Lagos

Centro Cultural de Lagos comemora 25.º aniversário com casa cheia

O Centro Cultural de Lagos assinala este ano 25 anos desde a sua abertura ao público. Inaugurado em 24 de outubro de 1992, veio colmatar uma lacuna existente no concelho e na região do Algarve. Esta data foi ontem comemorada naquele espaço cultural, com casa cheia!

O programa preparado iniciou com a abertura da exposição “CCL, 25 anos de vida e história”, patente até ao final do ano, no hall do piso 1 do Centro Cultural, e que permite recordar alguns dos momentos especiais que marcaram a evolução daquele equipamento em termos de projeto, obra e os vários espetáculos, nas diversas áreas, que o Centro Cultural tem recebido ao longo dos anos.

No pátio decorreu depois a Tertúlia “CCL…o despertar de emoções!”, que contou com a presença dos responsáveis autárquicos que, ao longo de grande parte destes últimos 25 anos participaram neste projeto, José Alberto Baptista, Valentim Rosado, Júlio Barroso e a atual autarca Maria Joaquina Matos, e que partilharam com todos os presentes o seu testemunho e memórias deste período. A tertúlia foi moderada pela jornalista do Sul Informação, Elisabete Rodrigues. Todos falaram das suas experiências e memórias, tendo sido lembrados, em particular, alguns nomes que engradeceram aquele equipamento como o artista plástico Xana (Alexandre Barata) ou Duval Pestana. No geral houve agradecimentos, por parte dos quatro presidentes, a todos os funcionários da autarquia que têm dedicado todo o seu empenho ao longo ao longo destes anos no Centro Cultural e às variadas associações do município, criadores e artistas, bem como às instituições e agentes culturais regionais e nacionais que têm contribuído para enriquecer a sua programação.

No final da tertúlia, foi inaugurada a exposição “O Contineralismo Poético – Horizontes Novos, Pinturas e Poemas”, de Timo Dillner, que, de acordo com o mesmo “ilustra também, mas não só, a globalização, as descobertas de novos mundos, as viagens pelas terras desconhecidas, mas em maior parte ilustra a descoberta de novos horizontes dentro de nós”. A mostra ficará patente ao público até ao final do ano.

Seguiu-se, como não podia deixar de ser numa celebração desta natureza, um Porto de Honra e um Bolo de Aniversário. O momento contou com um acompanhamento musical pela Sociedade Filarmónica Lacobrigense 1º de Maio, entidade que tinha estado na inauguração do Centro Cultural há 25 anos.

O dia de festa terminou com chave de ouro, com um espetáculo da Orquestra de Jazz do Algarve & Selvis Prestley – “Love Me Tender“, que esgotou o auditório do Centro Cultural de Lagos.

Categorias:Lagos