Loulé

Primeiro-Ministro inaugurou Conservatório de Música “Francisco Rosado” no arranque do ano letivo em Loulé

O Primeiro-Ministro, António Costa, esteve hoje em Loulé, acompanhado pela sua equipa ministerial ligada à Educação – Ministro Tiago Brandão Rodrigues e os Secretários de Estado Alexandra Leitão e João Costa – para presidir à inauguração do Conservatório de Música de Loulé. Depois de, em junho, ter participado no “Abraço Verde” no Dia Mundial da Criança, este responsável governamental regressou a esta cidade para assinalar o arranque do ano letivo no Concelho.

A partir de agora, o Sul do País passa a ter também uma escola pública direcionada para o ensino integrado de Música, que se irá juntar aos conservatórios de Braga, Porto, Aveiro, Coimbra e Lisboa nesta rede nacional.

O Conservatório de Música de Loulé terá como patrono o Professor Francisco Rosado, grande impulsionador do Encontro de Música Antiga de Loulé, e vai funcionar no Solar da “Música Nova” (Solar da família Barros e Aragão), edifício abrasonado do século XVIII que sofreu profundas obras de reabilitação nos últimos meses. Em articulação com os agrupamentos escolares, aqui irá funcionar um estabelecimento escolar com 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico (do 5º ao 9º ano) e do Ensino Secundário (do 10º ao 12º ano) no domínio do ensino artístico especializado da Música. São cerca de 300 os alunos vindos de várias partes do Algarve que irão integrar o Conservatório. Manuel Rocha, antigo diretor do Conservatório de Música de Coimbra, com um assinalável currículo na área da Música, vai estar à frente da direção.

Parte deste espaço (3 das 18 salas de aula) será ocupado pela Sociedade Filarmónica Artistas de Minerva, associação cultural centenária do Concelho, ligada desde sempre à Música e a esta “casa”, que terá aqui a sua nova sede e também a sua Escola de Música com cursos livres de diversos instrumentos.

Em fase de conclusão está um Auditório Municipal que irá servir as necessidades de espaços para atividades culturais na cidade.

Foi graças a uma parceria entre o Ministério da Educação e o Município de Loulé que foi possível instalar no Algarve esta escola pública. A Autarquia foi responsável pela cedência do espaço e pelas obras de reabilitação do mesmo, um investimento de perto de 3 milhões de euros. Este foi, de resto, um processo realizado em tempo record, como referiram os intervenientes.

Para além da salvaguarda do edifício, o objetivo inerente a esta recuperação foi o de melhorar e reforçar as infraestruturas de apoio ao ensino de música. Loulé, o maior município algarvio, que conta com 56 equipamentos educativos, com 10.568 alunos e 860 professores, quer estar na vanguarda ao nível dos equipamentos culturais, particularmente nesta área, desenvolvendo dinâmicas que tornem a cidade num polo musical de referência no contexto nacional.

“O objeto urbano, agora irradiante de beleza e alegria, que tanto bem nos fará, servirá também para ser vivido pelas dezenas e centenas de professores e alunos que a partir deste dia aqui se dedicarão ao ensino e aprendizagem da música”, sublinhou o autarca, Vítor Aleixo. Este responsável considerou ainda que esta obra constitui uma “verdadeira peça urbana sinfónica” e que é “um marco e ponto de viragem para um novo ciclo de regeneração urbana da cidade” onde se enquadram outras intervenções como a recuperação do Palácio Gama Lobos, a musealização dos Banhos Islâmicos ou a recuperação total da Igreja Matriz.

Refira-se que até ao próximo sábado vai ser possível visitar as instalações do Conservatório de Música de Loulé e todo o espaço do Solar que faz parte da memória coletiva e identitária dos louletanos. Os horários das visitas são os seguintes: quinta-feira e sexta-feira, das 13h00 às 20h00; sábado, das 9h30 às 16h30.

Ano letivo para consolidar políticas educativas

Num dia muito especial para a Educação no Sul do País, o Primeiro-Ministro falou da “festa de um novo ano letivo” e do facto da música estar associada a este momento, sublinhando a importância do ensino artístico. “O papel da escola não é só ensinar a ler, a fazer contas, onde nascem os rios, a função fundamental da escola é fazer de nós cidadãos livres”, referiu este responsável.

Por seu turno, Tiago Brandão Rodrigues adiantou que a educação artística é para o Governo cada vez uma forte aposta. “Os algarvios podem olhar para este território e saber que o ensino artístico especializado tem um tremendo impacto também no sucesso escolar nas outras disciplinas. Quem nestes territórios está ávido de arte, de educação, de cultura, sabe bem como é precioso ter aqui este Conservatório”, considerou o Ministro.

António Costa e o Ministro Tiago Brandão Rodrigues apresentaram em Loulé aquelas que serão as principais apostas do ano letivo 2018/19 e que vêm consolidar “um conjunto de projetos muito importantes lançados há três anos”: a flexibilização curricular, dando autonomia aos agrupamentos para ajustarem os currículos àquilo que são as realidades especifica dos territórios e de cada aluno; criar uma escola para todos e uma escola que seja inclusiva, nomeadamente com a gratuitidade dos manuais escolares no 1º e 2º ciclos e, por outro lado, adotando uma política direcionada para as crianças com necessidades educativas especiais; continuar o percurso para um maior sucesso educativo, por exemplo alargando a oferta formativa e valorizando o ensino artístico e profissional; a redução do número de alunos por turma; e a universalização do ensino pré-escolar a todas as crianças com 3 anos.

Categories: Loulé