Algarve

Povo algarvio lança repto ao poder público

Foi lançada uma PETIÇÃO em que o POVO ALGARVIO faz um repto ao poder público para assumir em pleno as suas responsabilidades, pelos algarvios, pelos mais abastados, mas também pelos mais humildes.

Passamos a transcrever na íntegra o texto da petição:

ALGARVE REIVINDICA GARANTIA DE ÁGUA, OUTROS DIREITOS E APRESENTA PROPOSTAS.

São incertos os tempos da economia e sociedade. Infelizmente, a crise que o Algarve atravessa é das mais graves de sempre, com falências, desemprego e problemas sociais.

Para os empresários e sociedade em geral, é um contrassenso que numa região tão rica persistam tão grandes carências.

Os algarvios dão forte contributo ao país e consideram-se tão bons como os melhores, desde que lhes seja garantido em segurança o que lhes é devido, casos da ÁGUA, NOVO HOSPITAL CENTRAL, REDES VIÁRIA E FERROVIÁRIA, etc. E não podem aceitar ficar dependentes de um único setor -Turismo -para sobreviverem, nem assistirem ao abandono de 2/3 do território terrestre e uma zona marítima com mais de 200 km de costa.

OS ALGARVIOS QUEREM PARTICIPAR E TÊM PROPOSTAS PARA O FUTURO.

Nada nem ninguém lhes retirará o direito à livre expressão do desagrado, apelo à cooperação de todos e exigência da plena assunção das suas responsabilidades pelas Entidades Públicas.

Fica o grito do “NÃO! ASSIM JÁ BASTA” PARA SER OUVIDO E FAZER ECO!

Enquadramento da tomada de posição: Há consenso no Algarve

– Petição fora de quaisquer tendências ou grupos de interesse

Foi com grande solenidade que foi lançada uma petição pública inédita em Portugal: “POVO ALGARVIO LANÇA REPTO AO PODER PÚBLICO” que na prática contém desagrado e contundente critica à forma como os algarvios avaliam o tratamento dado à região nas últimas décadas. O problema não é apenas do vírus, é dos muitos “vírus” acumulados ao longo de décadas e que justifica a expressão “NÃO, ASSIM JÁ BASTA”. Na prática significa também um repto democrático para que os Políticos locais, regionais, nacionais e da união europeia “emendem a mão”, e reponham a justiça que ao Algarve e aos algarvios é devida.

Trata-se de uma exposição de motivos sintética que tem o seu suporte em linhas de força de longo alcance que a União Empresarial do Algarve elaborou e que foi massivamente aberta à dimensão pública com centenas de contributos e debates em toda a região, que fazem do documento o que se pode chamar “A CARTILHA DOS ALGARVIOS” nos domínios económico e também social. É um documento de UNIDADE!

Área social também no centro do debate

Nos debates públicos promovidos foram convidados de honra os Provedores Das Santas Casas da Misericórdia, face à dimensão social do problema.

Pela sua completa abrangência regional, Algfuturo foi contactada por muitos setores para desencadear uma ação de largo alcance. De imediato a Algfuturo se disponibilizou em colaborar, mas num quadro de uma iniciativa que de raiz fosse o retrato e estado de espírito dos algarvios todos, fora grupos ou ideologias.

Petição fora de quaisquer tendências ou grupos de interesse

E assim se fez: a Algfuturo formaliza a petição por razões formais, e a primeira assinatura é de José Vitorino, na condição de simples cidadão empenhado nas causas públicas regionais desde há 45 anos, com subscrição também… pelo Provedor da Santa Casa de Faro, uma ex-dirigente dos movimentos dos autarcas independentes e assinatura unanime da população anónima que fora convidada.

A breve síntese de fundamento é sustentada por uma nova publicação em fase final de elaboração, um documento que continua a receber contributos e que será em breve lançado.

Por: Algarvios em defesa do Algarve

Categorias:Algarve