Albufeira

COVID-19 | Albufeira aprova Estratégia de Adaptação da Comunidade Educativa

Aprovada em reunião de Câmara da passada terça-feira, 15 de setembro, a “Estratégia de Adaptação da Comunidade Educativa” para minimizar a possibilidade de transmissão da doença COVID-19 levou a que todos os envolvidos nesta estratégia se reunissem ontem no Salão Nobre dos Paços do concelho. As escolas estão dotadas de todos os meios e estratégias para que ao ser detetado algum caso, sejam acionados de imediato todos os mecanismos de proteção, do visado e da restante comunidade educativa. Só nesta fase inicial do ano letivo, o Município de Albufeira já investiu cerca de 200 mil euros e cerca de mil funcionários fizeram já o teste biomolecular.

O Salão Nobre dos Paços do Concelho acolheu ontem de manhã uma reunião entre todos os organismos envolvidos nas diversas dinâmicas do arranque do ano escolar em Albufeira. Delegado de Saúde, Guarda Nacional Republicana, Proteção Civil, Presidentes de Juntas de Freguesia, Diretores dos Agrupamentos Escolares e serviços de Saúde e de Educação do Município responderam afirmativamente ao convite do presidente da Câmara Municipal para, conjuntamente com o ABC – Algarve Biomedical Center, apresentar a “Estratégia de Adaptação da Comunidade Educativa” para minimizar a possibilidade de transmissão do SARS-CoV-2 (Vírus causador da doença COVID-19).

O início de um ano escolar é dos momentos mais difíceis e controversos de qualquer gestão política e este ano temos dificuldades acrescidas”, afirmou na abertura da reunião, José Carlos Rolo. O autarca continuou: “é preciso, mais do que nunca, e dado o contexto pandémico, minimizar todos os riscos. Seria utópico dizer que os problemas não existem ou imaginar que não vai haver casos pontuais de Covid-19 nas escolas, mas urge que toda a comunidade saiba que está a ser feito um trabalho concertado, um trabalho em rede com as autoridades de segurança e de saúde, juntamente com as escolas e o Município, no sentido de transmitir confiança aos pais dos alunos e aos profissionais envolvidos, pois o momento é de incerteza e perplexidade”.

A “Estratégia de Adaptação da Comunidade Educativa” para minimizar a possibilidade de transmissão do SARS-CoV-2 (Vírus causador da doença COVID-19) é um programa desenvolvido em parceria com o ABC – Algarve Biomedical Center, aprovado em reunião de câmara do dia 15 de setembro. Compreende diversas fases, sendo que com a primeira, o Município investiu já cerca de 200 mil euros, nomeadamente na sinalização vertical e horizontal, cartazes, salas de isolamento com todos os materiais necessários, soluções desinfetantes e demais equipamentos para todas as escolas do concelho. Nesta fase ainda, os técnicos do Município, juntamente com o ABC e direções das escolas, procederam á reorganização espacial das salas de aulas, espaços comuns (casas de banho, balneários, bibliotecas, refeitórios e outros) e espaços de circulação. De um universo de cerca de 1200 funcionários das escolas, cerca de mil fizeram já os testes biomoleculares, sendo que os restantes poderão efetuar o teste quando o desejarem ou necessitarem, até ao final do ano letivo.

Em Albufeira, o ano escolar arrancou com os espaços devidamente preparados para evitar a propagação do vírus. “Mas não é fácil, desde o pousar da mochila, passar pela desinfeção, orientar-se espacialmente, adaptarem-se todos a uma nova realidade não é fácil”, frisou uma das diretores de Agrupamento presentes neste encontro, embora reconhecendo ser “impossível cumprir a data de arranque sem o apoio da Câmara Municipal”. Este agradecimento e reconhecimento foram, de resto, manifestados por todos os responsáveis pelas escolas de Albufeira. Um dos responsáveis salientou também a necessidade de haver uma sensibilização dirigida às famílias, no sentido da contenção dos contactos sociais, pois “de nada vale se as escolas estiverem com estes cuidados acrescidos, se em casa, os pais do alunos promovem festas de aniversários ou não tiverem os cuidados sugeridos pela Direção Geral de Saúde”.

A Estratégia, para além do que já foi referido, implica uma monitorização constante de todas as medidas. Cada escola tem um interlocutor designado para reportar todas as situações ao ABC, que atua de imediato em qualquer situação de alarme. Foram criadas duas linhas, uma interna, através da qual os diretores das escolas podem esclarecer dúvidas ou informar de situações e uma outra linha de apoio dirigida aos educadores dos alunos, aberta das 07h00 à 01h00.

Os espaços envolventes às escolas obrigam igualmente a uma vigilância redobrada, ação que já tem vindo a ser feita pela delegação da GNR de Albufeira e que amanhã, 17 de setembro, é alargada aos estabelecimentos comerciais circundantes, com o apoio do serviço municipal da Proteção Civil de Albufeira, a qual tem igualmente uma linha aberta 24h, para apoio e esclarecimentos. No âmbito do programa “Escola Segura”, haverá igualmente militares presentes nas escolas em horários de chegada e partida a fim de evitar confluências de pessoas no mesmo espaço.

Atento a todas as situações, o Delegado de Saúde de Albufeira concorda com o autarca, de que nada garante a não propagação do vírus, mas assegura a sua total presença e empenho, tendo disponibilizado o seu número de telemóvel para todos os implicados nesta rede de proteção às escolas quanto à Covid-19.

Para finalizar, José Carlos Rolo alertou ainda que “o desconhecimento sobre o vírus é grande e as certezas de hoje são mentiras de amanhã, tem havido várias tentativas, pois não é fácil para ninguém. Quer as informações venham do poder central ou das autarquias, há sempre novidades e alterações. O que estamos a fazer é tomar todas as medidas que mitiguem a propagação do vírus e sob esse aspeto da prevenção e da vigilância, estamos a fazer tudo quanto é possível fazer-se. Nesse aspeto, o ano letivo arranca em Albufeira bem preparado e seguro”.

Categories: Albufeira