Quarteira

QUARTEIRA | Arq. João Pedroso homenageado na inauguração do novo parque de estacionamento

O Presidente da Câmara Municipal de Loulé, Vitor Aleixo,  na presença do Presidente da Junta de Freguesia de Quarteira, Telmo Pinto, inaugurou no dia 16 de julho, o parque de estacionamento na bolsa de terreno existente na Rua Gago Coutinho, em Quarteira.

O parque, implantado num terreno com 3 mil metros quadrados, num investimento de cerca de 478 mil euros, tem 76 lugares, dos quais três para pessoas com mobilidade condicionada, ficará sob a gestão da Loulé Concelho Global, empresa municipal responsável pelo parqueamento em todo o concelho. Um parque com 67 lugares, incluindo 3 para pessoas com mobilidade reduzida.

Telmo Pinto sublinhou a “importância neste trabalho em conjunto com o presidente da câmara que nos permitiu criar esta obra. Isto tem a ver com reabilitação urbana. Vou lembrar aqui uma pessoa amiga, que continua a ser no pensamento, o arq. João Pedroso. Quando eu cheguei à junta de freguesia, ele disse-me que eu devia começar a ver o que foi feito em Barcelona. A princípio, surpreendeu-me o exemplo de Barcelona para Quarteira mas depressa percebi. Disse-me então que fosse ao Google Earth e olhar para Quarteira de cima. Então, depressa percebi que na cidade de Quarteira, mesmo nas zonas mais consolidadas, onde não há locais para estacionamento nem parques, estes núcleos habitacionais têm sempre áreas de terreno no seu interior que podem ser aproveitadas. Esta obra foi resultado disso mesmo. Foram três anos de negociações e burocracias mas conseguimos. Entretanto, já estamos a olhar para outros espaços de Quarteira para também serem melhor aproveitados. São espaços que estão completamente perdidos atrás do nosso quintal”.

Por seu lado, Vítor Aleixo começou por dizer que “não consigo estar aqui sem pronunciar em voz alta o nome que o Telmo já aqui referiu, o arq. João Pedroso. Ele deu-nos esta ideia e lutou por ela. Ele era um grande arquiteto que projetou os prédios novos mais bonitos e com a arquitetura mais interessante desta cidade. Infelizmente,  deixou-nos muito cedo”, pedindo uma salva de palmas em sua homenagem.

O autarca louletano chamou a atenção para “outra obra, também muito bonita, na zona Nascente, que resultou de uma negociação da aprovação de uns edifícios. Pedimos ao construtor que fizesse um local público para as pessoas passearem e estacionarem a sua viatura e que em breve será também aberto ao público”.

Vítor Aleixo considerou que “Quarteira, pela sua importância, por ser hoje uma das cidades mais importantes do Algarve, uma cidade que não tem parado de crescer mas tem crescido bem, com qualidade. É hoje uma cidade ordenada, com qualidade e que à medida que tem crescido, tem tido obras que são o orgulho dos quarteirenses”, abordando alguns dos investimentos municipais em curso na freguesia: a construção da Pista de BMX no bairro da Abelheira; a conclusão da segunda fase do Passeio das Dunas (ligação Quarteira/Marina de Vilamoura); a requalificação da Alameda Praia da Marina de Vilamoura e da Rua dos Pinheirinhos; a reabilitação da Praça em frente à GNR com criação de espaço verde; a construção da nova Escola D. Dinis, considerando-a “a maior obra pública em curso no concelho”, prevendo-se a sua conclusão em março ou abril de 2021″.

Outro tema abordado pelo edil são os projetos que irão arrancar no próximo ano: Um novo infantário, na zona do Forte Novo, para cerca de 100 crianças, cujo projeto está já concluído e o terreno adquirido, prevendo-se para breve o lançamento do concurso público para a empreitada; uma nova escola do 1º Ciclo por trás do Pingo Doce; a ampliação da extensão do Centro de Saúde, lembrando ainda que, para salvaguarda da memória coletiva da cidade, “a câmara adquiriu o edifício do antigo Casino e os terrenos onde estavam os antigos estaleiros do Casinha”.

Relativamente ao novo mercado, cujo projeto tem tido avanços e recuos devido à especificidade do local, na frente-mar, o edil adiantou que, ainda no final deste mês, a autarquia irá receber o novo projeto, uma vez que o inicial foi alterado por força do impacto futuro da subida do nível médio das águas do mar. “Somos o primeiro município do país a encomendar um projeto, feito por cientistas e investigadores da Universidade de Lisboa, através da Faculdade de Ciências e Tecnologia, tendo em conta as previsões da subida do mar nos próximos cem anos. Futuramente, todos os edifícios que se fizerem em frente ao mar, têm que ser repensados” e este é o primeiro a ser repensado em Portugal tendo em conta as alterações climáticas e a previsão de subida das águas do mar, prevendo-se o lançamento do concurso para a construção da obra “lá para o final do ano”.

A terminar, Vítor Aleixo deixou um pedido aos quarteirenses: “Façam-nos a justiça de reconhecer que Quarteira tem sido objeto e alvo da nossa atenção constante. Nós não esquecemos os quarteirenses, ao contrário daquilo que muita gente diz”.

Por: Jorge Matos Dias / PlanetAlgarve

Categories: Quarteira