Algarve

GNR realiza ações de esclarecimento sobre incêndios florestais no Algarve

O Comando Territorial de Faro, através do Serviço de Protecção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) e em coordenação com o Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro (GIPS), realiza até ao dia 14 de abril, em todo o distrito de Faro, diversas ações de esclarecimento relacionadas com a prevenção dos incêndios florestais, principalmente junto da população que reside nos concelhos que apresentam maior área florestal e onde os fatores de risco se encontram mais presentes.

No âmbito das atribuições da GNR no Sistema Nacional de Defesa da Floresta contra Incêndios, o Comando Territorial de Faro incrementa e dinamiza um conjunto de iniciativas na vertente do esclarecimento das populações para a importância dos procedimentos preventivos a adotar nesta altura do ano, nomeadamente sobre o uso do fogo, limpeza e remoção de matos e manutenção das faixas de gestão de combustível, tendo em vista a redução do número de ocorrências e a minimização dos riscos de incêndio florestal.

Destaca-se, neste âmbito, a necessária e tão importante gestão de combustíveis, procedimento que consiste na limpeza dos terrenos, através do corte e remoção da biomassa vegetal neles existentes, fator que constitui um elemento essencial para a minimização do risco de incêndio.

As ações de esclarecimento realizam-se em colaboração com os municípios algarvios, juntas de freguesia e com associações locais, transmitindo-se uma mensagem de dever cívico na prevenção generalizada aos incêndios florestais, partindo da premissa que a floresta é de todos e que a todos cabe preservar e proteger.

Numa fase subsequente e a partir de 15 de abril, serão realizadas ações de fiscalização com o objetivo de corrigir as situações de notório incumprimento, face à obrigatoriedade da manutenção das faixas de gestão de combustível, aplicando-se o competente regime contraordenacional instituído.

A falta de manutenção das faixas de gestão de combustíveis (limpeza dos terrenos) constitui infração do foro contraordenacional e os seus responsáveis incorrem em coimas de 140 € a 5.000€, no caso de pessoa singular, e de 800 € a 60.000€, para pessoas coletivas.

Ação de Sensibilização da GNR

Categorias:Algarve