Empresas

Entrevista com Miguel Encarnação, da Impulse – Clínica de Terapias e fábrica de próteses

Criada em final de 2014, a Impulse – Clínica de Terapias completou recentemente 1 ano. O PlanetAlgarve foi ao encontro do seu responsável, o jovem quarteirense Miguel Encarnação que nos revela tudo sobre a Impulse, uma clínica inovadora onde, inclusive, se fabricam próteses, que vem valorizar sobremaneira a oferta do setor na cidade de Quarteira, em particular e no Concelho de Loulé, em geral, mas também da região do Algarve.

PlanetAlgarve (PA): Como surgiu a ideia da criação da Impulse?

Miguel Encarnação (ME): Sou licenciado em Ortoprotesia e nós tentámos criar aqui uma empresa um pouco diferente que era englobar a especialidade da Ortoprotesia no ramo clínico, que não existia. Havia apenas lojas a nível nacional. Hoje em dia, também já se está a começar a criar esta vertente. Alguns colegas nossos também estão a seguir o nosso exemplo mas, na altura em que abrimos, não existia. Mesmo assim, ainda pouco existe. o que nós aqui pretendemos criar foi que, quando uma pessoa entrasse aqui, precisasse de mim ou de um colega meu de Fisioterapia, não precisasse de se deslocar a mais local nenhum. O objetivo foi procurar fazer tudo dentro do mesmo espaço.

PA: Qual é a vossa principal atividade?

ME: A nossa atividade principal é a Ortoprotesia e a Ortopedia Técnica. Comercializamos todo o tipo de produtos ortopédicos, quer standard, quer feitos à medida, fabricados aqui, desde palmilhas, talas, próteses para amputados, não próteses dentárias, que há muita gente que confunde e há que esclarecer isso; Temos também todo o género de ajudas técnicas a nível de auxiliares de marcha, tais como moletas, canadianas, andarilhos e cadeiras de rodas; Temos ainda as várias ajudas de banho, como bancos, cadeiras, todo esse género de situações; Também temos – e aqui salientamos isso, que é uma das nossas especialidades – as meias de compressão e meias de descanso que, hoje em dia, estão cada vez mais a ser prescritas pelos médicos.

Temos também a especialidade – e eu por acaso tenho essa especialidade na minha licenciatura – em Diabetes e também especialistas em Pé Diabético, palmilhas, meias, calçado para pessoas diabéticas, calçado ortopédico também feito à medida.

PA: Na sua globalidade, que servidos são prestados na clínica?

ME: Disponibilizamos serviços de Acupunctura, Medicina Chinesa, Massagens Terapêuticas e Massagens de Relaxamento, Dietética e Nutrição, Terapia da Fala, Psicologia, alguma Fisioterapia, não toda, porque o nosso espaço não nos permite ter máquinas e ginásio mas fazemos algumas fisioterapias locais, tudo com técnicos para cada área, sob marcação em dias específicos, como o funcionamento de uma clínica normal.

Estamos também vocacionados para a área desportiva e prestamos apoio a alguns clubes da terra, designadamente ao CDQ no Atletismo e ao BTT Quarteirense. Os seus atletas quando aqui veem têm desconto. Procuramos assim dar apoio às pessoas da terra e a quem pratica desporto.

Neste momento, estamos a iniciar mais a sério a parte da Nutrição. Temos uma nova nutricionista também muito vocacionada para a parte desportiva e a parte física. Estamos também a promover junto das entidades que já apoiávamos e agora também na Zumba rastreios gratuitos de Nutrição, com um questionário sobre hábitos alimentares e uma balança especial para medir a massa corporal, a massa gorda, medir os perímetros abdominais, as alturas, os pesos e, a partir daí, nós conseguimos, através da nossa nutricionista, conseguimos fazer uma avaliação sobre o nível de necessidade dessa pessoa, se for o caso.

RASTREIOS GRATUITOS DE NUTRIÇÃO, PRESSÕES PLANTARES E PASSADA ESTE SÁBADO, 20 DE FEVEREIRO

Nós vamos ter agora – e aproveito para deixar o convite à população – no dia 20 de fevereiro, sábado, o dia inteiro, um Rastreio Gratuito de Nutrição para todos aqueles que quiserem vir aqui ao nosso espaço. Será das 14 às 19 horas. Vamos ter dois rastreios ao mesmo tempo: um, feito pela nossa nutricionista e outro feito por mim, algo que tenho vindo a fazer, um rastreio de avaliação das pressões plantares das pessoas e da passada porque, muitas das vezes, problemas que as pessoas têm ao nível dos tornozelos, dos joelhos, da coluna, vêm dos pés. Muitas  pessoas trabalham de pé e muitas vezes esquecem-se de avaliar as situações daí decorrentes, que depois se agravam. Daí, nós realizarmos este rastreio, que é uma coisa muito rápida. Temos um aparelho para medir as pressões plantares e a passada da pessoa.

PA: Ao fim de um ano de atividade, o balanço tem sido positivo?

ME: Sim, ao fim de um ano, posso avaliar esse ano positivo.

PA: A criação da Impulse envolveu capitais próprios ou candidataram-se a fundos nacionais ou europeus?

ME: Envolveu capitais próprios. Na altura, procurámos concorrer a um fundo, até porque tínhamos um projeto um pouco diferente mas, com muita pena nossa, os fundos disponibilizados para a região do Algarve são muito difíceis porque têm de ser projetos muito únicos, muito diferenciados e as verbas são muito reduzidas, designadamente em relação ao Alentejo, que é uma região desertificada. Então, tivemos que fazer um investimento com capitais próprios. Estamos agora a recuperar esse investimento, devagarinho, estamos ainda numa fase de divulgação mas sentimos que, de mês para mês, o negócio vai crescendo, as pessoas vão conhecendo, estamos aqui na Rua da Cabine, em frente à Casa do Benfica, um local de passagem e vamos ficando cada vez mais conhecidos. Tem sido uma aposta ganha mas queremos crescer ainda mais.

PA: Já possuem uma carteira de clientes?

ME: Sim, temos uma carteira de clientes para todas as áreas, que têm fundamentalmente clientes da freguesia mas também das freguesias de S. Clemente e S. Sebastião (Loulé). Não obstante, como temos parcerias com outras entidades e clínicas fora do nosso concelho, temos outros clientes, já repetidos de outros produtos porque nós também nos deslocamos para fora do nosso concelho. Procuramos trabalhar a nível de toda a região.

Hoje em dia, há cada vez menos prescrição de próteses porque são prescritas pelo Hospital de Faro, financiadas com dinheiros públicos e há cada vez mais contenção por parte do Estado. Estão a apostar mais na recuperação das próteses e quem faz essa manutenção é quem as fabricou. Nós abrimos há pouco tempo e ainda não fabricámos tantas próteses que nos permita fazer essa manutenção. Por outro lado, trabalhamos com o Hospital de Faro com toda uma série de produtos que não envolvem custos tão elevados como as próteses. Temos praticamente todos os dias pedidos de orçamentos e notas de encomenda.

PA: Que tipo de pessoas pode vir procurar os vossos serviços?

ME: Temos produtos e serviços para desde uma criança a uma pessoa mais idosa. Qualquer pessoa que se queixe de uma dor na zona dos joelhos ou das articulações pode deslocar-se aqui porque de certeza que vou cá estar eu ou outro técnico e essa pessoa de certeza que irá ser atendida e, se não for da nossa especialidade, iremos reencaminhá-la para o serviço mais indicado, de acordo com parcerias que temos com outras clínicas aqui mesmo, em Quarteira.

Por: Jorge Matos Dias / PlanetAlgarve