Loulé

Loulé lidera projeto europeu “Vital Cities”

Foi dado na passada semana, na cidade inglesa de Birmingham, o pontapé-de-saída da segunda fase do projeto europeu “Vital Cities”, do qual o Município de Loulé é parceiro líder. Dez municípios da Europa reuniram-se para marcar o arranque deste projeto, com uma série de atividades, entre as quais workshops, apresentações por parte dos gestores do projeto, visitas ao terreno e partilha de experiências entre os envolvidos.

Para além de Loulé, representantes de Burgas (Bulgária), Cracóvia (Polónia), Budapeste (Hungria), Birmingham (Inglaterra), Vestfold County (Noruega), Rieti (Itália), Usti Nad Labem (República Checa), Liepaja (Letónia) e Sibenik (Croácia) marcaram presença no arranque desta segunda fase (implementação) de um projeto que irá estender-se durante dois anos.

Financiado pelo  URBACT, um programa europeu de aprendizagem e troca de experiências na promoção do desenvolvimento urbano sustentável, “Vital Cities” é um projeto que procura combater a exclusão social através da requalificação dos espaços em áreas residenciais, utilizando o poder e a linguagem comum do desporto por meio de ações urbanas inovadoras, equipamentos físicos diversos e prestação de serviços melhor organizados e pensados para responder às necessidades da comunidade.

Um estilo de vida ativo contribui positivamente para a coesão social, bem-estar geral e prosperidade económica das cidades e da sua comunidade. No entanto, nos dias que correm, as cidades vivem perante um grande desafio com graves consequências ao nível económico, social e de saúde pública: dramático aumento da frequência de doenças como resultado do estilo de vida sedentário e da exclusão social.

Para enfrentar estes desafios, as cidades a nível europeu têm investido milhares de euros nas últimas décadas, na construção e manutenção de grandes instalações desportivas. Estas estratégias têm sucesso limitado, para além dos elevados encargos financeiros no que concerne à manutenção destas infraestruturas.

Tendo em conta este contexto, é necessária uma nova abordagem, no fundo, uma mudança do paradigma vigente: em vez de os cidadãos inativos se deslocarem para as instalações desportivas, o próprio espaço deve ser transformado num local que coincide e permite a atividade física sem barreiras que limitem e inibam as pessoas. É vital criar oportunidades facilitadoras para a atividade física, oportunidades estas perto do local onde as pessoas vivem, ambientes seguros, limpos, ecológicos e sem barreiras, como por exemplo o horário de abertura e encerramento.

Os esforços para permitir e incentivar a atividade física exigem a participação e a cooperação de diversas partes interessadas.

Nesse sentido, a grande expetativa é tornar o desporto acessível a toda a população, através da realização de eventos desportivos e culturais, da promoção de espaços informais na cidade, do investimento em novas tecnologias, a fim de facilitar a comunicação com a população, ou do aumento do número de espaços públicos com acesso gratuito à internet. O envolvimento dos moradores de áreas deprimidas em atividades desportivas é, igualmente, um desafio para Loulé, abrindo “as portas” das referidas áreas à comunidade através da criação de espaços públicos e instalações desportivas (espaços abertos, seguros e sem restrições de horários).

Recorde-se que este projeto começou a desenvolver-se em novembro de 2015, aquando de uma reunião, em Loulé, com o núcleo inicial de parceiros das “Vital Cities”, e encontra-se agora numa fase determinante da sua implementação.

Experiência da Cidade Europeia do Desporto 2015

Hugo Nunes, vice-presidente da Câmara Municipal de Loulé e coordenador do projeto, considera que esta é “uma oportunidade para perceber e acompanhar o que é feito a nível europeu, aprender e partilhar informação, conhecimento, experiências e boas práticas ao nível desportivo.

De acordo com este responsável, “o desporto tem estado desde sempre no topo da agenda política de Loulé, sendo um dos mais poderosos meios de democratização e inclusão social”. Nesse sentido, para Hugo Nunes, o título de “Loulé Cidade Europeu do Desporto 2015” constitui uma mais-valia para que Loulé tomasse a dianteira deste projeto. “O conhecimento adquirido durante essa organização poderá ser uma das várias experiências partilhadas com os restantes parceiros”, sublinhou o vice-presidente do único município ibérico a integrar as “Vital Cities” e que assumiu um “Compromisso com o Desporto”.

Categories: Loulé