Algarve

Arquitectos Algarvios candidatam-se aos Órgãos Nacionais da Ordem dos Arquitetos

Eleições para o triénio 2017-2019 a 20 de Janeiro 2017

Os Arquitetos Luís Matos e Armando Guerreiro são os proponentes algarvios à assembleia de delegados da Lista A, candidata aos Órgãos Nacionais da Ordem dos Arquitetos, encabeçado pelo Arquiteto José Manuel Pedreirinho.

O Arquiteto Luís Matos exerce funções no funcionalismo publico na Câmara Municipal de Monchique e dirige há vários anos a associação Teia D’Impulsos. O Arquiteto Armando Guerreiro exerce funções no sector privado no Sotavento Algarvio.

Aceitaram o desafio por estarem integrados numa equipa trabalhadora e ao serviço da classe, que já demonstrou as suas capacidades como é o exemplo das novas instalações da secção Norte da Ordem dos Arquitectos, executadas no triénio 2014 – 2016.

Temos um rumo para a Ordem

Uma Ordem dos Arquitectos mais aberta, mais inclusiva, mais social, mais dialogante e mais atenta às preocupações dos arquitetos e da arquitetura. Uma Ordem mais diversa e mais perto dos seus membros.

Candidatamo-nos porque queremos uma Ordem coesa, dinâmica e afirmativa, capaz de transformar o alheamento em participação. Queremos uma casa de todos os arquitetos. Queremos uma Ordem para todos e todas.

Apresentamos uma Candidatura Conjunta a todos os órgãos sociais: uma Equipa orientada por um programa concreto de ações e focada numa visão plural para a Ordem:

UM só RUMO, UMA única ORDEM

Só desta forma é possível congregar os esforços necessários que assegurem condições de UMA mudança global seguindo um rumo de concretização de medidas com real impacto na vida dos arquitetos.

Queremos alargar e enriquecer um trabalho já iniciado. Pretendemos alterar hábitos e acabar com os circuitos fechados, que têm caracterizado uma certa visão da Ordem.

Queremos iniciar um novo ciclo onde a Ordem é a casa de todos os arquitetos na diversidade dos seus membros.

Temos o objetivo de construir uma Ordem ao serviço dos ARQUITETOS e da SOCIEDADE.

Este objetivo será alcançado de acordo com os seguintes princípios programáticos e de atuação, que permitirão a transformação da nossa Ordem:

  1. OS ARQUITECTOS

Inclusão e Solidariedade. Proximidade e Diversidade.

Queremos criar e alargar mecanismos que incrementem a participação dos membros e a coesão, que apoiem e acolham todos os Arquitectos, independentemente de onde e como exerçam a profissão. Pretendemos uma política sustentada e transversal de apoio ao membro. Queremos alterar a perceção difusa de ser membro da Ordem como uma fatalidade inerente à profissão, e garantir que coletivamente podemos transformar a nossa classe num corpo mais solidário, forte e coeso.

  1. SOCIEDADE

Ação Política. Defender a Profissão.

Os desafios da profissão não se compadecem com a postura passiva e/ou meramente reativa que tem conduzido a uma degradação da atividade e que se limita a iniciativas que apenas encontram audiência entre os seus pares.

Queremos uma Ordem de ação, que lidere e estabeleça a agenda política e a discussão dos temas fundamentais para a profissão. Uma Ordem que valorize o papel do Arquiteto na Sociedade. Uma Ordem ativa e rigorosa, que garanta os direitos e a dignidade profissional dos membros, que crie mecanismos que permitam combater a concorrência desleal num mercado desregulado.

  1. ARQUITECTURA

Estratégia dinâmica de médio prazo.

A Ordem dos Arquitectos tem de delinear e implementar uma estratégia de médio e longo prazo para o nosso sector, que garanta a viabilidade económica da nossa profissão e oriente os esforços de internacionalização, que defina um Rumo e um Horizonte para os Arquitectos e para a Arquitetura Portuguesa. Não podemos mais desperdiçar recursos em iniciativas casuísticas, descontinuadas, de curto prazo, que apenas se limitam a observar uma realidade crescentemente desfavorável para a profissão. É dever da Ordem ser catalisador da mudança, e promovê-la.

FAZER, MUDAR, APROXIMAR

O que nos distingue é a capacidade de fazer, executar, cumprir as nossas promessas e objetivos.

As ideias e os programas que não sejam substanciados em ações concretas, sustentáveis e implementadas não passarão de palavras vãs.

A atuação e experiência desta Candidatura é garantia de que este programa, efetivamente é um compromisso que nos levará a UM RUMO de mudança, a UMA ORDEM mais forte, ao serviço de todos os Arquitectos.

Somos uma Equipa de trabalho e de serviço.

A Ordem terá de dar um salto qualitativo para se situar ao nível do que a profissão de Arquitecto reclama no nosso país, no presente e no futuro próximo.

Combatendo a opacidade de procedimentos, a tecnocracia e a burocracia, o tráfego de influências e a competição económica selvagem, sem valores e sem regras.

Sabemos que será cada vez mais difícil encontrar soluções que nos protejam enquanto profissionais.

SOLICITAMOS a ajuda e PARTICIPAÇÃO DE TODOS OS  ARQUITETOS para não ficarmos aquém do necessário, nas Eleições para o triénio 2017-2019 a 20 de Janeiro 2017

#umrumoumaordem

http://www.umrumoumaordem.com/

 

Categories: Algarve