Loulé

Fado de Carminho, mistura explosiva de Jambinai e irreverência de Skip&Die animaram primeira noite do 12.º Festival MED

Arrancou da melhor forma a 12.ª edição do Festival MED, o evento que anima a Zona Histórica de Loulé no final de junho e que constitui um dos festivais de música mais diferenciadores do país. Com um cartaz artístico de excelência, o MED recebeu esta quinta-feira milhares de visitantes para uma noite que juntou músicas e culturas do mundo, animação, gastronomia, artes plásticas e muito mais.

Em termos musicais, nos palcos principais a noite teve início com o melhor do Brasil e de Portugal juntos na voz de uma das revelações nacionais, Cati Freitas. Foi também em português e no feminino que se registou um dos momentos altos deste primeiro dia do MED, o concerto de Carminho. Com o largo da Igreja Matriz a “rebentar pelas costuras”, a artista cantou e encantou em Loulé e provou, mais uma vez, que o Fado está cada vez mais integrado no circuito das músicas do mundo.

Subiram ainda ao Palco Matriz os franceses Babylon Circus, um regresso passado nove anos ao MED, sempre com a mesma contagiante energia que os distingue junto do alargado número de fãs e não só.

Entretanto, pelo Palco Cerca a mistura explosiva dos sul-coreanos Jambinai, numa fusão original de músicas e instrumentos tradicionais asiáticos com novos géneros musicais, num rock puro e duro e muita distorção, foi sem dúvida uma das surpresas da noite.

A noite encerrou na Cerca com um concerto vibrante dos irreverentes Skip&Die, o projeto sul-africano/holandês liderado por  cantora sul-africana Cata.Pirata (Catarina Aimée Dahms). Com uma marcante presença em palco, a vocalista incendiou a plateia.

Já no Castelo, os sons foram nacionais levaram a este palco grandes revelações como os Brass Wires Orchestra, os Tape Junk ou o sempre animado DJ Set Clube Conguito.

Por: Município de Loulé

Categories: Loulé

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.