Faro

ES de João de Deus (Faro) conquista bronze no pódio do Prémio FAQtos 2017

A 4.ª edição do Prémio FAQtos, promovida pelo INOV-INESC com o Instituto Superior Técnico (IST), atribuiu o 1.º lugar da competição dirigida a alunos do ensino secundário ao grupo/projeto ‘Smoke the Fire’, da ES/3 de Oliveira do Bairro, de Aveiro.

Os alunos desenvolveram um dispositivo detetor de fumo que, uma vez instalado no topo de árvores e postes de eletricidade, envia alertas (mensagens escritas com coordenadas de localização) às autoridades locais por GSM, contribuindo para proteger habitats, vidas humanas e animais com precisão e rapidez. Numa vertente explicativa e de sensibilização para a solução, os alunos criaram ainda um site – http://www.smokethefire.pt – iniciativa que contribuiu para a sua diferenciação na final do concurso.

Aos alunos vencedores foi entregue um cheque de 1.500 euros, um diploma de 1.º lugar no Prémio FAQtos 2017 e ofertas das entidades promotoras do projeto. Também o professor orientador do grupo e a escola receberam prémios.

Em 2.º lugar destacou-se o trabalho “Radiofrequências – da Teoria à Prática”, de alunos da Escola Profissional Mariana Seixas (Viseu), que propuseram a construção de um

microcontrolador Arduino como unidade central de processamento para comunicar em radio-frequência com diferentes periféricos e ajudar a informar o grande público

sobre a exposição à radiação eletromagnética de equipamentos de comunicações móveis.

Em 3.º lugar ficou o grupo ‘BiSafe… Uploading’, em representação da ES de João de Deus (Faro) com o projeto “In(formação) do Consumidor e Segurança Alimentar:

Biotoxinas nos Bivalves”. O bronze no pódio do Prémio FAQtos 2017 ficou a dever-se a uma aplicação de controlo sanitário para dispositivos móveis, que informa os

consumidores sobre a eventual presença de biotoxinas acima dos valores regulamentares nos bivalves apanhados nos sistemas costeiros de qualquer parte do país.

Exceção nesta edição foi a atribuição de uma Menção Honrosa ao grupo ‘CPI’ da Escola Profissional Instituto de Educação Técnica (Lisboa), com o trabalho “Colete para Invisuais”, que desenvolveu um protótipo de colete indicador de obstáculos, com notificações vibratórias geradas por um sistema microcontrolador com sensores de ultrassons, para auxílio a invisuais.

À semelhança de anos anteriores, as decisões do júri final* tiveram por base um conjunto de

critérios que incluíram a integração do tema “Aplicando as RF”, a originalidade dos trabalhos, a qualidade do relatório final, a capacidade crítica e de análise do projeto, o envolvimento com o estabelecimento de ensino e a avaliação global do trabalho.

Este ano o Prémio FAQtos reuniu no Centro de Congressos do IST os alunos de 9 grupos finalistas, de um total de 62 grupos concorrentes de 35 escolas secundárias de todo o país.

Elementos do Júri Final do Prémio FAQtos 2017:

Prof. Luís M. Correia – Coordenador do projeto FAQtos, Instituto Superior Técnico, Universidade de Lisboa

Prof. Custódio Peixeiro – Instituto Superior Técnico, Universidade de Lisboa

Prof. Carolino Monteiro – Faculdade de Farmácia, Universidade de Lisboa

Eng. Pedro Rosário – Direção Geral de Saúde, Ministério da Saúde

Engª. Isaura Vieira – Direção-Geral de Educação, Ministério da Educação

Dra. Diana Pinto – Vodafone

Categorias:Faro, Nacional