Desporto

GOLFE | Calvin Holmes (CG Vilamoura) Campeão Nacional Sub-12

Maria Sá, Leonor Medeiros, Tomás Lopes e Calvin Holmes são os novos Campeões Nacionais, vindos de quatro clubes diferentes, respetivamente, Bica CG, Quinta do Peru G&CC, Quinta do Fojo e CG Vilamoura

Maria Sá e Tomás Lopes, no escalão etário de sub-10, e Leonor Medeiros e Calvin Holmes, no de sub-12 sagraram-se campeões nacionais de jovens, numa primeira experiência deste “Major” do golfe português no novo campo público do Jamor.

O Centro Nacional de Formação de Golfe da Federação Portuguesa de Golfe, no Estádio Nacional, em Oeiras, foi uma das estrelas da edição deste ano do Campeonato Nacional de Jovens Sub-10 e Sub-12, disputado nos últimos dois dias. A partir de hoje (quarta-feira) o torneio prossegue no Clube de Campo da Aroeira, com os escalões de Sub-14, Sub-16 e Sub-18.

Como explicou Luís Costa Macedo, diretor do Golfe do Jamor, «é um campo adequado a estas idades, porque fazem muitos pares, muitos birdies, tem as distâncias ideais para estes escalões, com buracos de Par-4 de 300 metros, um Par-5 comprido em que alguns conseguem chegar ao green em 2 pancadas, dependendo do vento. Os jogadores gostam de fazer pares e birdies, o campo ajuda-os a fazerem um bom resultado e é isso que nós queremos que eles façam».

Qualquer um dos quatro jogadores elogiou o campo nas entrevistas que concederam ao programa “Golf Report” da SIC Notícias e também ao site oficial da FPG, com Tomás Lopes a especificar que «nem é fácil, nem difícil, é muito bonito, tem as suas dificuldades», Calvin Holmes a manifestar «agrado pela rapidez e boa condição dos greens», Leonor Medeiros sublinhou o facto de ser «um campo bonito que, sendo pequeno, não é muito fácil», enquanto Maria Sá, como explica o seu pai e treinador, António, «vem com a irmã (gémea) aqui treinar esporadicamente, porque é um bom campo para elas, mas residem longe, em Belmonte e não é possível com frequência».

Manuel Agrellos, o presidente da FPG, declarou-se «maravilhado pelo ambiente vivido». Num dia em que foi anfitrião no Jamor de presidentes de outras federações desportivas nacionais, Manuel Agrellos recebeu elogios pela quantidade de crianças presentes, num total de 69 participantes, naturalmente acompanhados por familiares e treinadores.

Mas para além do torneio e dos habituais utentes do Centro Nacional de Formação de Golfe, realizou-se ainda, em simultâneo, a habitual Clínica de Férias do Golfe do Jamor, com crianças que, de segunda a sexta-feira, ali demandam para aprender a modalidade, às quais se juntaram algumas dezenas de professores de educação física e desporto, que têm optado pela formação em golfe no programa do Desporto Escolar.

Foram, portanto, dois dias de grande afluência, em que se viveu e respirou golfe, mostrando a pertinência daquela infraestrutura inaugurada há um ano e pela qual a FPG lutou durante mais de duas décadas.

Êxito quantitativo e qualitativo

Este Campeonato Nacional de Jovens foi um sucesso quantitativo (69 participantes) e qualitativo. Dados recolhidos pelo diretor-técnico nacional, João Coutinho, mostram algumas informações importantes: «O praticante mais novo tinha 6 anos (o mais velho, naturalmente, 12), o handicap médio dos sub-10 foi de 33 e nos sub-12 de 18.6, tendo havido um aumento de inscritos nos sub-12 em relação a 2013».

A competitividade foi enorme, sobretudo nos Sub-10. Maria Barroso Sá – que sucedeu no palmarés à sua irmã gémea, Sofia, campeã em 2013 no Oporto Golf Club – venceu com apenas 2 pontos stableford gross de diferença em relação a Ana Costa Rodrigues. E note-se que Maria, 4.ª no ano passado, veio bem de trás, pois era a 5.ª no final do primeiro dia (9 buracos para os sub-10), a 3 pontos da líder, a sua irmã. Também Tomás Mondim Lopes partiu para os últimos 9 buracos na 3.ª posição, a 1 ponto do comandante, Alberto Costa Marques, mas no segundo dia triunfou sobre esse adversário igualmente por 1 único ponto!

