AGENDA

FOrA: um encontro marcado em Portimão com o património oral do Algarve | 10 a 14 de maio

É já nos próximos dias 10 a 14 de Maio, que o FOrA – Festival da Oralidade do Algarve regressa a Portimão e Alvor para colocar o património oral do Algarve na boca de toda a gente. O Museu de Portimão, o Teatro Municipal de Portimão, a Casa Manuel Teixeira Gomes, o Espaço Raiz e o Castelo de Alvor serão palco de debates, conferências, oficinas, performances, cinema, música, e muito mais, tudo sob o mote da promoção da oralidade e do património cultural imaterial da região.

O objectivo do FOrA é divulgar tradições e encorajar o diálogo inter-geracional, sensibilizando a população para o carácter volátil mas dinâmico de uma herança que traça indelevelmente o perfil da nossa identidade – complexa, repleta de nuances, em constante mutação como as palavras que voam de boca em boca ou o conto a que se acrescenta sempre mais um ponto.

Este ano, a História Oral abre o Festival da Oralidade do Algarve com o encontro científico Se a memória não me falha… História Oral: metodologias e boas práticas, um espaço de debate e de apresentação das mais recentes tendências e projectos desenvolvidos neste campo em Portugal, o qual se realizará no dia 10 de Maio no Museu Municipal de Portimão.

Com a participação de investigadores e responsáveis por museus e arquivos de todo o país, este encontro irá reflectir sobre os principais desafios e oportunidades que se colocam actualmente à prática da História Oral, através da partilha de experiências e ideias sobre métodos de recolha, organização de arquivos e diálogos possíveis com outras disciplinas como a Museologia ou a Arqueologia.

O encontro prolongar-se-á na manhã de dia 11 de Maio, no Espaço Raiz (antiga escola primária da Pedra Mourinha), com a acção de formação “História Oral: ferramenta ocasional ou indispensável? Questões práticas”, a cargo de Rui Aballe Vieira, investigador do Instituto de História Contemporânea da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade NOVA de Lisboa.

Esta é uma parceria entre a Associação Teia D’Impulsos e o Centro de História d’Aquém e d’Além Mar da FCSH/NOVA, Universidade dos Açores, com o apoio do IHC (FCSH/NOVA), da Fundação para a Ciência e Tecnologia, da Direcção Regional de Cultura do Algarve, da Câmara Municipal de Portimão e da Rede de Museus do Algarve.

Ainda na noite de 10 de Maio, pelas 21.30, a abertura oficial do FOrA acontecerá no auditório do Museu de Portimão com o concerto dos OrBlua. Carlos Norton, Inês Graça e Nuno Murta dão corpo a este trio de músicos multi-instrumentistas que concilia o tradicional com o contemporâneo e o experimentalismo. Projecto criado em 2011, o seu último álbum, Retratos Cinéticos, continua a seguir a trilha de “uma sonoridade lusa que cheira a Algarve, a mar, a serra, o mediterrâneo, a Europa, a mundo que recolhe cheiros, cores, histórias, memórias, paisagens e sonhos”.

Todos os eventos são de entrada gratuita. Poderá inscrever-se no encontro Se a memória não me falha… no website www.teiadimpulsos.pt.

Encontram-se igualmente abertas as inscrições (gratuitas) para a Oficina de Contadores de Histórias, com Ana Machado (Teatro Experimental de Lagos), que se realizará no dia 11 de Maio, no Espaço Raiz, a partir das 17.00. Não perca esta oportunidade de aprender a arte de bem contar uma história.

E este é apenas o começo do FOrA. Muitas mais novidades acontecerão neste festival cujo programa completo será revelado em breve. Por isso, marque já na sua agenda um encontro com o património oral do Algarve entre os dias 10 e 14 de Maio.

Venha ao FOrA e fique por dentro!

 

Categorias:AGENDA, Portimão