Quarteira

Junta de Freguesia de Quarteira melhora instalações do MAPS – Projeto Vida

A Junta de Freguesia de Quarteira e a Câmara Municipal de Loulé chamaram a si a iniciativa de proceder a melhoramentos nas instalações do Projeto Vida – MAPS (Movimento de Apoio à Problemática da Sida), em Quarteira.

O presidente da junta de freguesia, Telmo Pinto, fez uma visita informal ao local, no dia 13 de junho, para se inteirar do resultado das obras.

Em declarações ao PlanetAlgarve, Telmo Pinto sustentou que “esta junta de freguesia tem estado sempre próximo daquilo que são as entidades como esta, o MAPS, mas também o Centro Paroquial, a Fundação António Aleixo, como outras instituições que estão próximo das pessoas, próximo daquilo que é a necessidade social da freguesia. Portanto, quando entendemos que isto é uma mais valia, e sem dúvida que isto é uma mais valia, que trabalha próximo de umas minorias da nossa sociedade mas que têm muitas necessidades, estamos sempre disponíveis para colaborar, para comparticipar e trabalhar em conjunto, até porque somos parceiros e é isso que temos feito”. O investimento teve a ver com “algumas remodelações e algumas obras como temos feito nas outras instituições de solidariedade social. Aqui, envolveu ainda a criação de alguns gabinetes. Estamos a falar de uma instituição que trabalha com muitas pessoas, são mais de cem pessoas aqui referenciadas, ligadas à prostituição e à toxicodependência que são um flagelo da nossa sociedade e sem dúvida alguma que as autarquias têm aqui uma grande responsabilidade naquilo que é a qualidade de vida de todos, mas mesmo de todos aqueles que vivem no nosso município e no nosso país”.

Por seu lado, a coordenadora do MAPS – Projeto Vida, em Quarteia, Ana Esmael, disse ao PlanetAlgarve que “o espaço que tínhamos antes, onde desenvolvíamos o Projeto Cuida-te!, era um espaço que não reunia as condições adequadas para que nós pudéssemos proporcionar alguma confidencialidade porque o nosso trabalho também pressupõe o atendimento individual aos nossos utentes e era espaço que não tinha gabinetes, era um ‘open space’, pelo que, naquelas situações mais delicadas, em que pretendíamos garantir a privacidade, implicava que tivéssemos que fechar a porta, atender aquela pessoa e manter as restantes lá fora à espera. Neste momento, com o contributo da junta de freguesia, foi feito este trabalho espetacular que hoje nos permite garantir essa confidencialidade aos nossos utentes porque temos agora gabinetes individuais onde atender os nossos utentes à porta fechada, mantendo a continuidade dos outros serviços. Aliás, se surgir um utente com necessidades de cuidados de enfermagem, agora também temos todas as condições, inclusive de higiene, para garantir esse cuidado”.

Relativamente à equipa, Ana Esmael adianta que “é a mesma que está montada desde início (coordenador; psicólogo; técnico assistente social; jurista; enfermeiros). Houve aqui a necessidade de alguns equipamentos e tivemos também aí o contributo por parte da autarquia de Loulé, pelo que estes dois contributos fizeram com que nós, hoje, tenhamos um espaço do qual eu, enquanto coordenadora, me orgulho imenso. É um espaço pequeno mas que nos permite fazer algo muito grande no apoio aos nossos utentes e por todas as pessoas que nos batem à porta, procurando os nossos serviços e o nosso apoio. Hoje, conseguimos prestar o serviço, da forma que eu entendo ser a mais adequada, respeitando os direitos das pessoas. Portanto, o contributo da câmara de Loulé e da junta de Quarteira veio garantir aquilo que estava a fazer falta no projeto e quem ganha é a comunidade”.

 Por: Jorge Matos Dias / PlanetAlgarve

Categories: Quarteira