Quarteira

Quarteira cidade integradora | Imigrantes do Nepal e do Bangladesh concluem curso de Português A1+A2

28 imigrantes do Nepal e do Bangladesh, residentes na freguesia de Quarteira, inscritos e participantes do Projeto “Loulé Sem Fronteiras” – FAMI de apoio à população imigrante NPT (Nacionais de Países Terceiros) , promovido pela Fundação António Aleixo, concluíram esta quinta-feira, 20 de dezembro, a formação PPT (Português Para Todos), nível A1 + A2, num total de 150 horas, com certificação final, após conclusão.

A última aula contou com a presença do presidente da Junta de Freguesia de Quarteira, Telmo Pinto, representante do Centro de Formação de Faro e do Centro de Emprego de Loulé, Anabela Marques, Prof.ª Célia (esta última professora do curso) do coordenador do Projeto “Loulé Sem Fronteiras”, Nelson Horta e do coordenador do curso, Vasco Cary, brindados pelos alunos com cozinha tradicional do Nepal, as pintas carmesim na testa e nas faces. A Prof.ª Célia e Telmo Pinto foram ainda brindados com os famosos lenços típicos nepaleses.

Segundo Nelson Horta, “esta é a última aula de Português e esperamos que vocês tenham aprendido um pouquinho de Português falado e escrito. Quando vocês começam este ensino de Português, nos atendimentos, já conseguem falar, devagar mas em Português. Estarmos a falar em Inglês não estamos a ajudar porque Inglês vocês já sabem. Já sabemos que foram uma turma exemplar, sempre presentes. O projeto apenas deu os vossos nomes e as fichas de inscrição mas só conseguimos esta turma graças aos apoios dos nossos parceiros, nomeadamente a Dr.ª Anabela Marques, que representa o Centro de Emprego de Loulé e o Instituto de Formação; Junta de Freguesia de Quarteira, aqui representada pelo seu presidente, Telmo Pinto, que garantiu o aluguer desta sala; E, claro, a nossa querida Prof.ª Célia que tem estado todos estes dias convosco há quase 2 meses para que conseguissem aprender e terem o Certificado dos níveis A1+A2 de Português”. A finalizar, Nelson Horta deixou “o mesmo desafio dos colegas do ano passado: Prosseguirem para os níveis B1+B2, como já fizeram colegas vossos. É igualmente grátis. É melhor aproveitarem porque é melhor para vocês”, deixando ainda “um agradecimento ao Vasco Cary que tem sido o mentor, tratou de todos os documentos e de todos os contactos em todo o Algarve e também à equipa dos Ginásios de Educação Da Vinci que tem aqui um espaço muito bonito”.

Anabela Marques considerou ser “muito bom ver uma sala cheia no último dia de formação. Muitas vezes, ao da formação, as pessoas vão desistindo mas aqui não. Isso mostra que vocês estão empenhados em aprender Português e estão aqui todos para fazerem o vosso teste final para obterem o vosso certificado”.

Telmo Pinto começou por dizer que “vocês são bem vindos aqui a Quarteira mas é importante que vocês aprendam Português. Vocês sabem que quando chegam não é fácil arranjar trabalho. Muitos de vocês vão trabalhar para a agricultura ou para as cozinhas. Fazem o trabalho mais duro e menos pago. Para serem melhor pagos, o Português deve a primeira língua de ligação. Vocês são todos jovens, muito jovens, têm conhecimentos e o Português faz toda a diferença entre ganhar mais ou menos. Por isso, é importante que vocês continuem connosco para o próximo nível. Tudo o que for preciso, nós estamos aqui para ajudar. Não desistam. Vocês estão aqui para ficarem cá para sempre e constituir as vossas famílias aqui”.

A Prof.ª Célia agradeceu “a todos vós. Foi, realmente, uma turma muito empenhada. Eu fiz algum trabalho mas vocês também contribuíram muito para o vosso sucesso e para o meu. Também recomendo que não fiquem por aqui. Leiam, escrevam e o B1+B2 é uma boa oportunidade para continuarem porque, uma língua, quando se para, esquece-se. Então temos que ler e ouvir um bocadinho todos os dias para dar continuidade a este trabalho. Vocês têm agora as ferramentas, agora é preciso desenvolvê-las mais”.

Vasco Cary chamou a atenção para algo muito importante: “Muitos de vocês andaram na universidade no vosso país. Têm cursos superiores. Fizeram o A1+A2, façam o B1+B2 e depois venham ter connosco para nós vos ajudarmos a trazer os vossos cursos para Portugal. Aqui, vocês trabalham em hotéis ou restaurantes e no Nepal se calhar trabalhavam em empresas, em outros setores e nós queremos que vocês cá façam o mesmo que faziam lá. Para isso, é necessário criar um processo de equivalências. Para isso, iremos falar com as universidades portuguesas para quando entrarem no mercado de trabalho terem mais oportunidades”.

A presente ação de formação contou com o apoio das entidades parceiras Centro de Emprego de Loulé, Centro de Emprego e Formação Profissional de Faro e Junta de Freguesia de Quarteira.

Estas ações de educação/formação são primordiais para incrementar o conhecimento e a prática da língua portuguesa, bem como promover a integração e inclusão dos imigrantes em contexto social, laboral e cultural.

Por: Jorge Matos Dias / PlanetAlgarve

Categories: Quarteira