Portimão

PORTIMÃO | Grato faz 25 anos e agradece apoios recebidos

O GRATO – Grupo de Apoio aos Toxicodependentes, sedeado em Portimão, desde 1995, fez no dia 26 de Abril, 25 anos, e, em nota de imprensa a sua direção agradece os patrocínios que tem recebido pois só dessa forma tem sido possível ajudar, não só, os utentes, como também, uma franja da população que está cada vez mais fragilizada.

Quando o GRATO iniciou a sua atividade foi, principalmente, com o intuito de encaminhar toxicodependentes para centros de tratamento que preconizassem o Programa Minesota ou dos “12 Passos” como é mais conhecido. Tendo verificando que uma parte dessa população se encontrava também em situação de sem abrigo, em 2001 iniciou a tarefa de distribuir e de forma sistematizada, na altura para cerca de 10 a 15 pessoas por dia, as refeições confecionadas, e,  em 2003 começou a receber comida do parque escolar do município. Com a situação da pandemia e a declaração do Estado de Emergência que levou ao encerramento das escolas, o GRATO voltou a confecionar nas suas instalações as refeições que depois distribui, atualmente, por cerca de 60 a 70 pessoas por dia.

Não é sem-abrigo quem quer”, diz Joaquim Magalhães, presidente do GRATO, “há muitas outras razões para se ser sem-abrigo. Neste grupo de pessoas encontramos os que fogem da violência domestica e toda a espécie de abusos, outras que embora tendo o seu trabalho e o seu salario, não ganham o suficiente  para suportar os custos da renda da casa, do gás e da luz, e,  outros ainda que sofrem de doenças do foro mental, estes últimos cada vez mais desamparados porquanto a saúde mental continua a ser o parente pobre na área da saúde. Junta-se a este cenário – já de si problemático – o consumo de drogas e de álcool».

Joaquim Magalhães, presidente do GRATO, reitera: “ao longo dos 25 anos que desenvolvemos a nossa atividade em Portimão – não obstante atendermos pessoas de todo o Algarve e do país – devemos muito a todos os que nos ajudam a ajudar quem mais precisa.

É no momento de crise e de maiores dificuldades – como este que atravessamos – que o verdadeiro caracter da humanidade sobressai nos nossos concidadãos e também por isso queremos agradecer, não só, aos nossos colaboradores que fazem um trabalho inestimável, mas também, aos empresários locais que ao longo de 25 anos nos têm  ajudado, e queremos agradecer publicamente aos benfeitores: Aurora Santos; Adelino Aderneira; Pedro Costa; Lina Cardoso; Fernando Gião; Fátima Cachão; Fernando Guimarães; Paula Zalubnik; Artur Fonseca; Joaquim Matias; e às empresas e organizações: IEFP; Segurança Social; Câmara Municipal de Portimão; Junta de Freguesia de Portimão; Banco Alimentar; às Escolas do Município; à Associação Dar e Acordar – Zero Desperdício”; Mundo do Café”; “Delícias de Portimão”; “Mel & Canela”; Ild Song Portugal; associação “Covid Marafade”; grupo de costureiras “Agulhas Marafadas”; petisqueira “Os Moinhos”; Restaurante “JJ25”; Restaurante “A Tocha”; pastelaria “Signos”; Refrisete; Churrasqueira “Guerreiro”; Churrasqueira “A Cozinha”; Churrasqueira das Cardosas; Restaurante “O Chefe Silvestre”; Panificadora “Portimonense”; supermercado Elimar; Casa Matias; AMarca – Marketing e Design; A CASA WOW – Imobiliária; Clinica dos Tinteiros; Atelier de Costura “Despontar Encantos”; “Mini-Mercado da Pedra Mourinha”; supermercdo “O Rossio”; supermercado “Intermarché”; supermercado “Continente”; supermercado “Jumbo”; “Pernod Ricard Portugal”; Pastelaria Algarve; Hotel Júpiter; Hotel Algarve; Portitours; “The Goodwill Charity”; restaurante “Ikon”; Mercearia Bio; Gráfica Central Algarvia; pizzaria “La Gioconda”; pizzaria “La Dolce Vita”; “Casa das Pizzas”; “Eurodocepão”; “Delicias de Portimão”; “O Pão da Manuela”; “Dança Mais”; Copitrês; BitShop; “Academia dos Marinheiros”, de Albufeira; “My Dinamic – Insufláveis”; “Loja dos caracóis”; “Talho Paulo Zé”; “Talho Avenida”; “Talho Alves e Águas”; aos fadistas Mário Jorge Neves, Rita Luz, Generosa Cerdeira, Conceição Fernandes, Fátima Martins, Ondina Santos e à acordeonista Fernanda Gonçalves; ao  grupo musical “Amigos dos Montes”; Rádio Costa D´oiro; Rádio Alvor FM; Rádio Solar FM e Cultugarve.

