Algarve

Presidente da Quarpesca: «Formação Profissional no sector das Pescas no Algarve está parada»

Hugo Martins, presidente da Quarpesca

Um dos problemas mais sérios que afetam o sector das pescas em Portugal é a falta de mão de obra. Tem sido uma missão complicada atrair jovens para trabalhar num sector que soma problemas ano após ano (quotas de pesca limitam lucros, condições meteorológicas adversas, elevada burocracia, falta de uma estratégia de aposta no sector, etc.).

Nos últimos anos, quiçá devido à crise que o nosso país tem atravessado, tivemos uma procura crescente de ações de formação, especialmente para o curso de Pescador. A Quarpesca colabora com o For-Mar há muitos anos na divulgação e realização destes cursos, sendo que temos notado desde há dois anos a esta parte uma diminuição na oferta de formação, em contraste com a crescente procura.

Foi sugerido por nós a realização de 3 ações de formação nas nossas instalações este ano, visto que só para o curso de pescador temos 47 inscritos, ao que nos foi transmitido que toda a formação do polo da For-Mar de Olhão está estagnada devido a falta de verba, à semelhança do que se passa um pouco por todo país.

Que futuro para o sector das pescas? Como podemos cativar os jovens para uma atividade já de si não muito apelativa, se falhamos na mais elementar medida que é a aposta forte na formação de Pescadores?

O sector evolui consoante a aposta ou não nele próprio!

Hugo Martins, presidente da Quarpesca

Categorias:Algarve, Quarteira