AGENDA

Recital de Poesia de Sophia por Pedro Lamares em Loulé no dia de aniversário da escritora | 6 de novembro

Inserido nas comemorações do centenário de nascimento de Sophia de Mello Breyner Andresen, esta quarta-feira, 6 de novembro, pelas 21h00, a Biblioteca Municipal de Loulé – que ostenta o nome desta poetisa como sua patrona – irá receber um Recital de Poesia que versa na sua obra.

«“Sei que seria possível construir o mundo justo”. A lucidez de Sophia coloca-nos num lugar onde somos chamados a decidir, a questionar. Um lugar onde a indiferença se mostra imperdoável. Nós, as pessoas sensíveis, incapazes de matar galinhas, pagamos a quem faça o serviço sujo para que as possamos comer. A Sophia é doce, mas não perdoa. Exige a verdade por inteiro para não habitar meio quarto. Acusa o demagogo. Inversamente ao revisor Raimundo Silva, de Saramago, que escreveu um ‘não’ que muda a “História do Cerco de Lisboa”, a Sophia retira um ‘não’ que nos responsabiliza irremediavelmente: “perdoai-lhes, senhor, porque eles sabem o que fazem”. Sabemos sim. E se fazemos assim é porque escolhemos não fazer de outra forma.

“Sei que seria possível construir a forma justa

De uma cidade humana que fosse

Fiel à perfeição do universo

Por isso recomeço sem cessar a partir da página em branco

E este é meu ofício de poeta para a reconstrução do mundo”».

Pedro Lamares

Pedro Lamares nasceu em 1979. Estudou teatro na Academia Contemporânea do Espetáculo. No Teatro, trabalhou mais de uma dezena de autores. No cinema desempenhou o papel de Fernando Pessoa em “O Filme do Desassossego”, de João Botelho, e participou em filmes dos realizadores Jorge Paixão da Costa, Vítor Gonçalves, Joaquim Leitão e António Pedro Vasconcelos. Na Televisão, apresenta o programa “Literatura Aqui” (RTP2) onde, com Filipa Leal, faz escolha e gravação de textos. Apresentou, com Mafalda Arnauth, duas galas da SPA (RTP2). Integrou o elenco principal de oito novelas em Portugal (TVI) e uma no Brasil (BANDEIRANTES / RTP1). Participou em várias séries da RTP. Na Poesia, dedica-se à escolha de textos e leitura em recitais e ciclos literários. Participou em mais de uma dezena de festivais literários, nacionais e internacionais. Dirige espetáculos de teatro, música e poesia. Criou vários projetos a solo e com músicos, que se mantém em itinerância. É professor em escolas de teatro e formador na área da comunicação. Dirigiu dois grupos juvenis de teatro. Faz palestras dirigidas a professores (‘Desarrumar o Silêncio’). Gravou com João Grosso os textos do CD de apoio ao manual escolar da Raiz Editores. É diretor artístico da cooperativa Casca de Noz.

Refira-se que 6 de novembro é o dia em que Sophia faria 100 anos.

Categories: AGENDA, Loulé