Quarteira

QUARTEIRA | Bispo do Algarve nas Bodas de Prata da Igreja de São Pedro do Mar

O Bispo do Algarve, D. Manuel Quintas, presidiu na manhã de hoje a eucaristia festiva comemorativa do 25.º aniversário da Igreja de S. Pedro do Mar, em Quarteira.

No início da eucaristia, o presidente da Junta de Freguesia de Quarteira, Telmo Pinto, ofertou ao pároco de Quarteira, Pr. Joaquim Campôa, uma peça escultórica comemorativa das Bodas de Prata da igreja.

Uma cerimónia que contou igualmente com a presença do presidente da Câmara Municipal de Loulé, Vítor Aleixo, da vereadora Marilyn Zacarias e da tesoureira da junta, Sónia Neves, entre outros.

A eucaristia festiva contou com todas as medidas de segurança recomendadas pela DGS, num serviço irrepreensível do Agrupamento de Escutismo 1052, de Quarteira. Uma organização que mereceu o apreço do Bispo do Algarve, que se manifestou surpreendido com a forma como tudo foi organizado.

Por: Jorge Matos Dias / PlanetAlgarve

Sobre a Igreja de S. Pedro do Mar

A Igreja de S. Pedro do Mar, de Quarteira, data de finais do século XX (inaugurada em 1995) e foi projetada pelo arquiteto e engenheiro Carl Maria Ruf.

Ao projetar esta Igreja de S. Pedro do Mar, de Quarteira, o arquiteto e engenheiro Carl Maria Ruf procurou dar expressão a duas ideias fundamentais:

Criar um espaço que favorecesse a participação da comunidade cristã na Eucaristia, como assembleia reunida à volta do Altar, sinal de Cristo, que ocupa o centro da igreja;

Encontrar uma forma arquitetónica, o edifício de Deus.

São Pedro, padroeiro dos pescadores, é o titular desta igreja. A ideia-chave para o projeto deste espaço religioso espelhado no Altar é a Palavra de Cristo: “Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja e as portas do inferno não prevalecerão contra ela”.

O espaço interior organiza-se à volta do Altar, centro real e simbólico da Igreja, sobre o qual se eleva uma cúpula octogonal que marca a centralidade. Próximo encontra-se o ambão, lugar da proclamação da palavra de Deus e o lugar da Presidência da Assembleia. Na parede de fundo do altar, encontra-se o Tabernáculo, da autoria de Hans Bystron, que se destaca do grande retábulo com cenas da vida de São Pedro e da Santíssima Trindade.

O Povo de Deus, Povo em peregrinação, tem como espaço de reunião uma grande nave central e duas naves laterais, menos altas, que retiram à Igreja a impressão, mais tradicional, de predomínio do comprimento que é substituída pela de um quadrado.

Para o Batistério foi escolhida a forma de um rochedo donde brota a água, sinal de Cristo que dá a água da vida, para uma taça, que transborda a “abundância da vida” para um lago de águas tranquilas.

Destaca-se a importância da iluminação natural, na procura de um ambiente adequado à oração. As janelas, estreitas que vão do chão ao teto, permitem uma ampla entrada de luz, mas sem ofuscar ou quebrar a harmonia do interior.

No coro, previu-se o espaço necessário à instalação de um órgão.

Na zona por detrás do Altar, situam-se as instalações de apoio: sacristia, gabinete do Pároco e uma pequena residência.

A diferença de níveis do local de implantação permitiu a construção na cave de várias divisões: uma pequena capela para celebrações para grupos pequenos, uma sala mortuária, salas para a catequese e outros serviços pastorais e sociais.

Em frente da Igreja construiu-se um grande adro, rodeado por uma galeria coberta e onde se encontra o lugar para a estátua de São Pedro, o Pescador de Homens, que lança as redes para acolher a humanidade ao Reino de Deus.

Erwin Holzbauer, pintor académico alemão, executou para esta igreja um retábulo que ocupa a parede de fundo do Altar com cenas da vida de São Pedro. No centro do retábulo a figura de Cristo Ressuscitado, Senhor e Salvador da humanidade, enviado do Pai, ungido pelo Espírito Santo, Alfa e Ómega que virá para julgar os vivos e os mortos e que escolheu Pedro para ser a rocha sobre a qual se edifica a Igreja. A figura de Cristo situa-se no cruzamento dos dois eixos do retábulo, que desenham uma cruz, de braços abertos, abençoando e mostrando as chagas às testemunhas da Sua Ressurreição, em particular a Tomé, a João, a Pedro, a Paulo e a Maria, a Mãe de Deus. No Topo do eixo longitudinal, a Mão, símbolo de Deus Pai, Criador que envia o Seu Filho, e a Pomba sinal do Espírito Santo que unge a Igreja e lhe concede os Seus sete dons. Nos quatro cantos os símbolos dos quatro evangelistas: o Homem, símbolo de Mateus, o Leão, o símbolo de Marcos, o Touro, símbolo de Lucas e a Águia, símbolo de João.

As cenas da vida de Pedro ocupam o restante espaço do retábulo: concretizando o testemunho da sua vida, da sua pregação, do seu ministério e do seu martírio.

Na feitura do retábulo Erwin Holzbauer teve a colaboração de Toni e Peter Mayer, pintores e douradores e de Martin e Hannes Hirle, carpinteiros.

Fonte: Câmara Municipal de Loulé

Categories: Quarteira