Nos Sub-12, onde cada volta já foi de 18 buracos e jogou-se em stroke play (pancadas e não pontos), Leonor Medeiros era 2.ª no final do primeiro dia a 1 pancada de Rebeca Silveira Pinto, mas acabou por superiorizar-se por 4 shots.

Só o sul-africano residente em Portugal desde os 5 anos, Calvin Holmes, venceu à vontade. Vencedor nos Sub-10 em 2012 no Montado, conquistou o seu segundo título de campeão nacional, agora no escalão seguinte, provando o favoritismo que lhe era atribuído à partida. No final da primeira volta, tinha 4 pancadas de vantagem sobre Daniel da Costa Rodrigues e triunfou com menos 8 do que Alexandre Castelo e Daniel Rodrigues.

Resultados

Os resultados principais do Campeonato Nacional de Jovens de Sub-10 e Sub-12, disputado no Centro Nacional de Formação de Golfe da FPG, no Jamor, foram os seguintes:

Sub-10 Femininos

1.ª Maria Sá (Bica Clube de Golfe), 19 pontos stableford gross (6+13), 19 acima do Par

2.ª Ana Rodrigues (Citynorte), 17 (6+11), +20

3.ª Sofia Sá (Bica Clube de Golfe), 16 (9+7), +21

Sub-10 Masculinos

1.º Tomás Lopes (Quinta do Fojo), 27 pontos stableford gross (12+15), 10 acima do Par

2.º Alberto Marques (Miramar), 26 (13+13), +11

3.º Ricardo Serpa (Aroeira), 24 (10+14), +12

Sub-12 Femininos

1.ª Leonor Medeiros (Quinta do Peru), 149 pancadas (76+73), 13 acima do Par

2.ª Rebeca Pinto (Quinta do Fojo), 153 (75+78), +17

3.ª Maria Alves (Quinta do Fojo), 162 (83+79), +26

Sub-12 Masculinos

1.º Calvin Holmes (Vilamoura), 133 pancadas (65+68), 3 abaixo do Par

2.º Alexandre Castelo (Vilamoura), 141 (69+72), +5*

3.º Daniel Rodrigues (Miramar), 141 (69+72), +5*

* Desempate decidido pelos melhores 27 últimos buracos.

Os campeões e declarações

Maria Barroso Sá – 10 anos – Bica Clube de Golfe (Belmonte)

2.ª Participação no Campeonato Nacional de Jovens de Sub-10 (4.ª em 2013)

«É uma grande vitória, foi muito difícil, pensava que iria ganhar a minha irmã. Na primeira volta fiquei triste porque tinha feito poucos pontos, já nesta volta fiquei feliz… mais pelos putts».

António Sá (pai e treinador): «Residimos em Belmonte onde não há muitas atividades para o sexo feminino. Eu comecei a jogar primeiro e menos de um ano depois, tinham elas 7 anos, levei-as pela primeira vez. Esta vitória foi uma surpresa porque ela é inconstante, tanto faz um bom jogo como tem dias menos bons. Assim, quando não se está à espera, é mais saboroso. O Jamor é fantástico para os jovens. Elas estão habituadas a treinar sozinhas e por isso procuro vir aqui quando possível porque há sempre crianças e elas podem ter mais companhia para jogar. A nível de jogo curto e drive treino bem com elas mas o green não está nas devidas condições. Já este aqui é muito bem. O swing é o ponto forte da Maria, roda muito bem».