Esta direção só tomou posse em Março 2019 e estes foram recebidos ao longo de 25 anos e esperamos não ter esquecido ninguém, mas a todos o nosso muito OBRIGADA, pois sem cada um de vós não conseguiríamos ajudar o elevado número de pessoas que todos os dias batem à nossa porta”, conclui Joaquim Magalhãesrelembrando que o final deste ano e o principio de 2021 são muito difíceis para todos nós, e, nesse sentido “a Lei do Mecenato permite que o apoio às IPSS tenha contrapartidas interessantes para as empresas pois os empresários poderão ver o seu apoio/donativo dedutível em 140% do IRC – A mensagem é sempre a mesma, ajudem-nos a ajudar.”

_________________________________________________________________________

Breve História da Instituição

O GRATO – Grupo de Apoio aos Toxicodependentes é uma Instituição Particular de Solidariedade Social fundada a 26 de Abril de 1995. Aquando da sua fundação tinha como objetivo principal a prestação de serviços à comunidade na área da toxicodependência.

Foi criado por um grupo de 9 pessoas sensibilizadas com a problemática da adição. Focalizado na recuperação de adictos em uso, procurando manter em recuperação os adictos que regressavam dos centros de terapêuticos e de reabilitação, o GRATO organizou uma Equipa de Intervenção Direta, formada por um Psicólogo, um Conselheiro em dependência química, uma Técnica de Ação Social, uma Animadora Sociocultural, uma Socióloga, um Monitor, uma Administrativa e uma Gestora.

Através duma avaliação de motivação dos utentes, realizada por esta Equipa de Intervenção Direta, o GRATO procede ao encaminhamento de utentes para centros de tratamento e insere-os em atividades terapêuticas. Para o efeito foi iniciado um projeto de

Apartamento de Reinserção Social com capacidade para 5 adictos em recuperação sem apoio familiar e em situação de sem-abrigo.

Atualmente, os serviços do GRATO são mais alargados.  Apoia pessoas que estão direta ou indiretamente relacionadas com o problema da adição a substâncias psicoativas, e/ou outras, e presta serviços à comunidade desfavorecida e excluída socialmente.

Apoia os adictos e as suas famílias, fazendo a prevenção, acolhimento, tratamento, acompanhamento, pré-profissionalização dos utentes e sua reinserção social, ocupação de tempos livres e sensibilização da sociedade em geral para toda esta problemática.
Ao longo do tempo, fruto das exigências cada vez maiores da população a respostas sociais, a Instituição tem atuado em todas as áreas relacionadas com a inclusão social. Presta serviços de apoio e assistência à população e comunidades desfavorecidas socialmente e em risco.

O GRATO é uma porta aberta para todos aqueles que precisam de ajuda pessoal, social e profissional.

Mantendo a sua missão, visão e valores, mais tarde, não só, pelo reconhecimento do trabalho desenvolvido, aliado à autarquia local e à Segurança Social, mas também, pelo alargamento do âmbito do trabalho do GRATO junto da população socialmente desfavorecida, foram estabelecidos protocolos e parcerias, que deram origem a diferentes Respostas Sociais.

Assim, o GRATO desenvolveu ao longo dos anos vários Projetos e Respostas Sociais de que se destacam:

  • EID – Equipa de Intervenção Direta
  • Cafetaria “Sol e Música” – com o apoio do IEFP para criação de emprego
  • ARS – Apartamento de Reinserção Social
  • UNIVA – Unidade de Inserção na Vida Ativa
  • ORF – Orquestra Filarmónica Infantil do GRATO
  • Equipa de Protocolo do Rendimento Social de Inserção
  • CLDS – Contrato Local de Desenvolvimento Social
  • PIEF – Programa Integrado de Educação e Formação
  • RENASCER – Projeto da Luta Contra a Pobreza
  • Cursos de Formação Socioprofissionais
  • Creche “Jardim do Sol”
  • Casa de acolhimento para Mulheres Sem-abrigo 

Missão, Visão, Valores

Membro do Conselho Local de Ação social do Concelho de Portimão, o GRATO acredita na erradicação da pobreza em Portugal, e na inclusão social da comunidade Portimonense, em particular.

Apostamos no desenvolvimento de políticas sociais ativas, baseadas na responsabilização e mobilização do conjunto da sociedade, e de cada indivíduo, na construção de uma sociedade equitativa.

No nosso trabalho defendemos o respeito pelo individuo e a consideração pelos seus próprios valores, origens e tradições específicas. Atuamos em intervenções individualizadas, com respostas personalizadas dirigidas a cada indivíduo ou família. Estamos disponíveis para ajudar em qualquer situação solicitada, e partilhamos com transparência a informação com os elementos envolvidos no processo. Regemo-nos pelo rigor e profissionalismo e procuramos a articulação entre os vários recursos de suporte à exclusão social, facilitando o diálogo e a cooperação interinstitucional.

Promovemos a inclusão e esforçamo-nos para que todas as iniciativas sejam dirigidas a todos, independentemente das diferenças e desigualdades que possuam.

Categories: Portimão