Quarteira

QUARTEIRA | Despiste de lesões cutâneas pela Associação Oncológica do Algarve

Na tarde deste Sábado, dia 14 de Setembro, a Unidade de Saúde Móvel, da AOA – Associação Oncológica do Algarve esteve no Calçadão de Quarteira, junto ao Apoio de Praia – Posto Médico da Praia de Quarteira, a realizar um despiste de lesões cutâneas com oferta de colocação de proteção solar.

Uma iniciativa ao abrigo do Projeto MOV (Movimento Oncológico pela Vida) – Interreg Espanha-Portugal, projeto de apoio ao doente oncológico realizado em parceria entre a Associação Oncológica do Algarve (AOA) e uma associação de Huelva, em Espanha, contando com um financiamento do POCTEP – Programa INTERREG V-A Espanha-Portugal.

O valor aprovado foi de 950 mil euros, dos quais 400 mil euros foram atribuídos à Associação Oncológica do Algarve e a restante parcela à Associação Espanhola Contra o Cancro.

O MOV visa a criação de novos serviços grátis de apoio ao doente oncológico, contando com uma equipa multidisciplinar de técnicos de saúde (fisioterapia – drenagem linfática), enfermagem (para doentes ostomizados/com material e acompanhamento gratuitos), terapia da fala e psico oncologia (doentes e familiares em consulta individual ou em grupo), bem como o fornecimento de próteses capilares e mamárias a preço de custo.

Além disso, o projeto conta com um conjunto de atividades de sensibilização e informação em praias, juntas de freguesia, escolas, empresas, em zonas urbanas e em zonas rurais.

O MOV é desenvolvido em três anos e conta ainda com eventos organizados por ambas as instituições parceiras, como seminários e marchas/corridas.

Por outro lado, para a concretização dos seus objetivos, a AOA conta ainda com o apoio da comunidade e promove eventos e campanhas para sensibilizar a população para a prevenção e deteção precoce do cancro.

Neste sentido, já há alguns anos que esta Associação, durante a época balnear, promove a campanha “Verão sem Escaldão”, em praias da região.

Esta ação tem tido como mensagem principal “Cuidado com o Escaldão, você esquece… mas a sua pele não!”, isto porque a pele tem memória cumulativa e os escaldões apanhados desde a infância vão-se somando e não desaparecem simplesmente com a renovação da pele, tornando-se necessário, cada vez mais, que as pessoas se protejam contra os efeitos nocivos do sol. Neste sentido, voluntários da Associação Oncológica têm distribuído folhetos informativos com conselhos sobre as horas mais propícias para exposição solar direta, utilização de chapéu, óculos de sol com proteção UV entre outras defesas, e como não podia deixar de ser, tem sido facultada a aplicação de protetores solares aos veraneantes.

Categories: Quarteira, Saúde