AGENDA

QUERENÇA | Fundação Manuel Viegas Guerreiro divulga e promove a poesia de Gastão Cruz

Gastão Cruz

A Fundação Manuel Viegas Guerreiro divulga e promove a poesia de Gastão Cruz, após a inauguração da exposição de homenagem ao escritor, ensaísta, tradutor e encenador no âmbito do 3.º Festival Literário Internacional de Querença.

Três tertúlias, uma conferência dedicada à palavra e ao património e vistas de estudo de alunos dos ensinos básico (3.º ciclo) e secundário estão entre as iniciativas que decorrem desde Setembro e se prolongam pelo ano de 2019.

O ator Paulo Moreira, a escritora Luísa Monteiro e o “dizedor” de poesia Afonso Dias são os protagonistas das sessões de leitura marcadas para o último sábado do mês. A próxima está agendada para dia 27, pelas 18h00 e tem Luísa Monteiro como convidada especial.

Para o mês de Novembro (dia 24, pelas 17h00), a sessão de encerramento da tríade de leituras prevê a palestra “Conservar a Palavra: patrimónios literários e literatura patrimonial”, numa ação co-organizada pelo CIAC – Centro de Investigação em Artes e Comunicação da Universidade do Algarve. Pedro Ferré, João Minhoto Marques e Ana Morão são os oradores convidados*. Afonso Dias dará voz (pelas 18h00) à sessão de leitura que seguirá a conferência.

As iniciativas decorrem na Biblioteca da FMVG, onde ainda poderá conhecer a exposição de tributo ao poeta. “Gastão Cruz: palavras somos nós” foi organizada em parceria com a Câmara Municipal de Loulé.

Entrada livre.

Mais sobre os convidados:

Pedro Ferré | Licenciado em Literatura pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (1978) e doutorado em Literaturas Românicas pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (1987), onde se agregou em 1996. Exerceu a docência nas universidades de Lisboa e Nova de Lisboa bem como, no estrangeiro, nas universidades de Utrecht, Colónia e na École des Hautes Études de Paris, sendo, desde 2000, Professor Catedrático da Universidade do Algarve. Foi o fundador do Instituto de Estudos sobre o Romanceiro (Universidade Nova de Lisboa). Interesses de investigação: Tem dedicado a sua atividade científica – publicada em Portugal e no estrangeiro (Espanha, Itália, França, Holanda, Estados Unidos, Brasil, etc) – ao romanceiro da tradição oral moderna, ao romanceiro antigo e à literatura espanhola e portuguesa. É atualmente membro do Centro de Investigação em Artes e Comunicação (Universidade do Algarve) e desenvolve também investigação em centros estrangeiros como o Instituto Seminario Menéndez Pidal (Universidad Complutense de Madrid). Fruto destes trabalhos, iniciados há já mais de 30 anos, editou, entre outras obras, a primeira descrição de um corpus baladístico nacional (Bibliografia do Romanceiro Português da Tradição Oral Moderna, Madrid, 2000), bem como os primeiros quatro volumes do Romanceiro Português da Tradição Oral Moderna. Versões publicadas entre 1828 e 1960, dados à estampa pela Fundação Calouste Gulbenkian, desde 2000. Ainda sob a sua direção, foi criado este Arquivo do Romanceiro Português.

João Minhoto Marques | Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas (Estudos Portugueses e Franceses) pela Faculdade de Letras de Lisboa (1989) e mestre em Literatura Portuguesa Contemporânea (1994) pela mesma Faculdade. Doutorou-se em Literaturas (especialidade de Literatura Portuguesa Contemporânea) pela Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade do Algarve, em 2002. Entre 1990 e 1993 foi bolseiro de investigação pelo Instituto de Cultura e Língua Portuguesa (ICALP), tendo integrado a equipa responsável pela elaboração do Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea, no Instituto de Lexicologia e Lexicografia da Academia das Ciências de Lisboa. É professor na Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, da Universidade do Algarve, desde 1993. Nesta Faculdade desempenhou, nos últimos anos, os cargos de Subdiretor do Departamento de Artes e Humanidades (2015-2016) e Diretor do mesmo Departamento (2016-2017). Presentemente é Coordenador do Centro de Formação e Atualização Permanente da Universidade do Algarve (CeFAP) e Vice-Presidente do Conselho Científico da referida Faculdade. É, ainda, desde 2011, Subdiretor do Doutoramento em Literatura e, desde 2010, tem integrado o júri da Universidade do Algarve da componente de língua portuguesa da prova para a avaliação de capacidade para a frequência do Ensino Superior dos Maiores de 23 anos. No âmbito da divulgação científica junto da comunidade, organizou vários cursos livres de literatura, em colaboração com as bibliotecas municipais de Faro (2014), de Loulé (2015) e de Olhão (2017). Interesses de investigação: A sua investigação tem-se centrado na receção e nas configurações do bucolismo na literatura portuguesa moderna e contemporânea. Nos últimos anos, tem-se dedicado igualmente ao estudo e edição da obra do poeta Cândido Guerreiro, tendo já dado à estampa dois volumes (em 2013 e 2014) das suas Obras completas. Neste momento, está a editar para a Câmara Municipal de Loulé o terceiro tomo das referidas Obras, estando ainda prevista a publicação de um volume de correspondência do mesmo Autor.

