S. Brás de Alportel

Município de São Brás de Alportel atribui Voto de Pesar pelo falecimento de Custódio Cavaco

A Câmara Municipal de São Brás de Alportel aprovou, por unanimidade, em reunião realizada no dia 02 de maio, atribuir um voto de pesar pelo falecimento do são-brasense Custódio José Barros Cavaco, eterno guardião das artes e ofícios tradicionais.

Homem simples, mas de grande dimensão humana, Custódio Cavaco, será sempre recordado pelo seu importante contributo na preservação e na valorização do património imaterial de São Brás de Alportel. Com um percurso de vida exemplar, revelou sempre generosidade, sabedoria e humildade, com a grandeza dos Homens Simples.

Nascido em São Brás de Alportel em 1943, Custódio Cavaco emigrou para França, durante a sua juventude. No regresso a Portugal dedicou-se profissionalmente à venda de materiais de construção. Nos tempos livres desenvolveu a paixão pela arte da empreita de palma, um ofício tradicional com o qual teve contacto desde criança, mas que aperfeiçoou depois de se aposentar.

Embaixador desta arte manual, que dominava com mestria, Custódio Cavaco era participante assíduo na Feira da Serra, no Mercadinho de Artesãos e nos mais diversos eventos na área do artesanato. Foi colaborador da recém-criada Casa do Artesão e nas mais diversas oficinas criativas e projetos tais como “Design e Ofícios”, bem assim como encontros sobre esta arte artesanal cuja paixão tentava incutir nas novas gerações, sempre disponível para transmitir os seus ensinamentos com um sorriso no rosto e no olhar.

Cidadão ativo, integrou durante largos anos os grupos de caminhadas e de marchas desportivas. Após a sua aposentação, dedicou o seu tempo livre às mais diversas atividades, tais como: a Universidade Sénior e o projeto “Seniores em Movimento” e colaborou com diversas entidades como é o caso do Museu do Traje, representando o concelhos nas mais diversas ocasiões.

Homem sensível e de grande sentido artístico, Custódio Cavaco integrou o TEAS 13 – Grupo de Teatro Amador, desde a sua criação em 2012, sendo elemento ativo na representação e na promoção da criação cultural do município.

A sua crença religiosa fez com que ingressasse, em 2014, na primeira peregrinação de São Brás de Alportel a Fátima. Percurso de fé que voltou a cumprir em 2006, envolto num ambiente de amizade.

O seu falecimento constitui uma enorme perda para o Município de São Brás de Alportel e para toda a comunidade que nesta ocasião apresenta sentido pesar a toda a família, e presta reconhecida e justa homenagem.

Categories: S. Brás de Alportel