Quarteira

Feirantes fazem a festa no encerramento da Feira de Verão de Quarteira

A Feira de Verão de Quarteira encerrou ontem, 30 de setembro, ao som do DJ Rodriguez, após 4 meses de funcionamento.

Pelo meio ficaram muitos espetáculos, uns mais apreciados que outros, com mais ou menos público. Por ser o último dia, antes da hora marcada já as cadeiras estavam todas ocupadas pelo público mais idoso, que vinha marcando presença todos os dias. Ao verificarem do que se tratava, depressa se levantaram e abandonaram o local, deixando as cadeiras quase todas vazias. Alguns abordaram o nosso repórter no local e manifestaram a sua indignação: “Escreva lá que foi a Maria Adelaide. Isto não tem jeito nenhum para o fim da festa. Estou muito desiludida. Música de discoteca com 6 pirilampos e um moço às escuras? Ao menos se houvesse um espetáculo de luzes ainda a gente ficava a olhar para elas”, acrescentando: “Se é música desta, para que são as cadeiras? Mas está tudo doido? Levam daqui o dinheiro e os bons espetáculos com grandes nomes são todos em Loulé para atraírem os turistas que cá temos. Para Quarteira é sempre o refugo para entreter os que cá estão”.

Ouvimos outros testemunhos na mesma linha de raciocínio mas apenas reproduzimos a desta cidadã porque foi a única que se identificou e fez questão que publicássemos o seu desabafo.

Mas nem tudo correu mal neste último dia da feira. Ao longo de 4 meses, foram-se criando amizades entre os feirantes e um grupo deles decidiu fazer o fim de festa à boa maneira algarvia: à roda da mesa. A juventude estava em maior número e, por isso, decidiu dar uma ajudinha ao DJ, animando o recinto com a sua energia e alegria.

Entre os feirantes em convívio, Alda Venceslau também fez questão de deixar vincada a sua perspetiva da feira: “Hoje é o último dia da tão falada Feira de Verão em Quarteira! Uma feira cheia de dor de quem luta pelo verdadeiro artesanato. O sucesso que tanto fala o presidente da Câmara de Loulé não é de todo verdade, e falo em nome dos artesãos. Uma feira cheia de insucessos e fracassos para quem faz o que gosta com as suas próprias mãos. Apesar de tudo, vamos levar daqui amigos que criámos ao longo de duras noites sem vendas… Isto para dizer que hoje decidimos fazer este jantar de good bye no recinto da feita, da qual o Jorge, sem se aperceber, também fez parte! Estamos aqui num convívio de amigos e fazer o balanço do que foi o tão falado sucesso… Não sabemos se voltamos para o ano…”.

Ao longo destes 4 meses, pela Feira de Verão de Quarteira passaram muitos espetáculos, num recinto novo, animando uma outra zona da cidade, em resposta a muitas críticas que diziam: “É tudo na marginal, é tudo no calçadão. Há duas Quarteiras, a de baixo e a de cima. Para cá da avenida está tudo abandonado, sem animação nenhuma”. Como bem sabemos, é difícil agradar a gregos e troianos. Foi uma experiência nova. Para uns, terá corrido menos bem mas para outro terá corrido muito bem, como os carrinhos de choque e alguns pontos de comes e bebes. Para a população em geral, foi com certeza positivo. Teve um cartaz de animação muito vasto e variado, embora em alguns casos se possa discutir a qualidade.

Por: Jorge Matos Dias / PlanetAlgarve

 

Categories: Quarteira