Algarve

Loulé acolheu o XVIII Encontro dos Povos Migrantes no Algarve

Loulé acolheu ao longo do dia de ontem, 23 de setembro, o XVIII Encontro dos Povos Migrantes que reuniu imigrantes residentes no Algarve provenientes dos seguintes países, Argentina, Angola, Argélia, Bélgica, Brasil, Cabo Verde, França, Inglaterra, Marrocos, Moçambique, República Dominicana, Roménia, São Tomé e Príncipe, Ucrânia e Venezuela.

A iniciativa, que contou pela primeira vez com a participação de povos muçulmanos, foi promovida pela Comissão de Organização da Festa dos Emigrantes de Loulé, em parceria com o projeto Loulé Sem Fronteiras (representado por Nelson Horta e Selma Cazes na condução do protocolo), Associação Esperança e Paz, Associação Doina e representantes das demais Comunidades de Imigrantes do Concelho de Loulé, tendo contado com o apoio da Câmara Municipal de Loulé, que se fez representar ao mais alto nível pelo seu presidente, Vítor Aleixo, pela vereadora Marilyn Zacarias, e pelo adjunto do presidente, Telmo Pinto.

De registar ainda a presença do presidente da Junta de Freguesia de S. Clemente, Carlos Filipe e da diretora municipal Dália Paulo.

O Vigário da Vigararia de Loulé, Pe. Carlos Aquino, presidiu à celebração da eucaristia no Santuário de Nossa Senhora da Piedade (Mãe Soberana), iniciando a jornada do dia.

Após a entronização das bandeiras de cada país, o sacerdote começou por lembrar que o objetivo do encontro era “dar graças a Deus” por tudo o que tem feito por cada um dos presentes.

Uma celebração muito festiva, com muitos cânticos e com o tradicional momento das ofertas, por parte dos países presentes, cada uma com o seu significado.

No final da celebração, foram apresentados os juízes responsáveis pela organização da iniciativa, bem como os indicados para a edição do próximo ano, entre os quais se destaca o autarca louletano, Vítor Aleixo.

Depois da eucaristia, a 18.ª Festa dos Povos teve continuidade com o almoço-convívio no Salão Municipal de Festas de Loulé, com as gastronomias, as músicas e as danças caraterísticas de cada cultura a servirem de pretexto para a aproximação e para a convivência entre as gentes que chegam ao Algarve trazidas pelos fluxos migratórios.

Aqui tiveram lugar as intervenções oficiais que pode acompanhar abaixo no Vídeo 2.

De realçar ainda a habitual comitiva, em grande número, do Banco de Tempo – Agência de Quarteira, liderada pela sua coordenadora, Isabel Pinto.

Por: Jorge Matos Dias / PlanetAlgarve

Veja também o VÍDEO 1, VÍDEO 2, VÍDEO 3, VÍDEO 4

Categories: Algarve, Loulé