Quarteira

Palestra Comemorativa do Centenário da Freguesia de Quarteira

A Freguesia de Quarteira, criada no dia 13 de abril de 1916, comemora esta quarta-feira o seu Centenário (1916 – 2016).

Para assinalar a efeméride, a Xávega – Associação para o Desenvolvimento Cultural de Quarteira, promoveu uma palestra denominada  “A Criação da Paróquia Civil de Quarteira: no âmbito da Primeira República Portuguesa”.

A palestra, apresentada por João Carlos Santos, licenciado em Património Cultural – Ramo: História pela UAlg, teve lugar no Auditório do Centro Autárquico de Quarteira.

A palestra decorreu entre as 15 e as 16 horas, precisamente a hora de uma das aulas do palestrante na Academia do Saber de Quarteira (Módulo História Local), pelo que marcaram presença os alunos do referido módulo.

Destaque ainda para a presença do presidente da Junta de Freguesia de Quarteira, Telmo Pinto e do secretário da junta, Eduardo Amador.

A palestra foi aberta por Miguel Encarnação, da Associação Xávega.

Telmo Pinto fez uma intervenção introdutória, referindo: “Achámos que assinalar o Centenário da Freguesia não devia ser apenas um dia de festividades mas sim ao longo de um ano porque 100 anos são 100 anos. É uma grande satisfação comemorar o Centenário da Freguesia neste mandato. Que todas as decisões que tomámos e tomaremos no futuro sejam para o melhor desta freguesia”.

Dirigindo-se aos alunos do palestrante, “estou felicíssimo com o que se está a passar na Academia do Saber e com o trabalho das pessoas”.

João Carlos Santos começo por fazer o enquadramento histórico da época da criação da Freguesia Civil de Quarteira, destacando o Ultimato Inglês e a queda da Monarquia Portuguesa, dividindo a sua palestra em 4 pontos:

I – A 1.ª República Portuguesa (de 1910 a 1926);

II – A Distante Povoação de Quarteira;

III – Influência Republicana no Quotidiano Quarteirense;

IV – A Criação da Paróquia Civil (Junta de Freguesia).

O palestrante referiu que Quarteira soube da notícia da Implantação da República, em 5 de outubro de 1910, via telégrafo, que já existia na povoação nessa altura, atestando algum nível de desenvolvimento.

Destacou ainda os “couceiristas” (seguidores de Paiva Couceiro), que, em reunião magna, consideraram Quarteira o mais fácil ponto de entrada no Algarve em caso de invasão dos monárquicos para um eventual golpe de Estado.

Lembrou ainda as comemorações da Festa da Árvore, no dia 26 de março de 1913,  cujo cortejo saiu da Casa das Escolas, pensa-se que ficasse situada ao cimo da Rua Vasco da Gama, em direção ao atual Largo do Mercado, onde foram oradores Ernesto Viegas Martins, José Pontes Bita, Hermenegildo da Piedade e Domingos Abraços, todos eles futuramente viriam a ser presidentes da Junta de Freguesia de Quarteira. O primeiro não se encontra nesta lista, foi José Pires Barroso.

Para a criação da Paróquia Civil de Quarteira, o palestrante destacou 3 nomes:

Dr. José Maria de Pádua: Deputado algarvio que apresentou no Parlamento, em 18 de fevereiro de 1914, a proposta para a criação da freguesia, salientando: “Não pedimos um concelho mas sim uma paróquia civil sem encargos para o estado, já que as autoridades que exercem essas funções nada recebem”. Já na altura Quarteira era maior e tinha mais população que muitas vilas e sedes de concelho.

Dr. Diogo João Mascarenhas de Marreiros Neto: Deputado algarvio empenhado na causa da criação da freguesia;

José Mendes Cabeçadas Júnior (capitão-tenente na altura, chegaria a vice-almirante; viria ainda a ser Presidente da República no Estado Novo): Pediu para o projeto entrar em discussão, mesmo não estando impresso em papel.

O projeto foi apresentado naquela sessão, primeiro como Projeto de Lei 27F, que depois viria a resultar na Lei 476, que continha apenas 3 artigos e, finalmente, na Lei 509, de 13 de abril de 1916.

A Freguesia de Quarteira viria a ser instalada no dia 21 de fevereiro de 1918, data em que tomou posse o seu primeiro presidente, José Pires Barroso.

Após a palestra, o presidente da junta de freguesia, Telmo Pinto, encerrou a sessão, frisando que “Quarteira, hoje, continua a ser maior e com mais população que vários concelhos do Algarve. Não devemos pensar nessa história do concelho mas trazer mais competências e mais coisas para Quarteira, uma das maiores e mais invejáveis freguesias do Algarve”.

A iniciativa contou com o apoio da Câmara Municipal de Loulé e da Junta de Freguesia de Quarteira.

Por: Jorge Matos Dias / PlanetAlgarve

Categories: Quarteira