namora, Prémio Antena 1, Prémio «A Balada» e Prémio Dinis da Luz. Antes, em 1983, já tinha surpreendido a crítica e despertado o interesse internacional com outra obra marcante – “O Meu Mundo Não É Deste Reino”.

João de Melo tem a sua obra traduzida em Espanha, Itália, França, Holanda, Roménia, Bulgária, Estados Unidos, Hungria, Alemanha, Reino Unido, Sérvia e México.

“Gente Feliz com Lágrimas” foi adaptado ao teatro pelo grupo O Bando, e a telefilme e a série de televisão pelo realizador José Medeiros.

Refira-se que João de Melo foi por largos anos conselheiro cultural da Embaixada de Portugal em Madrid, numa altura em que a política externa cultural portuguesa visou colocar nomes maiores da Cultura em capitais-chave (Eduardo Prado Coelho e Nuno Júdice em Paris, Eduardo Lourenço em Roma, por exemplo).

João de Melo segue-se a Pepetela e Carlos Vale Ferraz, quando estão anunciadas as próximas vindas a Loulé (com sessões repartidas entre a Biblioteca Sophia de Mello Breyner Andresen e Escolas ou Associações) até final do ano, de Raquel Varela, Manuel Alegre, Mário de Carvalho, Inês Pedrosa e Luís Castro Mendes entre outros. O programa “Discursos Diretos” da Biblioteca Municipal de Loulé insere-se nas iniciativas levadas a cabo pela Comissão Concelhia para as Comemorações dos 40 Anos do 25 de Abril.

Ainda no âmbito desse programa, João de Melo vai estar no dia 3 de junho (terça-feira), pelas 11h00, no Colégio Internacional de Vilamoura, para um encontro com professores e alunos.

Como vem sendo habitual, João de Melo, no final da sessão na Biblioteca Sophia de Mello Breyner Andresen, autografa obras suas que estão em banca à disposição dos interessados.

Por: Município de Loulé

Categories: AGENDA, Loulé

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.