S. Brás de Alportel

São Brás de Alportel | Voto de pesar pelo falecimento do artista Cruzeiro Seixas

O Município de São Brás de Alportel aprovou, em reunião de câmara de 10 e novembro, o voto de pesar pelo falecimento de Cruzeiro Seixas, à beira de alcançar um século de vida.

Cruzeiro Seixas

Cruzeiro Seixas nasceu na Amadora, cresceu em Lisboa, viveu 14 anos em África, ao serviço da Marinha Portuguesa e, durante 7 anos, em São Brás de Alportel.

Pintor e poeta. Referência maior do surrealismo, era hoje o único testemunho vivo deste importante movimento artístico em Portugal. Dizia que o surrealismo lhe “abriu a porta para a visão do mundo e para construir a sua própria sensibilidade”.

Cruzeiro Seixas escolheu São Brás de Alportel para se fixar em 1982, no lugar de Calçada, onde viveu na proximidade de amigos e outros nomes da cultura portuguesa. Em testemunho escrito, para a publicação da Região de Turismo do Algarve “40 Anos 40 Olhares” fica claro o seu gosto, a importância e a saudade pelo lugar escolhido.

Desse período e dessa pequena casa disse que, “esses foram anos de grande reconhecimento, de uma totalidade inesquecível, mas aquela casa continua a ser a MINHA CASA”. E foi nessa casa que desenhou e pintou o que hoje está em muitos museus e coleções privadas.

No anos vividos em São Brás de Alportel, foi organizada uma exposição pelo Ministério da Cultura e Câmara Municipal, patente no mês de junho de 1985 no Quartel os Bombeiros Voluntários.

Mais tarde, em 2010, integrada no programa de Comemorações do Centenário da República Portuguesa e em colaboração com o Museu da Manufatura de Tapeçarias de Portalegre, o Município promoveu com o apooio a Galeria/Casa de Chá “Zem Arte” uma exposição que contou com a visita do pintor “Cruzeiro Seixas – Tapeçaria e Desenho: o regresso a São Brás de Alportel 25 anos depois”.

No momento o seu falecimento, o município que teve a honra de o acolher durante 7 anos, pretende prestar homenagem a Cruzeiro Seixas.

Categories: S. Brás de Alportel