Albufeira

APEF ajuda a avaliar o grau de fibrose hepática associado à infeção pelo vírus da hepatite C | Albufeira, 18 horas

Durante a Semana Digestiva 2017, o maior congresso nacional na área da Gastrenterologia que decorre nos dias 7 a 10 de junho no Palácio de Congressos do Algarve, a Associação Portuguesa para o Estudo do Fígado (APEF) vai receber da biofarmacêutica AbbVie a doação de um Fibroscan portátil.

A elastografia hepática transitória (Fibroscan) é um método não invasivo de avaliação da fibrose nas doenças hepáticas crónicas, evitando a biópsia em muitos casos. Os atuais aparelhos permitem também avaliar a esteatose hepática.

A doação deste equipamento, prevista para o dia 8 de junho às 18h30, vai permitir que os associados da APEF possam ter acesso a este meio de avaliação do grau de fibrose hepática e assim colmatar a sua inexistência em alguns Hospitais do País.

“Para dar início ao tratamento dos doentes com hepatite C é necessário avaliar o grau de fibrose do fígado para confirmar o estádio da doença”, explica Adélia Simão, presidente da APEF. E refere: “Atualmente este exame não está disponível em todos os centros pelo que a sua realização noutras unidades hospitalares aumenta os custos, o desconforto dos doentes e gera atraso no início da terapêutica.”

A partir de agora, os médicos associados da APEF que trabalhem nestas unidades vão poder requisitar o Fibroscan à APEF, que assim contribui para que os doentes tenham uma avaliação mais rápida do seu grau de fibrose hepática e um acesso mais precoce ao tratamento.

Complementarmente, a APEF irá organizar cursos de formação e atualização para todos os médicos associados que pretendam aprender ou ganhar experiência a medir o grau de fibrose e esteatose hepática.

“A AbbVie está empenhada em contribuir para a eliminação da infeção pelo vírus da hepatite C, um compromisso que vai além da disponibilização dos tratamentos”, refere Fernando Bastos, External Affairs & Market Access Director da AbbVie Portugal. “Sendo o diagnóstico e avaliação do grau de fibrose hepática uma fase tão importante do processo de tratamento da doença, faz todo o sentido que o apoio da AbbVie incida sobre uma lacuna que tem vindo a atrasar a cura da infeção por hepatite C em tantos doentes”, adianta.

“Além da doação do Fibroscan, a AbbVie irá assegurar todos os custos decorrentes da manutenção anual deste equipamento, bem como as deslocações necessárias aos centros que actualmente não o têm”, conclui.

Qual é a importância de medir o grau de fibrose hepática?

A avaliação do estádio de fibrose hepática, ou deterioração do fígado, tem um elevado interesse diagnóstico e prognóstico, e é fundamental para definir o protocolo terapêutico.

Um doente com infecção crónica pelo vírus da hepatite C tem uma probabilidade de 20% de desenvolver cirrose hepática. A cirrose é uma situação de elevado potencial oncogénico, já que o risco de surgir carcinoma hepatocelular (CHC) é de 1 – 4%. Por outro lado existe sempre a possibilidade de surgir um episódio de descompensação da cirrose como seja rotura de varizes esofágicas, ascite, peritonite bacteriana espontânea, encefalopatia, etc, o que obriga a equacionar o transplante hepático.

Categorias:Albufeira, AGENDA, Saúde