AGENDA

LOULÉ | Depois do Brasil, Festival Tanto Mar prossegue hoje com Escuridão Bonita do angolano Ondjaki

Teve início ontem, quinta-feira, dia 7 de março, pelas 21h30, a primeira edição do festival dos países falantes do português, o Tanto Mar – Festival Internacional de Artes Performativas de Loulé, no Cine-Teatro Louletano, com a apresentação da peça “Kangalutas”. 

A partir do texto de Abdulai Sila com adaptação, encenação e direção artística de João de Mello Alvim, membro da associação de artes performativas Folha de Medronho, a peça é uma coprodução entre aquela estrutura e o Grupo de Teatro do Oprimido (GTO) da Guiné Bissau e nela participam as atrizes guineenses Edilta da Silva e Elsa Maria Ramos Gomes (GTO), e Alexandra Diogo da associação portuguesa.

Trata-se de um drama e de uma comédia que retratam uma faceta pouco (re)conhecida de uma passado ainda presente, vivido por muitos guineenses e portugueses, no qual se misturam factos e memórias reais e fictícias, deles fazendo uma trama tecida em torno das vicissitudes do amor, feridas do passado e conflitos de interesses.

Hoje, dia 8, sexta-feira, é a vez de subir ao palco a peça “Escuridão Bonita” uma adaptação de UMCOLETIVO – Associação Cultural, da estória do escritor angolano Ondjaki. Uma peça de registo intimista especialmente vocacionada para famílias.

Segundo UMCOLETIVO, “A história é muito cheia de cheirinhos e sabores e abraços indolores. É uma história que se faz muitas vezes, a pouco e pouco, com poucas pessoas na sala. Acontece como uma música longa e em segredo, que interrompe o coração, e, por isso, chamamos-lhe ESCURIDÃO BONITA”.

“Desmontagem Evocando os Mortos – Poéticas da Experiência” é a peça brasileira prevista para o dia 10 de março, sábado, no âmbito deste Festival Internacional de Artes Performativas de Loulé. A peça refaz o caminho do ator na criação de personagens emblemáticos da dramaturgia contemporânea e constitui um olhar sobre as questões de género, questões que ocupam centralmente o trabalho da Tribo de Actuadores Ói Nóis Aqui Traveiz, companhia responsável por esta produção.

Os espetáculos têm início às 21h30, sendo o custo de cada bilhete de 5 euros sem descontos aplicáveis.

Para mais informações e reservas os interessados podem contactar o Cine-Teatro Louletano pelo telefone 289 414 604 (terça a sexta-feira, das 13h00 às 18h00) ou pelo email cinereservas@cm-loule.pt. Além disso, podem consultar a sua página de facebook – www.facebook.com/cineteatrolouletano ou o seu renovado website http://cineteatro.cm-loule.pt, ambos em permanente atualização, bem como a sua conta no instagram (cineteatrolouletano), existindo também a possibilidade de compra de ingressos nos locais aderentes ou on-line através da plataforma BOL, em https://cineteatrolouletano.bol.pt/

O Cine-Teatro Louletano é uma estrutura cultural no domínio das artes performativas da Câmara Municipal de Loulé e está integrado na Rede Azul – Rede de Teatros do Algarve e na Rede 5 Sentidos.

Categories: AGENDA, Loulé