Nacional

OF e DGS apostam na educação para a saúde dos cidadãos

A Direção-Geral da Saúde e a Ordem dos Farmacêuticos estabeleceram uma parceria para a promoção de uma melhor educação para a saúde. O projeto “Segurança nos cuidados de saúde”, dirigida ao cidadão e profissionais de saúde, está disponível online e de acesso gratuito na plataforma NAU.

Qual a importância de verificar a validade de um medicamento? Qual a diferença entre um medicamento de marca e um genérico? São algumas das questões que pretendem ser respondidas no curso “Uso Seguro e Responsável do Medicamento”, lançado em julho e que conta com a participação da atriz Sofia Grilo.

Uma imagem com captura de ecrã

Descrição gerada automaticamente

Mais de 50% dos portugueses não toma corretamente a sua medicação, este é um facto que limita o propósito final dos medicamentos, ou seja, a melhoria da qualidade de vida.

Este primeiro curso online, da campanha formativa, tem como objetivo não só estimular uma melhor compreensão sobre o medicamento, mas também promover a adoção de comportamentos mais responsáveis e seguros na utilização de medicamentos.

Em suma, este curso é composto por um conjunto de dicas, práticas e recomendações para o doente e/ou o cuidador tirar um melhor partido da terapêutica prescrita” explica a Dra. Ema Paulino, Diretora Nacional da Ordem dos Farmacêuticos.

A parceria entre a Direção-Geral da Saúde e a Ordem dos Farmacêuticos envolve no total a realização de seis cursos, em formato Massive Open Online Course – Curso Online Massivo e Aberto, integrados no “Projeto NAU – Ensino e Formação à Distância da Administração Pública para Grandes Audiências”, que contam com o apoio institucional da Ordem dos Médicos e da Ordem dos Enfermeiros.

“Uso Seguro e Responsável do Medicamento”, “Higiene das Mãos na Prevenção de Infeções”, “Prevenção de Úlceras por Pressão”, “Prevenção de Quedas”, “Segurança Cirúrgica” e “Prevenção de Infeções e Resistência aos Antibióticos” são os seis cursos preparados para esta campanha de educação para a saúde.

Estes cursos devem ser também realizados pelos profissionais de saúde na medida em que constituem uma requalificação e formação continua e uma resposta para a capacitação do utente. De acordo com o paradigma atual, o cidadão deixou de ser alguém que recebe o cuidado de forma passiva. O que desejamos, enquanto profissionais de saúde, é que o cidadão seja parte ativa no seu processo terapêutico. Assim, quanto mais informação o utente tiver sobre o seu processo de cuidados de saúde maior será a sua participação no processo de decisão”, conclui a Dra. Anabela Coelho, Chefe de Divisão da Gestão da Qualidade da Direção-Geral da Saúde. Até ao final do ano serão disponibilizados os restantes 5 cursos na plataforma NAU, dirigidos ao cidadão e profissionais de saúde.

Categories: Nacional, Saúde