Ana Maria Paiva Morão | Doutorada em Estudos Literários (área de Literatura Oral e Tradicional) pela Universidade de Lisboa, com uma tese sobre o romanceiro da tradição oral portuguesa. Investigadora Integrada do CLEPUL/Grupo de Investigação de Tradições Populares Portuguesas (Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa), Colaboradora do CIAC, Centro de Investigação em Ciências da Comunicação e Artes (Universidade do Algarve) e docente no Curso de Pós-Graduação em Património Cultural Imaterial da Universidade Lusófona. Fez parte da equipa do Centro de Tradições Populares Portuguesas ‘Prof. Manuel Viegas Guerreiro’ (FLUL) que criou o ADLOT (Arquivo Digital de Literatura Oral Tradicional), financiado pela FCT. Tem apresentado numerosas comunicações sobre Literatura Oral Tradicional em Jornadas, Colóquios e palestras e tem algumas publicações sobre essa temática. Organizou e participou em diversos workshops sobre metodologias e problemas de recolhas de LOT e sobre questões de salvaguarda, valorização e divulgação do Património Imaterial. Faz parte das Direções da Associação de Peregrinos Via Lusitana e da Associação Portuguesa para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial e é membro-fundador da Associação Cultural de Montalvão Vamos à Vila.

Co-organização | Sandra Boto | Licenciada em Línguas e Literaturas Modernas – variante de Estudos Portugueses pela Universidade do Algarve. Em 2012 doutorou-se em Línguas, Literaturas e Culturas – Estudos Literários pela Universidade Nova de Lisboa, com a tese As Fontes do Romanceiro de Almeida Garrett. Uma Proposta de Edição Crítica. A sua investigação de doutoramento foi desenvolvida com o apoio de uma bolsa concedida pela Fundação para a Ciência e Tecnologia. Atualmente, desenvolve o projeto de pósdoutoramento O Romanceiro de Almeida Garrett. A edição crítica integral em formato digital, acolhido pelo Centro de Literatura Portuguesa da Universidade de Coimbra e pelo Centro de Investigação em Artes e Comunicação da Universidade do Algarve, também com bolsa atribuída pela Fundação para a Ciência e Tecnologia. É membro do CIAC (Universidade do Algarve) e do CLP (Universidade de Coimbra). É responsável científica do projeto Romanceiro.pt, acolhido pelo CIAC. Ensinou na Universidad de Huelva, na Universidade do Algarve e na Universitat Autònoma de Barcelona, onde dirigiu o Centro de Língua Portuguesa do Instituto Camões. Da sua experiência docente, destaca-se o ensino de Português para Estrangeiros e de Literatura Espanhola. Interesses de investigação: Apresenta muito regularmente o produto da sua investigação em encontros científicos nacionais e internacionais. Foi participante convidada com bolsa atribuída no workshop “Code and Collation” organizado pelo projeto “DIXIT – Digital Scholarly Editions Initial Training Network” financiado pelo Programa Marie Curie (Amesterdão, novembro de 2016). É membro do Conselho Executivo do CIAC – Centro de Investigação em Artes e Comunicação. Foi a coordenadora geral do V Congresso Internacional do Romanceiro, que teve lugar na Universidade de Coimbra, a 22, 23 e 24 de junho de 2017 (organizado pelo Centro de Literatura Portuguesa e pela Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra em parceria com a Fundación Ramón Menéndez Pidal).

Categorias:AGENDA, Loulé