Quarteira

PSD/Quarteira discorda da “ação de despejo” aos artesãos em Quarteira

O Núcleo do PSD Quarteira manifesta a sua total discordância quanto à decisão do Presidente da Junta de Freguesia de Quarteira, Telmo Pinto, e do Presidente da Câmara Municipal de Loulé, Vítor Aleixo, de não mais permitirem as actividades de venda ambulante de artesanato e a realização da Feira do Livro e do Artesanato de Quarteira na zona nascente do Calçadão.

A referida decisão, dada a conhecer aos artesãos a 27 de Novembro de 2017, muito convenientemente depois de ter tido lugar as eleições autárquicas, apanhou de surpresa todos os artesãos que fazem daquele espaço o lugar onde arduamente conquistam o sustento para as suas famílias. Uma surpresa que se estendeu ao PSD que, habituado ao constante ziguezaguear do executivo municipal de Vítor Aleixo, decidiu esperar pelo reverter desta decisão.

Mas quando no decorrer do passado mês de Janeiro, a Câmara Municipal de Loulé tornou oficial a decisão de não mais permitir a instalação dos artesãos no calçadão de Quarteira e é apresentado, como alternativa, um espaço longe do calçadão, desprovido de estruturas para a realização de eventos e para o qual não existe um projecto concreto, o PSD não pôde calar a sua indignação pela forma desumana com que os artesãos foram e estão a ser tratados em todo este processo.

A vitória recentemente obtida nas urnas pelo PS não legitima os eleitos desse partido a perseguirem os mais fracos e vulneráveis, pelo que o PSD apela que, em diálogo, todas as partes consigam encontrar uma solução que dê resposta aos seus anseios. Uma solução que passa, naturalmente, pela continuação dos artesãos no Calçadão de Quarteira, ainda que admitindo que a mesma tenha que se processar em moldes diferentes.

A Comissão Política do Núcleo do PSD/Quarteira

Categories: Quarteira