Quarteira

PSD Quarteira e Loulé: «A ciclovia da indignação»

Depois de tanta – e justificada – contestação levada a cabo pela população e face à tomada clara de posição do PSD/Loulé e do Núcleo do PSD/Quarteira contra a aberrante ciclovia que a Câmara Municipal de Loulé achou por bem implantar na principal artéria da cidade de Quarteira, eis que o Núcleo local do PS dá sinal de vida com aparente indignação, lançando um comunicado que, para além de baseado em muitas inverdades, tem um efeito flagrante: tentam “sacudir a água do capote” perante a polémica, que nunca acreditaram pudesse escalar desta forma.

Não fora assim, e o presidente da Junta de Freguesia, Telmo Pinto, não se veria forçado a demitir-se de adjunto do presidente da Câmara Municipal. Ele, que sempre acompanhou o projecto desde o início, e que agora, confrontado com a indignação popular, percebeu que este erro grosseiro sair-lhe-ia muito caro… Sai de cena na Câmara Municipal, para vestir novamente a pele de defensor dos interesses dos seus fregueses, tentando passar a ideia de que nada teve a ver com esta iniciativa. E chegando ao cúmulo de solicitar em Assembleia Municipal alterações à mesmíssima ciclovia cuja execução sancionou. Um acto de hipocrisia política lamentável!

Com as suas “ações experimentais” – assim mesmo é afirmado sem pudor no comunicado socialista – Vítor Aleixo e a sua equipa mostraram um total desrespeito pela população de Quarteira, ao impor uma alteração profunda na circulação da principal artéria da cidade sem ouvir opiniões da população. Mas há mais! No troço escolhido da avenida, “serão avaliadas propostas que visam tornar Quarteira numa cidade cada vez mais sustentável”. Isto é: fazem-se umas experiências, vamos ver no que dá, se não resultar, propõe-se outra coisa, não se sabe ainda bem o quê…

Assistimos, assim, ao que de pior se faz em termos de gestão autárquica.

Por isso, perguntamos: em cinco anos, isto é o melhor que a equipa de Vítor Aleixo tem para mostrar? Onde está a real capacidade de planificação, revisão e decisão? Quarteira, na ótica do executivo socialista, não passa afinal de um “laboratório experimental”? Serão os quarteirenses cobaias para o presidente da Câmara Municipal?

São muitas as questões que ficam sem resposta.

Mas o nosso trabalho não se resume a apontar os erros graves, é preciso criticar de forma construtiva. E é por isso que lançamos três novas propostas à Câmara Municipal de Loulé.

Em primeiro lugar, o desafio de implantar na cidade de Quarteira 10 ou 12 das estações de bicicletas partilhadas que estão há muito definidas (Mercado, Praça do Mar, início e final do Calçadão, Bombeiros/GNR, Terminal Rodoviário, Centro de Saúde, escolas Laura Ayres, Dom Dinis e Francisca de Aragão, Centro Autárquico e Rua Vasco da Gama norte). No fundo, estender o sistema implementado pelo anterior executivo PSD em Vilamoura, e que tanto sucesso tem tido.

Em segundo, propor que a ciclovia seja implantada na avenida Infante de Sagres, a marginal de Quarteira, onde existe espaço e segurança suficientes para permitir circulação bi-direcional de bicicletas e zona de circulação de 30 Km/h).

Por último, o desafio à equipa de Vítor Aleixo de ampliar o circuito de Transportes Urbanos de Quarteira, tornando-os mais cómodos e próximos da população, à semelhança do que já acontece noutras cidades do País, como é o caso de Alcobaça.

As Comissões Políticas da Secção de Loulé e do Núcleo de Quarteira do PSD

Categories: Quarteira