Monchique

Paulo Alves, candidato independente do PS à Câmara Municipal de Monchique: “A política só faz sentido se estiver ao serviço das pessoas”

«A política só faz sentido se estiver ao serviço das pessoas!», foi a expressão proferida por Paulo Alves, candidato do PS a presidente da Câmara Municipal de Monchique, na conferência subordinada ao tema “Novos desafios para a Coesão Territorial”, que teve lugar em Alferce, Monchique.

A conferência, que decorreu na Casa do Povo do Alferce, contou com a presença de Helena Freitas (coordenadora da Unidade de missão do Plano Nacional para a Coesão Territorial), Jamila Madeira (deputada à Assembleia da República), Jorge Botelho (presidente da AMAL), Paulo Alves (candidato do PS a presidente da Câmara), Carlos Almeida (presidente do PS Monchique), Nelson Dias (Banco Mundial na óptica do Desenvolvimento) e João Ministro (Almargem). Uma iniciativa que enfatiza o propósito de valorizar o território.

Paulo Alves afirmou a singularidade de Monchique, enfatizando as potencialidades do território, das já exploradas àquelas que, no seu entendimento, devem também merecer atenção. Novos produtos, identificar potencialidades que não se encontram exploradas, recuperar tradições e atividades que se foram esvaindo, recuperar produtos que distinguiam Monchique e que foram desaparecendo, são aspetos que o candidato salientou e que devem ser considerados e explorados. Fomentar a agricultura de montanha e diversificar a oferta, foram também aspetos que identificou e que devem ser tidos em conta «no intuito de encontrar novas oportunidades de negócio e novos públicos», referiu.

Paulo Alves lamentou que até aqueles produtos que diferenciam Monchique – tais como a água corrente, a água termal, a água mineral, o sienito nefelínico, o artesanato e as antigas profissões – estejam tão pouco apoiados.

O candidato do PS considerou ainda «o turismo de natureza e o turismo de saúde, bem estar, cultural e desportivo como áreas a explorar e a desenvolver no propósito de afirmar o território, promover o desenvolvimento e de criar emprego».

Paulo Alves afirmou que «é necessário atrair novos públicos, atrair e receber quem tem ideias, vontade e capital para investir, novos e mais turistas, novos e mais habitantes», tudo no objetivo de «beneficiar e valorizar o território e as suas gentes».

O candidato independente do PS a presidente de Câmara de Monchique, na apresentação que fez na conferência subordinada aos “Novos Desafios para a Coesão Territorial”, promovida pelos deputados à Assembleia da República, do PS eleitos pelo Algarve, sublinhou que «é preciso saber ouvir as pessoas, acolher ideias, sobretudo dos mais jovens, encontrar soluções de integração, potenciar a descentralização de serviços, identificar potencialidades e construir uma agenda para Monchique».

O conceito de “Agenda para Monchique”, defendido por Paulo Alves, assenta «numa aposta baseada em sinergias, parcerias, no contexto interno e com a envolvente, cooperação com concelhos vizinhos numa ótica de valorização das particularidades e potencialidades, mas também numa inerente vantagem competitiva que a complementaridade propicia e alavanca».

A terminar a sua comunicação, Paulo Alves, considerando que «o maior potencial de Monchique são as pessoas e aquilo que estão dispostas a fazer pelo território nas suas diferentes funções e atribuições», afirmou-se orgulhoso do interior que Monchique é, de ser monchiqueiro e de considerar «a interioridade como um potencial diferenciador», que necessita ser «apoiado pelo poder central e local», no intuito de ser «mais coeso, mais competitivo, mais sustentável, mais conectado e mais colaborativo».

É «pelas pessoas e com as pessoas» que Paulo Alves afirmou querer «construir um Monchique Melhor!».

De referir que, ainda por ocasião da conferência sobre os Novos Desafios para a Coesão Territorial, os deputados do PS, Paulo Alves e a estrutura do PS Monchique visitaram as seguintes instituições e empresas locais:

– Centro de Dia de Alferce, uma estrutura irrepreensível criada pela Casa do Povo do Alferce que muito tem contribuído para a economia social.

–  Unidade produtiva de enchidos Idália Duarte, Lda.. Uma empreendedora que com o seu esposo e filhos têm dinamizado o sector, à semelhança de outros produtores que em boa hora perceberam das vantagens dos produtos artesanais de excelência.

 – Lar de Idosos Maria Catalão. Este equipamento tem um papel preponderante em Marmelete e no concelho de Monchique, razão pela qual merece a maior atenção e apoio.

Categories: Monchique