Faro

BE Faro quer apuramento de responsabilidades no processo Ambifaro

A Ambifaro, empresa municipal criada em 1999, tem tido desde sempre o apoio das sucessivas governações autárquicas do PS e do PSD.

Três anos consecutivos de prejuízos (2015 a 2017), obrigaram a uma auditoria, tendo a Assembleia Municipal constituído uma Comissão de Acompanhamento a essa auditoria, da qual fazem parte todos os partidos representados na Assembleia. 

O Bloco de Esquerda sempre fez parte do conjunto daqueles que questionaram a gestão daquela empresa. As notícias vindas a lume acerca da gestão danosa da Ambifaro parecem dar razão às nossas apreensões. 

Para salvar financeiramente a Ambifaro, para além dos empréstimos bancários, o Executivo camarário aprovou, com a abstenção dos vereadores do PS, uma proposta à Assembleia Municipal, para reintroduzir os parquímetros em Faro, revertendo os lucros para o reequilíbrio financeiro da Ambifaro. O Bloco de Esquerda, tal como outros, defendeu que a exploração dos parquímetros deveria ser entregue ao município e não a uma empresa que já tinha revelado, à exaustão, falta de condições para gerir a coisa pública.

A necessidade de se conhecer a realidade financeira da Ambifaro fez com que PS, CDU e BE votassem contra a proposta, a qual teria sido chumbada, não fosse um membro do PS ter optado por fazer o jeito à direita, a fazer lembrar o deputado “limiano” de má memória.

Agora, a “bomba” rebentou! Sem preconceitos e sem processos de intenções, o Bloco de Esquerda entende que cabe agora à justiça ir ao fundo das questões, e apurar as responsabilidades, se as houver.

A Comissão Coordenadora Concelhia do Bloco de Esquerda de Faro

Categories: Faro