Quarteira

Artista quarteirense Dino D’Santiago no 1.º lugar do Top Oficial de Portugal

O artista quarteirense Dino D’ Santiago, participante no interval act da Final do Eurovision Song Contest 2018, é o novo líder do Top Oficial de Portugal – Semana 43 de 2018, com o seu CD “Mundu Nôbu”, de acordo com as tabelas oficiais da Associação Fonográfica Portuguesa publicadas, semanalmente, no ESCPORTUGAL.

FICHA TÉCNICA: Top Oficial de Portugal, da responsabilidade da GFK para a AFP (Associação Fonográfica Portuguesa) e AUDIOGEST (Entidade de Gestão Coletiva de Produtores de Música em Portugal). O Top Oficial de Portugal inclui:

1) Venda de Álbuns – os 20 álbuns mais vendidos em Portugal e da posição 21 à 50 os álbuns mais vendidos de artistas nacionais e lusodescendentes

2) Top de Streaming, onde constam as músicas mais escutadas nas seguintes plataformas de serviços de streaming licenciadas para Portugal: Apple, Google, Napster, Spotify e XBOX; apresentamos o Top 10 e, da posição 11.ª à 100.ª, as canções de intérpretes portugueses e lusodescendentes.

DINO D’ SANTIAGO

Claudino de Jesus Borges Pereira, Dino D’ Santiago nasceu há 30 anos em Quarteira. O mais velho de três filhos, desde cedo se habituou a assistir aos ensaios dos coros que os seus pais, catequistas, ensinavam. A música corria-lhe no sangue, mas durante grande parte da sua adolescência, quis ser pintor.

Se o acaso existir, Dino cruzou-se com ele no dia em que foi acompanhar uma amiga num casting para o programa de televisão, Operação Triunfo. Corria o ano de 2003. Inesperadamente, fez o casting e foi selecionado. Acabaria por ser um dos finalistas do concurso.

Na música, para além dos coros, Dino trazia a experiência de um grupo de Hip Hop, os Opinião Pública, uma banda que fundou em Quarteira e da qual fez parte.

Num ápice, a vida mudou e Dino, que já amava a música, abraçou-a de corpo e alma.

Em 2004 fez parte da Jaguar Band, o grupo de músicos que acompanham os Expensive Soul em concertos ao vivo.

Em 2008, com o pseudónimo Dino SoulMotion, lançou o primeiro álbum a solo: Eu e os Meus, com a colaboração de artistas de renome como Virgul e Pacman (Da Weasel), Valete, Sam The Kid, Ângela Pais, AS2 e de Tito Paris, no tema Mamã.

No ano seguinte, juntou-se a Virgul (Da Weasel) e fundaram os Nu Soul Family. Com This Is For My People, a banda conquistou o público e venceu o prémio da MTV na categoria de Portuguese Best Act.

Consciente de que a família é o seu centro, Dino partiu à procura das suas raízes e, com o pai, aprofundou o conhecimento das suas origens, visitando a sua Ilha de Santiago, em Cabo Verde.

O impacto foi tão forte que se tornou claro que o seu caminho passaria por juntar os sons quentes africanos ao Fado, numa fusão singular.

Definido o novo rumo e, em jeito de homenagem à sua família, o músico assumiu um novo nome artístico: Dino D’ Santiago. E viajou: Por vezes, é preciso estar longe para perceber o que é realmente importante.

No regresso, trazia experiências, sensações, influências e uma maturidade que lhe permitiu mergulhar dentro de si, para melhor se poder revelar.

O resultado chama-se EVA: “Este disco sou eu, é o resultado do que vejo, do que sinto. Procuro a simplicidade e o amor. É nisso que acredito“.

O disco conta com a participação do cantor cabo-verdiano Jay, no tema Nôs Tradison e do cantor e compositor angolano Paulo Flores, em Pensa na Oji.

O crioulo de Cabo Verde e o português são as línguas dominantes, numa mistura perfeita de sons únicos da lusofonia.

A co-produção do seu novo CD, “Mundu Nôbu”, conta com Sara Tavares, Jorge Fernando, Rolando Semedo, Hernani Almeida e Diogo Clemente.

Dino D’ Santiago, de coração aberto, para o mundo.

Categories: Quarteira