Tomás Mondim Lopes – 10 anos – Golfe da Quinta do Fojo (Vila Nova de Gaia)

3.ª participação no Campeonato Nacional de Sub-10 (5.º em 2013)

«Era a última oportunidade que tinha (nos Sub-10), tinha de dar tudo por tudo. Não foi nada fácil porque o Alberto estava a pressionar-me muito, ele é um grande jogador, eu estava a perder por 1 no início, depois ficámos empatados, depois fiquei a ganhar por 1 mas ele empatou outra vez, mas eu consegui ficar de novo a ganhar por 1 até chegar ao último buraco. Nos últimos 6 buracos, como estava a ganhar por 1, em vez de arriscar com a madeira, comecei a sair para o meio. Fiquei muito contente com o resultado de 15 gross porque 12 tinha sido o meu máximo em 9 buracos, em Vale Pisão e no Fojo, então, 15 gross foi uma coisa abismal, que nunca pensei. Comecei a jogar golfe aos 3 anos porque o meu pai já jogava».

Patrícia Brito e Cunha (treinadora): «É um miúdo muito maduro. Tem registado tudo o que faz, onde joga, onde vai jogar, que objetivos tem para todos os torneios. Gosta de treinar com os mais velhos no Fojo e como é simpático e muito social, deixam que vá com eles. Está sempre muito atento ao que lhe dizem, vê onde os mais velhos colocam a bola e tem uma grande noção estratégica do jogo. Foi o que fez hoje bem. Tem muita cabeça».

Leonor Medeiros – 11 anos – Quinta do Peru Golf & Country Club (Azeitão)

1.ª Participação no Campeonato Nacional de Sub-12

2 Participações no Campeonato Nacional de Sub-10 (vice-campeã em 2012 e 2013)

«No primeiro dia não estava a bater bem com os ferros e no shot ao green, no segundo dia melhorei isso mas não patei muito bem. Mas hoje joguei bastante bem e estou contente. Já tinha a experiência de no ano passado ter empatado (foi vice-campeã no sistema de desempate porque teve os mesmos pontos da campeã, Sofia Sá) porque estava nervosa e então, hoje, pensei em vir tranquila, muito motivada. Comecei a jogar golfe com o meu pai».

Cláudia Dantas (treinadora): «É uma menina muito especial e determinada. Estava obcecada em ser campeã nacional. Mostra em campo uma maturidade que nem parece ter a idade que tem. É muito competitiva e muito trabalhadora como vejo nos rapazes mas poucas vezes nas raparigas. Ando há mais de seis meses a trabalhar com ela o jogo curto, porque o seu swing é espetacular e o importante é não deixá-lo fugir. Tem uma ótima cabeça, começámos a treinar há dois anos, ela veio do Montado (Juve Golf) e tem evoluído imenso».

Calvin Holmes – 12 anos – Clube de Golfe de Vilamoura

2.ª Participação no Campeonato Nacional de Sub-12 (3.º em 2013)

Campeão nacional de Sub-10 em 2012

«Comecei no primeiro dia com uma série de birdies, o jogo depois morreu um pouquinho no final da volta, mas foi um bom dia. Hoje tentei mais fazer muitos pares. Foi uma vitória difícil porque, mentalmente, senti a pressão de liderar no final do primeiro dia e tecnicamente nem todos os shots foram como eu queria. Os meus pontos fortes são o driver e o putt, mas sou melhor nos putts longos. Às vezes falho os curtos. Comecei a jogar golfe quando viemos da África do Sul para Portugal, eu teria uns 5 anos, mas só comecei a entrar em torneios aos 7».

Hugo Santos (treinador): «É a primeira vez que acompanho uma equipa de Vilamoura num Campeonato destes e a responsabilidade é maior do que quando jogava pelo clube. O Calvin tem um treinador (José Ferreira, da Quinta do Lago), mas integra as equipas de Vilamoura e vai aos treinos do Joaquim Sequeira aos fins de semana durante o ano escolar e às quartas e sextas no verão. O pai é sul-africano e estão a tentar que o Calvin tenha dupla nacionalidade. Do pouco que conheço dele, para a idade que tem, é um jogador muito completo tecnicamente e fisicamente superior. É um rapaz bastante calmo, humilde, trabalhador, reúne todas as condições para poder vir a ser um jogador de topo».

Classificação Feminina de sub-10

Classificação feminina de sub-12

Classificação masculina de sub-10

Classificação masculina de sub-12

Regulamento

Por: Assessoria de Media da Federação Portuguesa de Golfe

Categories: Desporto, Quarteira

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.